Asteroide deve passar próximo da Terra em 2029, diz NASA

99942 Aphophis será o objeto a chegar mais próximo da Terra. Evento deve ocorrer em 13 de abril de 2029 e não há riscos do asteroide se chocar com o planeta. Mesmo assim, cientistas estudam estratégias para evitar colisões no futuro.

Por Ciência Pular para comentários

O 99942 Aphophis está entre os mais infames objetos próximos da Terra. Ele foi descoberto em 2004 e, na época, estimava-se que o asteroide atingiria nosso planeta. Durante a Conferência de Defesa Planetária de 2019 ocorrida esta semana, foi concluído que ele não vai colidir com a Terra, mas passará bem perto dela. 

"A aproximação do Aphophis em 2029 será uma oportunidade incrível para a ciência", disse a cientista de radares do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA na Califórnia, Marina Brozovic. 

Isso porque o asteroide de 340 metros de diâmetro deve passar a 33 mil quilômetros de distância da superfície do planeta - enquanto a distância média entre a Terra e a Luz é de 384,4 mil quilômetros, por exemplo. Será uma oportunidade única para estudar um asteroide tão de perto.

Trajeto realizado pelo asteroide em 2029Trajeto realizado pelo asteroide em 2029

Até o momento, o que se sabe é que o evento acontecerá no dia 13 de abril de 2029 e que deve acontecer de novo em 2036 - mais uma vez sem colidir com nosso planeta.

Dessa forma, cientistas estão mais preocupados em discutir quais conhecimentos eles podem adquirir com a aproximação do asteroide do que quais impactos ele vai causar na Terra (como foi discutido em 2004). Mas impactos de asteroides não deixam de ser uma preocupação - durante a Conferência de Defesa Planetária, a NASA, FEMA e outras agências deram início a debates do que fazer em caso de ameaças ao planeta. 

Sabe-se que uma colisão dessas pode liberar até 800 mil quilotoneladas (800 milhões de toneladas) de energia, o que provocaria destruição sem tamanho. Cientistas então estudam formas de evitar esse choque, apesar de não haver previsões para os próximos anos.

Dentre as estratégias analisadas estão: desviar a trajetória do asteroide com uma nave espacial ou uma explosão nuclear.

Probabilidades apontam que nenhum evento como este deverá ocorrer pelos próximos 100 anos. Mas seja como for, cientistas já têm suas atenções voltadas para asteroides: seja para estudá-los ou para afastá-los.

Mais sobre: ciencia, nasa, tecnologia
Compartilhe com seus amigos:
Andressa Isfer
Andressa Isfer Jornalista, amante de séries, filmes, livros e games. Curiosa e sempre pronta para novos desafios.
TWITTER: @andressaisfer
Quer conversar com o(a) Andressa, comente:
Minha foto
    Quantos celulares a Motorola tem em linha?
    5(15,06%)
    10(57,97%)
    15(11,54%)
    20(7,49%)
    26(7,94%)