Pessoas com mais idade e com elevado grau de estudo são as que mais baixam livros piratas, diz estudo

Pessoas que adquirem livros piratas dizem também que compras ebooks de locais legalizados.

Por | @RafaelaPozzebon Internet

Um estudo bastante curioso revelou quem são as pessoas que mais baixam conteúdo pirata na internet. De acordo com a Digimarc, empresa antipirataria, em parceria com o instituto de pesquisa Nielsen, as pessoas mais velhas e de classes mais elevadas são as que mais recorrem à pirataria.

O objetivo do levantamento foi identificar quem são as pessoas que mais baixam livros piratas, incluindo gênero, idade, renda, entre outros quesitos. A maioria dos entrevistados possui mais de 30 anos (60%), sendo que 65% deles ganham mais do que US$ 60 mil por ano. A maioria também possui ensino superior completo (40%), enquanto outros 32% são pós-graduados.

A grande questão que foi levantada na pesquisa é o motivo que leva as pessoas, em tese, mais ricas e mais velhas optarem por baixar livros piratas em vez de comprar ebooks, que costumam ser bem mais baratos que os livros físicos. Como resposta, 58% dos participantes do levantamento alegaram que a pirataria é “mais conveniente” do que pagar por uma cópia digital original.

Mesmo assim, 42% deles disseram que além dos livros piratas, também adquirem ebooks originais pela internet. Para baixar os conteúdos piratas, 31% dos entrevistados dizem que fazem isso através de torrente ou mesmo por sites de troca de conteúdo direto, como o 4shared.

Leia também:

A pesquisa concluiu que o mercado editorial perde US$ 315 milhões todo o ano em razão do download ilegal de ebooks. O estudo foi realizado com 516 pessoas identificadas pela Nielsen como “piratas” ao longo dos últimos seis meses.

Mais sobre: ebooks, pirataria, amazon
Share Tweet
DESTAQUES
Mais compartilhados
Comentários