As 10 melhores aberturas de séries e seu significado

Confira a nossa lista com as melhores aberturas de séries modernas e descubra qual é a relação entre elas.

Por | @grasiel_grasel Entretenimento

Uma das partes mais legais das séries, infelizmente ignoradas por boa parte de seu público, são as suas aberturas. As introduções são feitas justamente para mostrar ao espectador que mais um episódio de sua tão adorada saga está começando e, se ela for boa o suficiente, pode tornar-se um dos motivos para ele estar parado em frente à televisão ou o computador gastando algumas horas de sua vida com esta dádiva do entretenimento.

Para mostrar que as aberturas são muito mais interessantes e importantes do que você imagina, criamos essa lista com as dez melhores introduções de séries modernas, no entanto, deixemos avisado que escolhemos apenas produções um pouco mais atuais e eliminamos aberturas de animações incríveis como, por exemplo, Os Simpsons, portanto, não fique triste se uma série clássica que você gosta não está por aqui, é provável que ela esteja em outra lista, em uma outra oportunidade, aqui no Oficina da Net. ;)

The Walking Dead

Se existe uma abertura de série capaz de ser mais apavorante do que seus próprios episódios, esta certamente é a de The Walking Dead, afinal, não apenas suas cenas em ambientes macabros, mas também a trilha sonora que passa uma sensação constante de perigo e tensão são capazes de arrepiar até os mais céticos.

Assim como em outras séries, as mudanças em suas cenas a cada nova temporada são bastantes perceptíveis, no entanto, nenhuma modificação é forte o suficiente para tirar suas características apavorantes, como o forte sombreado e as cores mortas e cinzas utilizadas.

American Horror Story

A cada nova temporada de American Horror Story, uma nova história é contada e, para ilustrar todos os principais fatos da season, uma abertura temática com takes e imagens ligados a fatos que veremos são apresentadas de maneira genial, afinal, elas não dão nenhum spoiler dos acontecimentos, mas perceber ao longo dos episódios cada referência da abertura é simplesmente incrível!

Os temas macabros de cada nova abertura são um dos pontos principais da série, e Asylum, a segunda temporada de American Horror Story, tem uma das aberturas favoritas de seus fãs.

Mad Men

Na abertura de Mad Men vemos um personagem caindo em meio a prédios repletos de propagandas publicitárias, algo que tem bastante relação com a perda de identidade pessoal de seus personagens com o desenrolar da trama e, inclusive, este ser da abertura, que é apenas uma sombra sem rosto, é diretamente ligado ao protagonista, que mesmo estando visivelmente procurando se descobrir de alguma maneira, vive tentando mostrar que está no controle.

Essa ideia de uma vida de poder vazio do personagem é ainda melhor representada pelo fato do homem sombra da abertura, que está em constante queda, no instante que está prestes a bater no chão e ser destruído, aparece sentado com uma pose de poder.

House of Cards

Embora pareça uma simples time lapse de monumentos e locais importantes em solo Americano, a abertura de House of Cards é tão emblemática e inteligente quanto seu próprio protagonista, Frank Underwood.

A própria trilha sonora, criada por Jeff Beal, é uma forma de instigar duas características muito comuns no protagonista da série: grandiosidade e obscuridade. Com a música tema é possível sentir o tamanho poder que o posto tão almejado por Underwood exala, principalmente quando associado aos monumentos e prédios imponentes dos Estados Unidos, que são uma característica fortíssima do poder americano.

Outro aspecto bastante perceptível na abertura é a maneira como a noite e as sombras vão lentamente tomando conta dos ambientes retratados, o que pode ser diretamente ligado com a lenta tomada do poder por Underwood.

Vikings

Vikings pode não ter a abertura mais complexa e bem produzida, mas suas características são mais que suficientes para mostrar com excelência como funciona a série e o estilo viking de viver, principalmente pela quantidade de cenas na água, fazendo referência direta aos poderosos e imponentes barcos vikings, que já foram referência em equipamento naval na sua época.

Ao longo das temporadas, uma diferença sútil torna-se cada vez mais aparente nas aberturas da série: o fogo, que ganha mais espaço na abertura a cada season, aspecto este que faz ligação direta com os poderes que os protagonistas vão adquirindo e também ao misticismo, que vai aumentando sua influência sob a trama.

A trilha sonora da série também não foi escolhida em vão, em If I Had A Heart, de Fever Ray, os versos “This will never end Cause I want more” (Isto nunca vai terminar Porque eu quero mais) fazem clara referência ao ímpeto Viking em querer conquistar cada vez mais terras, o que certamente traz coisas boas ao povo nórdico, mas também sabemos que foi o motivo de sua ruína ao longo da história.

Demolidor

Um dos heróis mais obscuros da Marvel não poderia ter uma abertura diferente se não banhada a sangue, e o fato de vermos tanto do líquido vital na intro remete mais do que apenas à violência de uma produção baseada em um super-herói, ela está muito ligada a sua ambientação e história.

Hells Kitchen, o bairro de Nova Iorque onde vive Demolidor, está sob constante ataque de mafiosos e organizações criminosas que buscam tomar o controle da região tão amada pelo protagonista, o que nos leva a crer que ela está quase literalmente sangrando, e é exatamente por isso que vemos monumentos e construções de Nova Iorque sendo cobertos por sangue ao longo de toda a abertura, assim como a deusa Têmis, que aparece já na primeira cena e é símbolo da Justiça, que na série é constantemente conquistada na base da violência.

O fato de só podermos identificar as figuras que estão sendo encobertas pelo líquido vermelho viscoso também está ligado ao protagonista, que embora seja cego, é poderoso o suficiente para perceber que seu bairro está afundando, e ele fará de tudo para protege-lo, mesmo que isso o faça lutar “até ficar coberto de sangue”.

Narcos

A abertura de uma série baseada na vida do maior narcotraficante de todos os tempos certamente deve ser tão incrível quanto a sua história, e é claro que, para uma produção a este nível, com produção e elenco brasileiro, elementos que a diferenciam de toda e qualquer outra intro são indispensáveis.

Com recursos visuais que buscam reproduzir provas policiais e anotações de narcotraficantes, a abertura de Narcos é única, ela mistura ambos os efeitos com cenas tanto produzidas especificamente para a série como também gravações e registros reais de Pablo Escobar e sua família, tentando mostrar da melhor maneira possível como o protagonista chegou ao poder tão rapidamente e o quão rico o tráfico o tornou.

A edição e escolha de cenas são tão absurdamente bem feitas que a tentativa de mostrar em poucos segundos a vida de Escobar como um traficante fica bem visível, desde as primeiras exportações de cocaína para os Estados Unidos, a sua máxima posição como um dos homens mais ricos do mundo, a constante luta contra o DEA americano a até mesmo seus momentos de crise total e perigo de morte.

Orange is the New Black

Uma das aberturas que melhor sabe como ambientar sua série em poucos segundos é a de OitNB, nela temos ex-presidiárias reais que aceitaram participar da abertura mostrando apenas seus olhos ou boca em uma série de fotos acompanhadas pela trilha You’ve got Time (você tem tempo), que parece ter sido feita para o enredo da produção ao cantar frases como: “é fácil dar passos, difícil é ficar parado”.

Além de ser muito bem editada, a abertura também passou por uma escolha de cores mais escuras e com um alto teor de contraste, o que nos permite analisar cada rosto que vemos, nos instigando a imaginar o que cada uma delas possa ter vivido atrás das grades.

Dexter

Dexter tem uma das aberturas mais aclamadas de todos os tempos, ela mostra uma rotina aparentemente normal de um homem que acorda todos os dias, faz a barba, toma o café da manhã, veste suas roupas e sai para trabalhar, no entanto, sabemos que o protagonista é um serial killer, e cada cena da intro é bastante subjetiva a isto.

Já nas primeiras cenas, vemos o personagem fazendo a barba, mas repare que o ângulo da cena e suas sequencias fazem com que isto pareça um assassinato, como se alguém estivesse tendo a garganta cortada. Em seguida, vemos o personagem abrindo uma embalagem de carne, mas admita, em um primeiro momento você achou ter visto um corpo sendo cortado, não é mesmo? São essas e outras cenas que mostram, de maneira “oculta”, a personalidade assassina do protagonista.

São esses jogos de câmera e sequência de imagens que criam toda a beleza e genialidade da abertura, o que torna essa uma das melhores indtroduções de séries de todos os tempos.

Game of Thrones

Baseada em mapas desenhados pelo próprio autor George R. R. Martin, Game of Thrones tem uma das aberturas mais geniais e viciantes de toda a história da teledramaturgia, nela os prédios e construções característicos de regiões de Westeros aparecem sendo levantados de uma maneira que é inspirada no funcionamento de engenhocas de Leonardo da Vinci, o que dá um visual simplesmente incrível para as construções.

Ao longo das temporadas, de acordo com mudanças na trama que envolvam territórios, as construções e bandeiras de casas que dominam Weteros vão mudando na abertura, tornando-a virtualmente um mapa em tempo real da série, o que é de uma genialidade absurda. Ah, e não vamos esquecer da trilha sonora incrível, que é outro aspecto da introdução que a torna muito viciante.

Leia também:

E aí, você pode contar pra gente quais são as suas aberturas favoritas em séries? Deixe o seu comentário abaixo!

Mais sobre: series listas netflix
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo