E-commerce: Minhas vendas cairam. E agora?

Não é segredo para ninguém que e-commerces trabalham com datas muito sazonais. Alguns mais, outros menos, mas além das datas já conhecidas como Dia das Mães, Pais ou Natal, há datas que para um determinado segmento é mais forte do que para o outro, entretanto a queda nas vendas ocorre em todos os se

Por | @plannerfelipe Marketing Digital

E-commerce: Minhas vendas cairam. E agora?

Não é segredo para ninguém que e-commerces trabalham com datas muito sazonais. Alguns mais, outros menos, mas além das datas já conhecidas como Dia das Mães, Pais ou Natal, há datas que para um determinado segmento é mais forte do que para o outro, entretanto a queda nas vendas ocorre em todos os segmentos independentemente da sazonalidade. Os fatores são diversos, como mês em que tem que pagar matricula na escola afeta, por exemplo, o segmento de sapatos. Mês de férias, afeta o de flores, crise financeira afeta a todos e por ai vai. Mas o que fazer?

Mais sobre e-commerce:

Existem algumas práticas que é possível fazer para que seu e-commerce eleve as vendas. Talvez não acima da média, mas pelo menos fazer com que a média que você já tem seja mantida. Isso já ajuda a bater a meta de faturamento do mês, trimestre, semestre ou ano. O que vier além disso, é um lucro. E lucro extra é sempre bem vindo.

O primeiro passo é mensurar as vendas de hora em hora. Estabeleça uma relação. Quantas vendas você precisa fazer ao dia para bater a meta no final do mês? Quantas vendas você precisa fazer por hora para a meta do dia? Quantas vendas você faz, normalmente, por hora? Está muito acima ou abaixo do que você propôs? Ok, aqui temos uma meta para atingir, logo, sabemos onde queremos chegar. Há um objetivo claro.

Quando se mensura vendas, não se mensura apenas o geral e sim os produtos mais vendidos. Isso é uma tática manjada de e-commerce, mas que dá certo. Troque os produtos da home por aqueles mais vendidos no dia. Não se consegue prever acertadamente qual produto vai vender mais que o outro em determinado dia, mas durante o dia é possível fazer uma curva de tendência de produto e ai trabalhar com isso.

Entenda quais são seus carros-chefes de fluxo no site. Nem sempre as pessoas chegam apenas pela home, apesar que a home é sem dúvida a grande porta para o site. O Google é um grande parceiro do e-commerce, pois quase 97% dos e-consumidores passam pelo Google para uma pesquisa. Teoricamente, e essa é uma média de mercado, o Google é o parceiro que mais trará fluxo ao site. Deveria ser o que mais converte, mas nem sempre é assim. Analise a taxa de conversão do Google. 

Tenha um histórico, estabeleça uma meta e acompanhe de hora em hora se essa conversão está ok. Estabeleça até quanto você pode pagar por venda, o famoso CPA. Se estiver alto, você pode até vender, mas terá prejuízo no final do dia. Mantenha um equilíbrio de acordo com o seu histórico e possibilidades. 

E-mail marketing é outro canal que gera muita audiência e conversão. Em média, os portais chegam a ter até 15% de taxa de abertura das peças, podendo chegar a 1% de taxa de conversão, o que pode ser excelente para o seu negócio. Veja quais assuntos mais clicados, promoções mais “matadoras”, assuntos mais buscados. Use as palavras-chave do Google para gerar textos nas peças de e-mail marketing. Meça retorno, o que mais vende. Entenda horários de maior taxa de abertura, dias que mais convertem. Mais uma vez, estabeleça um padrão e siga esse padrão.

Veja mais sobre E-mail marketing:

Redes Sociais são relacionamento. Não espere grandes vendas por ali. As pessoas seguem a sua marca para te ouvir e não necessariamente para comprar. Faça promoções exclusivas, concursos culturais, use aplicativos e até indico uma loja no Facebook, mas não ache que essa será a salvação do seu negócios.

Tudo isso, se bem feito, tem chances de você aumentar as vendas, mas o acompanhamento e a padronização são muito importantes.

Mais sobre: e-commerce, vendas, e-mail marketing
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários