Como funciona o motor elétrico de veículos?

Feito para economizar combustível e fazer menos poluição, os motores elétricos de veículos ainda estão em busca de espaço no mercado e nas indústrias

Por | @Dani_Sh Tecnologia

Parece muito óbvio que o século XXI pede uma demanda cada vez maior de soluções tecnológicas para diminuição de gases poluentes para a indústria automotiva – uma das soluções encontradas para a diminuição da emissão de CO2 (gás carbônico) na natureza é a criação de cada vez mais de carros com motores elétricos. Porém, quais são os benefícios para o meio ambiente e como o motor elétrico de veículos funciona?

Existem diversos tipos de motores, entre os carros híbridos – os que funcionam com o motor à combustão e outro elétrico, e os carros com motores puramente elétricos, que buscam o espaço no atual mercado e tem muito ainda a dominar e descobrir. Ao abrir o capô de um desses veículos, são descobertas diversas diferenças de peças e funcionalidades que esses veículos carregam em seus sistemas.

Como funciona o motor elétrico de veículos?

O funcionamento do motor elétrico de veículos

Com o funcionamento através do propulsor elétrico, o modelo de veículos com motores elétricos utiliza energia química que ficam localizadas nas baterias recarregáveis, que é convertido em energia elétrica, que por sua vez, converterá em energia mecânica, possibilitando a movimentação do veículo.

Seu motor pode ser à 220V e bem mais silencioso que o motor à combustão. O funcionamento deste tipo de veículo é feita através de um regulador que passa a quantidade correta de energia das baterias ao motor; com base na tecnologia dos dois potenciômetros que ficam ligados ao pedal do acelerador – a quantidade deve-se a uma medida de segurança do veículo.

Há veículos elétricos que a energia dura para até 80 Km, sendo que é possível recarregar o carro em uma tomada e variada de acordo com o veículo. Além disso, uma curiosidade – os carros elétricos não precisam de marchas para andar, e sim, somente as funções de aceleração e ré. É preciso apenas “ligar” o carro. A energia elétrica utilizada é medida através do medidor voltímetro.

Os veículos E-Flex

O famoso Chevrolet Volt é um exemplo de um veículo que roda de forma elétrica até 65 Km com a carga da bateria e, após isso, é preciso deixar o tanque com gasolina para acionar o gerador e continuar fornecendo a energia que o veículo precisa para funcionar. Os engenheiros da GM estão estudando a possibilidade de, nos modelos futuros, ele já aceitar etanol com gasolina para o acionamento dos extensores de autonomia do veículo. Para estes carros, são colocadas baterias de lítio e basta conectar o carro em uma tomada de 110V ou 220V.

Outra novidade dos motores elétricos são os protótipos que utilizam hidrogênio para andar, ou seja, andam através da reação química do gás. Um exemplo é visto facilmente no modelo Honda FCX, que recebe uma descarga de 220V e custa cerca de 1 milhão de reais.

Leia também:

Benefícios dos motores elétricos

Existem mais de 100 protótipos de veículos elétricos e eles já saíram há muito tempo dos filmes de ficção científica. Com autonomia e desempenho semelhantes aos carros à combustível, ele consegue atender às necessidades da vida moderna em grandes cidades e não poluir o meio ambiente, pois é um veículo não poluente.

O custo para manter o carro com recargas é mais baixo que utilizar o carro com abastecimento com petróleo, e o valor do veículo tende a ser mais baixo – uma vez que o motor não necessita de escapamentos, óleo, mangueiras, etc. Os motores elétricos de veículos tem a ideia central de diminuir os custos em relação aos veículos à combustível e mudar o cenário de transportes no país.

Veja como funciona o motor elétrico convencional:

E aí gostou? Deixe seu comentário abaixo.

Mais sobre: EnergiaVerde oficinacarros motores
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar