Os últimos dados informados pelo Ministério da Saúde mostram que já são 2.483.191 os casos confirmados de Covid-19 no Brasil. O país é o 2º país mais contaminado do mundo, somente atrás dos EUA. Só na quarta de 29 de julho foram registrados 40.816 novos. As informações oficiais foram divulgadas pelo Ministério da Saúde na noite de ontem, que informou ainda que 88.539 mortes já estão confirmadas, 921 só nas últimas 24h. Já se pegarmos os dados obtidos pelo consórcio dos veículos de imprensa formado por G1 e Uol, o número é de 90.383 mortes até esta quinta.

O Ministério da Saúde voltou a exibir a divulgação dos números totais da Covid-19 no país. Após ter o site tirado do ar no início de junho e prometendo um novo modelo de divulgação, o governo foi acusado de omitir dados e então retornou com o anúncio das novas atualizações. Segundo o Ministério, uma encomenda de 100 milhões de vacinas que estão em fase avançada de testes em Oxford, Inglaterra, já foi feita. Destas, 15 milhões chegariam já em dezembro. Veja:

Mortes causadas pelo Coronavírus no Brasil

Do total de mortes registradas, 25% são só no estado de São Paulo, que junto com RJ, CE e PE já somam mais de 50 mil, locais onde a doença está mais avançada. Há registro de óbitos em todos os estados e no DF. Veja os estados com maior número de mortes até esta quinta de 30 de julho:

  • São Paulo - 21.676 mortes
  • Rio de Janeiro - 13.033 mortes
  • Ceará - 7.613 mortes
  • Pernambuco - 6.421 mortes
  • Pará - 5.716 mortes
  • Amazonas - 3.217 mortes

Já em relação aos casos confirmados, São Paulo encabeça a lista e apresenta mais de 480 mil infectados. Se fosse um país, SP seria o 5º do mundo com mais registros, à frente de países como Espanha, África do Sul, Itália, México, Chile e Alemanha. Já o Rio de Janeiro estaria na 21ª posição, a frente de China, Equador, Canadá e Suécia. Confira os estados onde a doença está mais avançada:

  • São Paulo - 487.654 casos
  • Ceará - 165.550
  • Rio de Janeiro - 159.639 casos
  • Bahia - 153.313
  • Pará - 150.185
  • Maranhão - 113.891
  • Amazonas - 98.118

Vacina mais perto

O Brasil iniciou no dia 21 de julho os testes de uma vacina chinesa em 9 mil voluntários de cinco estados, profissionais da área da saúde que trabalham no atendimento a pacientes com Covid-19. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech, a iniciar a fase três dos ensaios clínicos.

A vacina chamada Coronavac, caso tenha sucesso, será produzida no Brasil no início de 2021 pelo Instituto Butantan, que coordena a pesquisa, num montante de 60 milhões de doses para distribuição. O Instituto está adaptando uma fábrica para a produção da vacina. Ainda em 2020, as chances são remotas de que uma vacina esteja disponível aqui no país.

No mundo já são mais de 14 milhões de casos confirmados. A pandemia ainda afeta a Europa, onde mais de 170 mil pessoas já morreram - só Reino Unido (45 mil), Itália (35 mil) e França (30 mil) já somam mais de 110 mil - e também segue num nível avançado de contaminação nos Estados Unidos onde já há 3,8 milhões de casos e 141 mil mortes.

Aqui no Brasil, TODOS os estados registram mortes pela doença, em algumas localidades com nível de transmissão bastante alto. O primeiro caso confirmado da doença aqui no Brasil ocorreu em 26 de fevereiro e a primeira morte foi registrada no dia 17 de março, ambos no estado de SP.

Veja abaixo o quadro de infecção no Brasil - atualizado em 30 de julho, 7h. Lembrando que estes são os dados oficiais do Ministério da Saúde, recebidos das Secretarias Estaduais de Saúde. Os números sempre são atualizados no fim do dia pelo governo federal. Acompanhe a página e adicione a seus favoritos, que será atualizada todos os dias pelas próximas semanas.

Já em relação a progressão dos contaminados no Brasil, a curva ascendente mostra que o surto por aqui ainda deve demorar a estabilizar. O pico da doença por aqui pode ser atingido somente lá no mês de julho. Os casos devem seguir subindo e deverão ser controlados somente em agosto.

Veja o quadro de progressão do Coronavírus COVID-19 no Brasil, desde a primeira contaminação, descoberta em 16 de fevereiro:

Progressão do Coronavírus no Brasil desde o primeiro caso - Fonte: Ministério da Saúde

O que é a COVID-19?

O coronavírus que muitos falam não é o tipo específico do vírus em si, mas sim uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus, descoberto ainda em dezembro na China e que vem causando temor em todo o mundo é o COVID-19.

A família de coronavírus não é nova e já acomete humanos desde 1937, quando do primeiro caso. O nome dado ao vírus é em virtude de análise microscópica, que parece uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, no entanto o COVID-19 vem tendo um contágio muito acima da média e a causa das mortes em grande parte dos casos não se dá pelos problemas graves causados no organismo, mas pela falta ou deficiência no tratamento, visto que se espalha muito rápido e acaba sobrecarregando os sistemas de saúde. Assim, pessoas debilitadas ou idosos têm um potencial maior de gravidade nos casos, ocasionando as mortes.

O Governo Federal divulgou o Decreto Nº 10.282 de 20 de março restringindo alguns serviços públicos e liberando apenas atividades essenciais. Veja quais são:

  • I - assistência à saúde, incluídos os serviços médicos e hospitalares;
  • II - assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;
  • III - atividades de segurança pública e privada, incluídas a vigilância, a guarda e a custódia de presos;
  • IV - atividades de defesa nacional e de defesa civil;
  • V - transporte intermunicipal, interestadual e internacional de passageiros e o transporte de passageiros por táxi ou aplicativo;
  • VI - telecomunicações e internet;
  • VII - captação, tratamento e distribuição de água;
  • VIII - captação e tratamento de esgoto e lixo;
  • IX - geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e de gás;
  • X - iluminação pública;
  • XI - produção, distribuição, comercialização e entrega, realizadas presencialmente ou por meio do comércio eletrônico, de produtos de saúde, higiene, alimentos e bebidas;
  • XII - serviços funerários;
  • XIII - guarda, uso e controle de substâncias radioativas, de equipamentos e de materiais nucleares;
  • XIV - vigilância e certificações sanitárias e fitossanitárias;
  • XV - prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais;
  • XVI - vigilância agropecuária internacional;
  • XVII - controle de tráfego aéreo, aquático ou terrestre;
  • XVIII - compensação bancária, redes de cartões de crédito e débito, caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais de instituições financeiras;
  • XIX - serviços postais;
  • XX - transporte e entrega de cargas em geral;
  • XXI - serviço relacionados à tecnologia da informação e de processamento de dados (data center) para suporte de outras atividades previstas neste Decreto;
  • XXII - fiscalização tributária e aduaneira;
  • XXIII - transporte de numerário;
  • XXIV - fiscalização ambiental;
  • XXV - produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;
  • XXVI - monitoramento de construções e barragens que possam acarretar risco à segurança;
  • XXVII - levantamento e análise de dados geológicos com vistas à garantia da segurança coletiva, notadamente por meio de alerta de riscos naturais e de cheias e inundações;
  • XXVIII - mercado de capitais e seguros;
  • XXIX - cuidados com animais em cativeiro;
  • XXX - atividade de assessoramento em resposta às demandas que continuem em andamento e às urgentes;
  • XXXI - atividades médico-periciais relacionadas com o regime geral de previdência social e assistência social;
  • XXXII - atividades médico-periciais relacionadas com a caracterização do impedimento físico, mental, intelectual ou sensorial da pessoa com deficiência, por meio da integração de equipes multiprofissionais e interdisciplinares, para fins de reconhecimento de direitos previstos em lei, em especial na Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015 - Estatuto da Pessoa com Deficiência; e
  • XXXIII - outras prestações médico-periciais da carreira de Perito Médico Federal indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.

Já no dia 8 de maio, o presidente Jair Bolsonaro atualizou a lista de atividades liberadas para exercício por meio do Decreto 10.344/2020, incluindo também:

  • atividades de construção civil, obedecidas as determinações do Ministério da Saúde;
  • atividades industriais, obedecidas as determinações do Ministério da Saúde;
  • salões de beleza e barbearias, obedecidas as determinações do Ministério da Saúde; e
  • academias de esporte de todas as modalidades, obedecidas as determinações do Ministério da Saúde.