KZ: conheça o caso da empresa de fones de ouvido que enganou milhares de consumidores

Grande fabricante chinesa de fones de ouvido in-ear, KZ, é exposta e descobriu-se que a empresa enganou milhares de consumidores. Entenda!

KZ x Crinacle CRN. Fonte: Crinacle
KZ x Crinacle CRN. Fonte: Crinacle

A KZ Audio é uma fabricante de fones de ouvido chinesa que acabou ganhando uma grande popularidade por oferecer produtos baratos e com uma qualidade de som que surpreendeu a muitos pelo preço cobrado. Muitos diziam que era incrível ver que fones de ouvido de menos de US$ 10, como o KZ EDX,ou menos de US$ 20, como o KZ ZSN Pro, conseguirem resultados que superavam modelos dezenas de vezes mais caros.

Por mais que os in-ears vendidos pela KZ impressionassem, havia algo estranho que o público mais experiente não entendia. Os múltiplos drivers (alto-falantes) [1] e projetos híbridos (mais de uma tecnologia de driver utilizada) [2] apresentados em diversos modelos estavam sendo vendidos a preços extremamente baixos, algo que não era comum antes do "boom" de IEMs (in-ears monitor) chineses. Até aquele momento, por mais estranho que fosse o que se cobrava pelo que era oferecido, todos só elogiavam e nenhuma indagação era feita. Entretanto, no dia 5 de março de 2022, o usuário "Delta Fyre" do grupo "ChiFi Audio Reviews" no Facebook postou um texto com imagens anexadas (imagem abaixo) que aparentemente provava que a KZ enganou, e estava enganando, milhares de consumidores.

[1] Artigo sobre quais são as tecnologias de drivers que existem em fones de ouvido.

[2] Artigo sobre o que são fones de ouvido in-ear híbridos.

Publicação do usuário Delta Fyre do grupo ChiFi Audio Reviews no Facebook.
Publicação do usuário "Delta Fyre" do grupo "ChiFi Audio Reviews" no Facebook.

KZ é exposta

Assim como o KZ ZS10 Pro, um dos fones mais vendidos da KZ, o KZ x Crinacle CRN (KZ ZEX Pro) possui uma configuração híbrida de drivers (mais de uma tecnologia de alto-falante), sendo o primeiro com 4 BAs (balanced armatures ou armaduras balanceadas) e 1 DD (dynamic driver ou driver dinâmico) e o segundo com 1 DD, 1 BA e um driver magnetostático [3]. A publicação acima descreve um teste feito com o modelo "KZ x Crinacle CRN", onde é relatado que, mesmo após desconectar os fios dos drivers BA e magnetostático, o som permaneceu o mesmo, dando a entender que somente o driver dinâmico (DD) estava realmente funcionando e gerando o gráfico de resposta de frequência do fone de ouvido.

[3] Funcionamento do driver magnetostático: Ao invés de se mover livremente devido a uma alta tensão aplicada entre duas placas, como um driver eletrostático (chamado de EST em in-ears), o diafragma do driver magnetostático vibra através da utilização de dois imãs fixos. Toda a superfície do diafragma se move uniformemente para obter uma distorção menor.

A reação da comunidade

Após a revelação de que apenas um único driver (alto-falante) do fone de ouvido da KZ que foi feito em parceria com o "Crinacle", um hobbysta de fones de ouvido responsável pela maior base de dados de IEMs do mundo (são mais de 1000 in-ears testados), contando com gráficos de resposta de frequência (frequency response) e um ranking, houve um grande ataque à fabricante chinesa de fones de ouvido e às pessoas que fizeram parcerias para o lançamento de modelos com a assinatura delas ("Crinacle" e "HawaiiBadboy" do canal Bad Guy Good Audio Reviews no YouTube).

O Crinacle chegou a responder a diversos ataques ao seu trabalho no subreddit "headphones" no tópico publicado pelo usuário "I_Am_Fyre" sobre o desenvolvimento do in-ear lançado em parceria com a KZ. Entretanto, isso não foi o bastante para cessar a onda de críticas a ele e à empresa chinesa. Então, Crinacle decidiu publicar no dia 7 de março uma grande explicação sobre a situação e o processo de criação do fone de ouvido "KZ x Crinacle CRN". Na publicação, foi dito que o projeto para a criação do novo in-ear foi feito através de opiniões que o Crinacle enviava à KZ com base em amostras que ele recebia.

O desenvolvimento do KZ x Crinacle CRN foi um grande desafio, pois o equipamento de medição de resposta de frequência do Crinacle era diferente do que a KZ utilizava, dificultando consideravelmente os ajustes. Felizmente o resultado desse "experimento" foi positivo e tivemos uma boa recepção com o KZ ZEX Pro e com o "KZ x Crinacle CRN" (são o mesmo fone e foram desenvolvidos pelo Crinacle). Porém, alguns consideraram que, neste processo, houve uma falta de cuidado por parte do Crinacle e também do "HawaiiBadboy", pois os consumidores tinham um grande respeito por ambos e não esperavam "problemas nos drivers" utilizados pela KZ.

KZ x HBB DQ6S. Fonte: the Honest Audiophile (YouTube)
KZ x HBB DQ6S. Fonte: the Honest Audiophile (YouTube)

Com a chuva de críticas caindo incessantemente sobre a KZ e os responsáveis pelo lançamento de in-ears com tuning personalizado, o "HawaiiBadboy" publicou no dia 7 de março um vídeo em seu canal "Bad Guy Good Audio Reviews" afirmando que dos 3 drivers (alto-falantes) utilizados no KZ x HBB DQ6S, somente o driver dinâmico de imã duplo (dual magnetic dynamic driver) estava funcionando.

Dois dias depois, a KZ Audio publicou em sua página no Facebook [4]um grande texto sobre o caso, mas infelizmente não tivemos um pedido de desculpas e a empresa se recusou a admitir que errou de diversas maneiras no projeto de seus fones de ouvido.

[4] A publicação com a imagem foi apagado pela empresa, mas o Oficina da Net salvou a imagem.

Comunicado da KZ Audio a respeito do caso dos drivers sem função em seus fones de ouvido. Fonte: KZ Official (Facebook)
Comunicado da KZ Audio a respeito do caso dos drivers "sem função" em seus fones de ouvido. Fonte: KZ Official (Facebook)

Conclusão

Por mais que a KZ Audio tenha lançado fones de ouvido que fizeram grande sucesso devido a qualidade sonora entregue pelo preço, é inaceitável e desnecessário enganar o consumidor da forma como a empresa enganou. Além de gerar uma quantidade enorme de lixo, pois diversos drivers (alto-falantes) da marca estão ali somente "de enfeite", a companhia mentia sobre as configurações de seus in-ears na embalagem do produto. Isso faz com que a desenvolvedora perca totalmente a credibilidade que ganhou no mercado.

Embora o ocorrido seja chocante, já era algo que alguns esperavam, pois acredita-se que é impossível criar projetos consistentes de fones de ouvido em um período tão curto. A KZ lançou dezenas de fones em 12 meses e foi assim por anos. Se pararmos para observar outras empresas do ramo, veremos um ritmo de lançamento consideravelmente menor, tendo inclusive momentos em que não há lançamento algum por anos, pois o desenvolvimento de um fone de ouvido, se bem-feito, leva um tempo considerável.

Há também o fato de que a KZ Audio lançou fones de ouvido com 10 drivers de armadura balanceada (BAs) por lado e até mesmo 16 BAs como o KZ ASX e o KZ AS16, respectivamente. O primeiro custa atualmente US$ 85 e o segundo US$ 77, algo completamente absurdo considerando que fones in-ear custom (CIEMs) [5] que possuem essa configuração custam mais de 1000 dólares. Isso claramente provou que a KZ usou a quantidade de drivers como forma de marketing [6] e obviamente o resultado sonoro entregue pelos fones citados estavam muito aquém do esperado, além de apresentar uma sonoridade muito estranha.

[5] Saiba que são os fones in-ear custom (CIEM)/ personalizados
[6] Entenda porque quantidade de drivers nos fones de ouvido é sinônimo de mais qualidade

Especial: Série de artigos sobre Fones de Ouvido

Confira a série especial de artigos, em parceria com a Fones High End (Facebook, Instagram, Twitter), onde é mostrada uma nova perspectiva descomplicando tudo sobre fones de ouvido!

Como funciona?

O Som

Tecnologias

Como escolher?

Dicas

Tutoriais

Artigos

Reviews

A História

Entrevistas

Perguntas frequentes

A KZ utiliza drivers falsos?

Sim, em março de 2022 descobriu-se que a KZ Audio utiliza drivers "fake" que só servem para fins de marketing.

Melhor notebook que já testamos!

Comentários
Minha foto
Insira um comentário