Em 2017, mais de 7 mil malwares de IoT foram descobertos

Entre janeiro e maio deste ano, os pesquisadores encontraram 7.242 amostras de malwares em aparelhos conectados.

Por | @oficinadanet Internet

Com o decorrer do tempo, uma quantidade maior de dispositivos conectados à internet e entre si estão disponíveis. Com isso, o número de malwares que possa atingir tais aparelhos também registrou um aumento considerável. A conclusão é da Kaspersky Lab após cinco meses de estudo em busca de ameaças envolvendo a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).

Entre janeiro e maio deste ano, os pesquisadores encontraram 7.242 amostras de malwares em tais dispositivos. O número corresponde a 74% a mais do que o número total de amostras detectadas no período entre 2013 e 2016.

Dispositivos conectados também estão vulneráveis! Dispositivos conectados também estão vulneráveis!

Leia também:

De acordo com os cientistas, os ataques existem há alguns anos, porém, acabaram tendo um aumento em 2016 através do surgimento da bonet Mirai. Atualmente existem muitos dispositivos conectados à internet, de acordo com a Gartner, a soma chega a 6 bilhões no mundo todo.

"É uma tendência que está longe de ser reversível e aumenta a cada dia. Isso nos leva à urgência de pensar sobre quais medidas de segurança devem ser tomadas para esse tipo de tecnologia", diz Roberto Martinez, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab.

Entre os aparelhos conectados à internet estão termostatos, geladeiras, sensores, pulseiras inteligentes, portas de garagem, e até brinquedos. Tais produtos acabam ficando mais vulneráveis já que, no geral, não recebem tantas atualizações de segurança. Após serem invadidos, além de serem controlados remotamente, podem servir também como porta de entrada para a invasão de outros eletrônicos da casa.

Mais sobre: internet iot malwares
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo