Google e Facebook não irão permitir vídeos extremistas

Inicialmente, a tecnologia empregada foi desenvolvida para identificar e ainda remover os conteúdos protegidos por direitos autorais.

Por | @oficinadanet Redes sociais

Grandes sites de vídeos iniciaram o uso da automação para conseguir remover conteúdo extremista de seus sites, disseram pessoas próximas ao assunto.

O movimento é um passo importante para que as empresas de Internet consigam dar fim as propagandas violentas que circulam em seus sites. Tudo isso, em razão da pressão de governos em todo o mundo, já que os ataques estão cada vez maiores.

Google e Facebook não irão permitir vídeos extremistas

Leia também:

Entre os sites que trabalham para bloquear ou mesmo remover os conteúdos do Estado Islâmico e ainda materiais similares estão o YouTube e Facebook.

Inicialmente, a tecnologia empregada foi desenvolvida para identificar e ainda remover os conteúdos protegidos por direitos autorais. Porém, o sistema pode bloquear as tentativas de repassar o conteúdo que seja identificado como inaceitável.

De acordo com uma fonte, no final de abril, sob pressão do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e ainda outros líderes do país e também da Europa, empresas como YouTube, Twitter, Facebook e CloudFlare começaram a discutir opções, incluindo um sistema de bloqueio apresentado por um projeto privado de combate ao extremismo.

As discussões mostraram a situação complexa, porém, bastante importante das empresas mais influentes do mundo em questões como o terrorismo e também a liberdade de expressão.

Willian Fitzgerald, porta-voz para a unidade do Alphabet, que é detentora do Google e YouTube, preferiu não manifestar o fato. Já um porta-voz do Twitter informou que a empresa está avaliando a proposta contra o extremismo e que “ainda não tomou uma posição”.

O assunto, claro, bastante difícil, e que certamente gerará ainda vários confrontos. Porém, necessários, já que a redes sociais são valiosos instrumentos de disseminação de opiniões e claro, conteúdos.

Mais sobre: segurança facebook google
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar