Logitech G413 Carbon, o mesmo problema - Review

A Logitech trouxe ao mercado o G413 Carbon, que conta com os switches Romer-G, uma placa de alumínio em sua parte superior e um dos melhores pós-vendas mundiais, será que ele vale a pena? Vamos conferir.

Por Hardware Pular para comentários

O Logitech G413 Carbon basicamente como uma substituição ao G610 que fez bastante sucesso aqui no Brasil com preços bem baixos, além de contar com switches Cherry.

Há diferenças significativas entre ambos os modelos, a maior é realmente a troca dos switches Cherry por Romer-G, na qual não foi muito bem aceita pelo usuários mais exigentes.

Mas, estamos aqui para analisar se realmente há alguma piora com essa troca ou se a Logitech realmente tomou a decisão certa de adotar a mesma política que já havia sendo aplicada no G810 em seu teclado mecânico de menor custo. Vamos então ver como ela se saiu e se realmente vale a pena comprar este teclado que fica em torno dos R$ 460.

Logitech G413 CarbonÉ claro que não íamos deixar de fazer um vídeo com esse tecladinho que tantas pessoas pedem para review todos os dias, então aí vai:

Construção Externa e Design

Na parte externa, iremos começar por cima. A grande maioria dos teclados neste estilo possuem uma placa de plástico que imita o aço/alumínio escovado, no caso do G413 Carbon ela não é uma imitação, mas sim alumínio 5052 escovado. É fácil de perceber isso logo pela manhã quando começo a digitar e a placa está fria.

Placa de alumínioEle contém o logo da Logitech G em preto na lateral direita, e do lado da logo temos 2 sinais de LED: o A mostra se o CapsLock está ligado enquanto que o G mostra se o Game Mode está ativo. O Game Mode pode ser ativado segurando FN + F8 e ele bloqueia teclas que acidentalmente minimizariam um jogo, como a tecla Windows.

Logo da Logitech GIndo para as laterais, que a propósito são feitas em plástico ABS bem fino, só encontramos 2 detalhes. Um deles é a marcação "G413" na lateral esquerda, a cor é um cinza bem sutil e não chama nenhuma atenção. O outro detalhe é a porta USB localizada na lateral traseira, algo bem útil para quem troca de dongle/mouse frequentemente.

G413 está impresso na lateral esquerda do tecladoAgora vamos ao cabo, que é comprido o suficiente, mas a principal característica dele é a envergadura, por conter 2 saídas USB, o cabo é bem grosso e pode incomodar um pouco dependendo de como o seu setup está organizado na mesa. Felizmente, as pontas USB são de tamanho normal, então não vão retirar espaço de outros plugs na hora de encaixá-lo em algum lugar.

O cabo atrapalha ás vezesEmbaixo do teclado vemos o possível motivo do nome "Carbon" ao G413, há uma textura maquinada no plástico que lembra - um pouco - a fibra de carbono, por que não colocar adesivos de textura de fibra de carbono já que vão colocar no nome? Não entendi isso até hoje, e essa pergunta não é exclusiva somente a Logitech, mas a outras marcas também.

Textura Carbon na parte traseira do tecladoVoltando ao review, temos 5 pés de borracha que mantém o teclado no lugar, muito bem inclusive, e também há pés de borracha no apoio para elevar a traseira do teclado. Há um mini organizador de cabos, que provavelmente não cabe cabo algum e informações gerais do teclado como SN, modelo, versão, etc.

Apoios emborrachados uhulMesmo reclamando sobre o nome e a falta de textura de fibra de carbono, realmente gosto muito da aparência do G413. Ele é simples, mas com pequenos detalhes que complementam muito bem o visual e agradam bastante, e isso se estende ao tato, também. Infelizmente, não devemos julgar um livro pela capa, e nas sessões abaixo vocês descobrirão o porquê.

A atenção ao detalhe na parte astética é muito boaKeycaps

Vamos então ao primeiro item polêmico dos teclados da Logitech: suas keycaps. Eu não sei exatamente quantas vezes já vi reclamações de teclas simplesmente quebrarem ou se desfazerem completamente sem mais nem menos.

E as keycaps do G413, como elas são? Infelizmente, elas são exatamente o que temíamos, a mesma coisa dos últimos anos. Mais um teclado que tem tudo pra dar certo mas que por causa de basicamente pura preguiça da marca não consegue ir bem em nenhum review.

Keycaps da esquerda pra direita: Alloy Elite, Phantom Elite e G413Não me entenda mal, não acho as keycaps feias de jeito algum, no meu ver a fonte utilizada complementa o estilo simples do teclado muito bem e eu acho elas muito bonitas, mas sua qualidade é extremamente baixa, ficando muito difícil elogiar alguma coisa nelas fora a fonte. Nem o método de impressão é dos melhores, sendo laser-etched.

Fonte das keycaps é eleganteMarcas como a Logitech, Corsair, Cougar, Cooler Master, Razer e outras deveriam aprender com marcas menores a utilizaram keycaps que ao menos durem alguns anos, e não algo que vá quebrar ou perder a tinta logo nos primeiros meses de uso. Se continuarem assim, irão perder cada vez mais mercado para as marcas como Redragon, Gamdias, Ducky, Havit, dentre outras.

Switches

Como já foi dito tanto na introdução do texto quanto na parte das keycaps, os switches utilizados no G413 Carbon são dá própria marca e são chamados de Romer-G. No modelo de nosso review, contamos com os Romer-G Tactile, que tem um pequeno bump tátil durante o pressionamento da tecla.

Segundo a Logitech, o ponto de ativação acontece aos 1.5mm de distância, enquanto que a distância total ao acionar o switch é de 3.2mm. A força necessária para atuar a tecla é de 45gf (gram-force), comparando este switch a outros que também tem o Bump, ele se aproxima do Cherry MX Brown, Gateron Silent Brown e Kailh Box Brown.

O switch tem casing que ajuda na difusão de luzPorém, mesmo que a Logitech diga que este switch precisa de 45gf para ativação, eu terei que discordar completamente. Tenho Cherry MX Brown em casa há anos, além de estar com o Tecware Phantom Elite com Kailh Box Brown aqui do lado, e a força de ativação deste Romer-G Tactile é significativamente maior. Outra coisa que tenho que dizer é o quão mal lubrificados são estes switches, fazer um pressionamento lento é basicamente impossível sem dar aquelas "trancadas" na parede e descer 20% da distância de uma só vez.

Além disso, os encaixes de Keycaps são HORRÍVEIS e reclamação de teclas quebrando é o que não falta, fora a impossibilidade de trocar as keycaps por outras, nem da própria marca já que ela não vende o kit separadamente.

Keycaps da esquerda pra direita: G413, Phantom Elite, Alloy EliteVejo que atualmente, a Logitech tem 2 saídas para seus teclados:

1 - Desistir do Romer-G e voltar a usar Cherry MX, como ela já fazia no G610 - não entendi até agora o porquê de ser só nele;

2 - Refazer o projeto do switch, eliminar os problemas de má lubrificação, corrigir as forças de atuação e fazer o encaixe no padrão Cherry, assim como basicamente todas as outras fabricantes já fazem.

Se ela não estiver disposta a fazer isso, a situação dela no mercado de teclados não irá melhorar e sua má fama que já vem há algum tempo neste segmento só irá aumentar. Por favor Logitech, adoramos você como marca, em mouses vocês são 10, mas arrumem estes teclados.

Construção Interna

Para abrir o G413, primeiramente temos que remover todas as keycaps, o que já me dá medo com estes engates extremamente frágeis. Após remover as keycaps, você irá encontrar 28 parafusos, remova todos. Também é necessário remover 2 borrachas traseiras, ambas na parte traseira superior. No total, temos 29 ou 30 parafusos, eu honestamente me perdi na conta de tantos parafusos. Isso é um EXAGERO, nenhum teclado precisa de mais do que 7 parafusos para ser fechado, e outros modelos são prova disso.

Enfim, pelo menos ele é bem rígido, e você provavelmente consegue usá-lo como arma branca, vantagens e desvantagens, né?

Vamos começar pela controladora, ela é uma STM32L100, que é 16 Bits e como a própria criadora, é uma opção "Budget". Se você tem curiosidade e quer ler mais afundo sobre ele, basta acessar o site que deixei em hyperlink aqui no texto.

A conexão do cabo USB a PCB é feita por um plug 4 pinos, porém me parece que o mesmo foi colado, pois não consegui remover e fiquei até com medo de arrebentar os fios, que já estavam se esticando.

A PCB tem bastante resíduo de solda, e isso não é em apenas um local, mas espalhado por toda a placa. Resíduo não diminui a vida útil do teclado, só deixa a PCB mais feia mesmo. Outro detalhe que percebo é o quão estranha estão as soldas centrais dos switches, que estão todas tortas, sem exceção. Não sei o motivo disso, sendo que outras soldas estão perfeitas.

Há também um switch que foi re-soldado, e ele apresenta muito material de solda, não é a única, mas é a mais evidente.

Se for para pensar, creio que nenhuma irá quebrar com tanta facilidade, mas que poderia ser muito melhor, isso não há dúvidas, e pessoalmente não sei se confiaria em um teclado com essas soldas, ainda mais considerando que levaria ele para lans e afins.

Iluminação

O G413 Carbon tem somente 1 cor disponível para seus LEDs, e ela é vermelha, e a Logitech só disponibiliza 3 efeitos de iluminação em seu software: respiração, estático e visualizador de áudio. Ela é feita da mesma forma que era no G810, na qual a luz não vaza para o teclado em sí, somente dentro das keycaps. Tem um pouquinho de vazamento por baixo? Tem, mas é muito pouco e 97% do tempo você não conseguirá enxergar isso, a não ser que sempre jogue com as luzes desligadas à noite.

Os LEDs são Single-Color, vermelhosEm sua grande maioria, a iluminação é consistente e ilumina bem os caracteres, com atenção até nas funções extras das teclas F7-Pause, onde as funções são side-printed e também iluminadas, e ficou muito bem feito.

A iluminação é aparente mesmo com luzes fortes diretamente sobre as keycapsMas, nem tudo é perfeito e esse é mais um caso, algumas teclas como "+=ª", "Page Down" e "CapsLock" tem partes que há um fade-out, sendo bem visível muitas vezes. Isso infelizmente quebra bastante a harmonia da iluminação e creio que a Logitech precisa centralizar verticalmente a fonte para corrigir isso. É algo que é comum em muitos teclados e que tem se visto cada vez mais comum de acontecer.

Fade out aparece dependendo da iluminaçãoSoftware

O Logitech G Hub, a mais nova iteração do software da marca tem suporte ao G413, caso queira baixar, é só acessar o link abaixo.

>>>>LINK<<<<

Após baixar e instalar, essa é a tela que você irá encontrar ao abrir o programa, clique no teclado para começar a configurar.

Logitech G HUBLogitech G HUB

Ao entrar nas configurações do teclado, provavelmente a primeira aba que irá abrir é a de iluminação, onde como já havia comentado na parte de iluminação do review, só há 3 efeitos e você pode alterar entre eles a qualquer momento, além de ter a possibilidade de desligar a iluminação.

Aba IluminaçãoAba Iluminação

Vamos então a segunda aba, nomeada "Atribuições". Aqui é onde criamos macros e escolhemos o que cada tecla faz. Há infinitas possibilidades não só de macros mas também de funções, o software da Logitech é um dos mais robustos neste quesito e tenho certeza que você provavelmente nunca irá utilizar tudo que esta sessão oferece.

Aba AtribuiçõesAba Atribuições

Na última aba temos a configuração do Game Mode, onde podemos adicionar teclas que serão desativadas quando o modo estiver ativo. Infelizmente não é possível mudar as teclas desativadas por padrão no Game Mode, mas é possível criar outro perfil para o teclado e deixar um macro para a troca de perfis, podendo assim desativar qualquer tecla que deseja.

Aba Game ModeAba Game Mode

Veredito

Falar sobre teclados da Logitech é complicado, por um lado temos uma das marcas mais inovadoras com seus mouses sem fio que lideram o setor, já por outro vemos teclado como este daqui com falhas que parecem ser de marcas principiantes no ramo quando na verdade ela já tem alguns anos de experiência.

Outro aspecto importante de lembrar na hora de dar o veredito para esse carinha aqui é que exatamente no mesmo preço temos o Cooler Master MaterKeys Pro M RGB, que é um teclado de alta qualidade e que realmente merece muito mais atenção do que ele anda recebendo.

Bom, pra terminar, acabo deixando o teclado com um Não Indico, a qualidade geral dele não condiz com o preço cobrado, e há muitos defeitos crônicos que a Logitech precisa arrumar, e isso se estende a quase todos os seus teclados. Caso esteja a procura de um teclado nesta faixa de preço, dê uma olhada na lista de teclados mecânicos abaixo dos R$ 500, que foi recentemente atualizada.

Keycaps, soldas e switches, os principais componentes que constituem um teclado mecânico, são os que mais pecam no G413, sendo assim, sua nota fica apenas com um 5, tendo basicamente todos os seus pontos vindo do acabamento e qualidade externa, que é realmente excepcional.

Logitech G413 Carbon

Compartilhe com seus amigos:
Comentários:
Minha foto
  • Minha foto
    Thiago Souza    •    2 meses

    Teclado com um acabamento bacana e tal, mas 460 pila, acho difícil em.