Amazon planeja entrar no mercado de varejo no Brasil

Novo relatório aponta que Amazon deve investir em vender novas linhas de produtos no Brasil, e isso será ótimo para os consumidores.

Por | @oficinadanet E-commerce

A Amazon chegou ao Brasil em 2012, o que causou bastante preocupação entre as empresas de e-commerce. A companhia de Jeff Bezos é bastante sólida no exterior, o que eu fez com que muitos varejistas ficassem realmente assustados. Agora, porém, a preocupação poderá aumentar.

Em um relatório enviado a clientes na segunda-feira (19), o BTG Pactual revelou ter conversado com seis dos maiores vendedores de marketplace do Brasil e eles disseram que a Amazon está se preparando para aumentar a sua oferta de produtos no país. Especialistas acreditam que a medida poderá gerar impacto em muitas empresas.

Amazon planeja entrar no varejo no BrasilAmazon planeja entrar no varejo no Brasil

De acordo com os analistas do banco Fabio Monteiro e Luiz Guanais, a presença da Amazon “certamente deve se tornar a principal fonte de discussões internas para os players no curto prazo, fazendo com que eles repensem suas estratégias e acelerem seus planos de transformação”.

Os analistas ainda acreditam que uma atuação maior da Amazon fará com que a concorrência também seja maior, e isso poderá afetar diretamente a B2W, que tem com objetivo aumentar a rentabilidade de suas operações.

A Amazon, quando entrou no Brasil, ganhou bastante força. Inicialmente, em 2012, a empresa comercializava por aqui somente livros digitais, os livros físicos vieram após dois anos. Já em abril deste ano, a companhia entrou no mercado de marketplace, ainda focado em livros, porém, se preparando para expandir o seu negócio.

O BTG diz que a Amazon possui aproximadamente mil vendedores de livros em sua plataforma no Brasil, sendo que já comercializou mais de 300.000 livros.

Estimativas

Segundo ainda o BTG, o e-commerce foi responsável por movimentar R$ 59 bilhões no Brasil, e deverá atingir R$ 135 bilhões em cinco anos. Mesmo assim, o segmento ainda não é considerado grande por aqui.

A companhia de Jeff Bezos possui cerca de 20% do tráfego da Americanas.com e ainda aproximadamente metade do tráfego de outros grandes sites como Submarino e Walmart.

Mesmo com um mercado bastante complexo, cada movimentação da Amazon gera impacto no Brasil. Sendo assim, a tendência é que isso tudo cause desconforto entre as empresas de e-commerce e faça com que a concorrência aumente. Bom para os consumidores, claro! Porém, para quem vende, tudo isso pode não ser tão agradável assim.

Mais sobre: Amazon Brasil e-commerce
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo