Descoberto o primeiro sistema circubinário e multiplanetário

De acordo com a Agência de Notícias EFE, foi anunciado, ontem terça-feira, 28 de agosto, em Pequim, a descoberta do primeiro sistema circumbinário e multiplanetário, ao qual mais de um planeta orbita ao redor de dois sois

Por | @oficinadanet Internet

De acordo com a Agência de Notícias EFE, foi anunciado, ontem terça-feira, 28 de agosto, em Pequim, a descoberta do primeiro sistema circumbinário e multiplanetário, ao qual mais de um planeta orbita ao redor de dois sois.

A descoberta fora feita pelos cientistas da Universidade Estadual de San Diego, nos Estados Unidos e a mesma então divulgada em Pequim, na Assembleia Geral da União Astronômica Internacional. De acordo com o líder da descoberta, o astrônomo Jerome Orosz, falou que, “Nossa descoberta mostra que sistemas planetários podem formar-se e sobreviver inclusive no caótico meio ao redor de uma estrela binária”.

As estrelas são as conhecidas, Kepler-47 e estão situadas a cinco mil anos-luz na constelação do Cisne, orbitando uma ao redor da outra, com o período de sete dias e meio: a estrela maior é do tamanho do Sol, já a outra, é três vezes menor e ainda 175 vezes mais fraca. Quanto aos planetas, o mais próximo dos sois, é três vezes maior em diâmetro que a Terra, o segundo planeta, é ligeiramente maior que o planeta Urano e demora cerca de 303 dias para orbitar os dois sois, algo considerado habitável, ou seja, tem condições similares à Terra, sendo assim, poderia ter água em sua superfície.

Em uma declaração, a universidade declarou que, “Embora o segundo planeta seja provavelmente um gigante de gás, portanto, não adequado para a vida, seu descobrimento mostra que os planetas circubinários podem existir em zonas habitáveis”.

Até o momento, já haviam sido encontrados quatro sistemas de planetas girando ao redor de duas estrelas, mas este é o primeiro com mais de um planeta.

Para os presentes a Assembleia, avaliaram a descoberta de uma maneira positiva, e acreditam nos avanços na busca de planetas fora de nosso Sistema Solar, como primeiro passo para encontrarmos outros lugares aptos para a vida.

Mais sobre: planetas kepler sois
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo