Anunciado no evento de revelação do PlayStation 5, Resident Evil Village tornou-se um título polêmico desde o momento em que foi revelado ao público. Apesar de empolgar diversos jogadores que sentiram-se satisfeitos com os novos rumos da franquia, Village mostrou ser um passo ainda maior em uma direção que foge do padrão estabelecido durante todos estes anos.

Por mais que tenha sido muito bem explicado, se Resident Evil 7 já abraçava algo parecido com o sobrenatural e outros elementos que pareciam fugir do DNA da franquia, Village em seu primeiro trailer já indicou que colocaria o pé na porta e deixaria completamente estabelecida a nova proposta.

Review Resident Evil Village em vídeo

Ainda que os desenvolvedores tenham feito questão de deixar exposta a inspiração em Resident Evil 4, Village nunca teve a intenção de esconder o que é de fato. Desta maneira, o jogo cumpre sua função e entrega exatamente o que prometeu. Resident Evil mudou. Não há o que discutir.

Mas será que Village é capaz de agradar ou o jogo se perde na própria ambição de trazer o diferente para a franquia?

A resposta é direta. Village é uma mudança necessária para uma franquia que há tempos não era muito relevante. Com novos elementos apoiados em explicações consistentes para que a trama geral não exploda pelos ares, o título entrega com perfeição sua proposta.

Ethan Winters

O retorno de Ethan Winters agradou a muitos jogadores na mesma medida em que desanimou fãs que o consideram um personagem pouco interessante, principalmente perto de protagonistas conhecidos da franquia. Com Ethan, o jogo também traz a não menos polêmica visão em primeira pessoa, que por sua vez também causa inúmeras reclamações de antigos jogadores.

A visão em primeira pessoa é importante para imersão.
A visão em primeira pessoa é importante para imersão.

Após os terríveis acontecimentos da casa dos Baker, Ethan tenta levar uma vida tranquila ao lado de Mia, agora com uma pequena filha chamada Rosemary. O problema é que quando Chris Redfield aparece como uma imagem vilanesca e a filha do casal é sequestrada, Ethan se vê novamente em uma situação desesperadora, desta vez parando em um vilarejo sombrio e repleto de mistérios, enquanto tenta recuperar sua filha, Rose. Desta forma, a jornada se inicia.

Um dos grandes trunfos de Resident Evil Village é tornar Ethan um personagem muito mais interessante. Se antes o protagonista carecia de emoção e "humanidade", agora Ethan se mostra completamente humano, carregado de emoções e com um carisma que deve ser destacado. Sentir pena, alívio, ou qualquer outra sensação com relação ao personagem é agora natural, uma vez que ele consegue quebrar a barreira que antes parecia impedi-lo de ter uma personalidade.

Ethan retorna como um excelente personagem.
Ethan retorna como um excelente personagem.

Com Ethan se mostrando um personagem mais interessante, optar pela visão em primeira pessoa foi novamente a escolha certa, uma vez que com a união destes dois elementos o título faz com que o jogador sinta-se completamente imerso, sofrendo ao lado do personagem principal, sentindo o medo a cada instante e literalmente vivenciando o horror.

A nova face de Resident Evil

Resident Evil Village deixou bem evidente que traria para a franquia uma proposta ainda mais diferente. Devo dizer que o jogo cumpriu esta promessa.

Enquanto cada informação e trailer deixavam evidente o fato de Village abraçar novos elementos com ainda mais facilidade do que Resident Evil 7, o jogo em si faz isso e ainda mais. É também por este motivo que talvez Resident Evil Village não agrade a todos, já que diversas situações e momentos fogem consideravelmente de tudo aquilo que foi estabelecido por títulos anteriores na medida em que o jogo se mostra à vontade ao entregar o medo de maneiras pouco tradicionais para a franquia.

Muitos inimigos fogem do padrão estabelicido pela franquia.
Muitos inimigos fogem do padrão estabelecido pela franquia.

Existem criaturas monstruosas e esquisitas, existem os puzzles e existem até mesmo aqueles inimigos insistentes que não sairão do seu pé e te perseguirão com determinação enquanto você precisa realizar algum objetivo. Porém, Village também ousa ao sair da zona de conforto e oferecer momentos que deixam evidente o desejo de entregar algo mais variado. Se o título anterior já o fazia, Village abraça com ainda mais força aquilo que podemos chamar de sobrenatural ou fantasioso, por mais que no fim das contas tudo seja explicado de maneira satisfatória.

Os chefes são interessantes e alguns lembram antigos inimigos vistos na franquia.
Em Village, você também é perseguido por inimigos intimidadores e persistentes.

Village pode ser avaliado de duas maneiras: É possível avaliar o jogo em si, e desta forma ele certamente funcionará de maneira sublime, com cada característica, situação e elemento se encaixando como parte de um todo excelente. Mas, Village não fugirá de ser avaliado como um Resident Evil, pois é este o nome que carrega. Avaliado desta forma, Village também funciona ao apresentar explicações e sustentações consistentes para suas inovações e ousadias, basta apenas um pouco de boa vontade... no entanto, para os fãs mais radicais e menos abertos a mudanças, Resident Evil Village poderá se mostrar um membro não muito bem vindo da família.

O verdadeiro significado de medo

Resident Evil Village é com toda certeza, um jogo empolgante e desafiador. Na dificuldade máxima o jogo oferece um grande desafio, muito interessante para aqueles que já se sentem à vontade para tentar a sorte. Para aqueles que não são íntimos do gênero ou ainda tem alguma dificuldade para encarar o maior perigo, a dificuldade padrão se torna ideal para não estragar a experiência, proporcionando um desafio interessante e uma jornada realmente satisfatória.

Ao chegar no vilarejo, Ethan rapidamente percebe que as coisas por ali não serão simples. Devo mencionar aqui o incrível trabalho da Capcom ao saber exatamente como criar um excelente clima de tensão, com a constante sensação de algo pesado e sombrio no ar.

Explorar o vilarejo e outros ambientes é de fato assustador.
Explorar o vilarejo e outros ambientes é de fato assustador.

Tanto no vilarejo em si quanto em outros ambientes, como o grandioso castelo de Dimitrescu, Village é perfeito em aproveitar cada mínimo detalhe para criar uma atmosfera intimidadora e apavorante, mantendo o jogador a cada instante com a sensação de incômodo por saber que o mal pode estar em qualquer lugar. Com gráficos que não deixam a desejar e áudio digno de aplausos, o título apresenta o verdadeiro significado de medo.

Ótimos chefes e inimigos

Village também brilha com os quatro lordes do vilarejo, sendo eles Alcinda Dimitrescu, Karl Heisenberg, Donna Beneviento e Salvatore Moreau. Ainda que o jogo peque na hora de utilizar certos personagens e se livre rapidamente de alguns elementos e situações que poderiam ser melhor explorados, o título compensa tais falhas ao entregar grande variação de desafios, com batalhas, etapas e encontros com chefões que são bem alternadas e oferecem as diferentes faces do medo, algumas focadas no horror puro enquanto outras puxam mais a ação do jogo.

Os Licanos são realmente assustadores e inteligentes.
Os Licanos são realmente assustadores e inteligentes.

Os inimigos mais comuns que encontramos pelo caminho também se mostram intimidadores e tornam a jornada muito menos tranquila. O destaque neste ponto fica para os Licanos, que aparecem com alguma frequência, mas nunca se tornam menos assustadores. A excelente inteligência artificial destes oponentes faz com que sejam os mais capazes de causar sustos repentinos, com os seus momentos no jogo entregando situações de grande pavor e angustia.

Excelente gameplay

Resident Evil Village também sabe entregar qualidade tanto em seu combate quanto na exploração e solução de puzzles. Sim, da maneira que os fãs da franquia estão acostumados, Village faz com que o jogador precise coletar chaves, itens e resolver quebra-cabeças para avançar em sua jornada. É comum explorar o mesmo ambiente mais de uma vez, com a necessidade de retornar a locais específicos para enfim prosseguir após ter realizado os objetivos necessários ou ter coletado os itens exigidos.

Os puzzles se mostram bastante simples, com alguns exigindo apenas um pouco mais de atenção para que o jogador consiga entender o que precisa ser feito. Porém, ainda que sejam simples, os puzzles funcionam de forma geral, principalmente quando combinados aos outros elementos do título.

O jogo entrega diversos momentos com objetivos e chefes bem variados.
O jogo entrega diversos momentos com objetivos e chefes bem variados.

É interessante afirmar que tudo é muito natural e fluido, impedindo a sensação de repetição exagerada. Passar pelo mesmo lugar mais de uma vez não se torna cansativo, pois toda a repetição e cada objetivo estão presentes na quantidade e maneira ideal.

É sempre bom visitar o Duque!
É sempre bom visitar o Duque!

No combate, Ethan se mostra muito mais íntimo das armas, o que é bem explicado de maneira rápida e direta. Elementos conhecidos como organizar seu inventário também podem ser cruciais aqui. O Duque, que funciona até mesmo como safe room em momento importante, também se mostra muito útil ao oferecer armas, melhorias e outros itens, fazendo com que o retorno do mercador seja muito bem vindo. Vale lembrar que se está faltando alguma moeda lei, é sempre bom ver o que você tem para oferecer, afinal o Duque também é um bom comprador.

Ethan, agora além de continuar sendo capaz de bloquear, também pode empurrar inimigos para longe. O combate de Village funciona, muito bem devo dizer, com uma mira satisfatória e sem apresentar problemas que atrapalhem a experiência de forma geral.

O veredito: Uma obra prima do Horror

Prós
  • Excelente gameplay de forma geral
  • Incrível imersão
  • Ótimo trabalho de áudio e excelentes gráficos
  • Entrega o verdadeiro significado de medo de maneiras variadas
  • Ótimos chefões
Contras
  • Alguns elementos e personagens poderiam ser melhor aproveitados
Resident Evil Village
10.0

Resident Evil Village é um título que expande uma inovação. O que foi iniciado em Resident Evil 7, aqui é maior e mais ousado. Enquanto o jogo anterior preocupou-se em apresentar novos elementos de uma maneira mais contida, Village não tem medo e nem vergonha de assumir o que é de fato, se permitindo apresentar "bizarrices" que funcionam muito bem na sua proposta.

Village é mais que o seu antecessor, em qualquer aspecto. Mais assustador, mais intimidador, mais inclinado a entregar ação... o título é até mesmo mais valente ao apresentar uma trama ampla de forma geral dentro de sua franquia.

Certamente polêmico, mas não menos excelente por este motivo, Resident Evil Village é uma obra prima do horror.