CADASTRE-SE

Golpes da internet: Confira a lista dos principais e saiba como evitar de cair na armadilha

543 Comente abaixo Nícolas Müller (@nicolas_muller)

Neste artigo, elaboramos uma série das principais formas de golpes praticados na internet, além de dicas para evitar de cair nas armadilhas e também, em caso de ser uma vítima de crime virtual, o que fazer.

A internet vive um momento onde qualquer descuido pode ser fatal, a segurança de seus dados está em jogo. Muitos dos golpes aplicados na Internet podem ser considerados crimes contra o patrimônio, tipificados como estelionato. Dessa forma, o golpista pode ser considerado um estelionatário.

Aqui no Oficina da Net, há uma vasta quantidade de matérias falando sobre segurança na internet, gostaríamos de lhe orientar que todas as medidas que passamos aqui foram estudadas e podem ser aplicadas para melhorar a sua segurança. Porém, não podemos garantir que você estará 100% seguro, afinal na internet ninguém pode garantir isto, visto que já vimos por aqui até o site da NASA ser invadido .

O BitDefender escreveu para o Oficina da Net em 2013 algumas dicas para se proteger de ameaças virtuais, vale a leitura: Aprenda a identificar ameaças virtuais e proteger-se.

Aproveite e leia isto:

O que posso fazer para me previnir de golpes virtuais?

Antes de mostrar os tipos, fizemos esta pergunta, para o Delegado de Polícia, do Gabinete de inteligência e Assuntos Estratégicos do Rio Grande do Sul, Emerson Wendt, que respondeu:

“Estar atento e pesquisar bastante antes de adquirir algo pela web. Comprar por sites conhecidos e bem avaliados. Pesquisar também em sites de reclamação de serviços na web. Procurar acessar sites diretamente e não através de ofertas vindas por e-mail, exceto aquelas referentes a sites em que houve um cadastro prévio e que o usuário já tenha confiança.”

Vamos então aos golpes:

Boleto de registro de domínio

Início de ano é comum, caso você tenha registrado algum domínio .com.br, receber as faturas de empresas que tentam se passar pelo Registro.br, fazendo cobranças dos domínios que você adquiriu. Todas estas cobranças vem escrito que são faturas não obrigatórias. O próprio registro.br divulgou uma cartilha informando sobre estes boletos maliciosos em seu site. O órgão alega que não envia boletos por via postal em nenhuma circunstância, por este motivo, fique atento a estas cobranças indevidas que são FRAUDES cometidas por pessoas de má fé.

Faturas de registro de marcas

Lado a lado com os boletos de registro de domínios, as faturas indevidas de registro de marca são uma das mais frequentes queixas dos empreendedores. Aqui na nossa empresa, já enviaram email alertando que haviam comprado a nossa marca e que somente poderíamos reavê-la se pagássemos 10 mil reais, não dei bola para o email que parecia óbvio se tratar de uma fraude, mas uma semana depois ligaram no meu telefone para lembrar que eu teria perdido a minha marca. Peguei algumas informações que consegui captar com “a pessoa” do outro lado e enviei para meu advogado, porém não conseguimos contatar e nem sequer descobrir quem era este provável estelionatário.

Estas faturas, também são com pagamentos facultativos, portanto, saiba que sempre que uma fatura for facultativa, quer dizer que você não tem obrigação de pagá-la.

Lembre-se de que as empresas registradoras de marcas sérias não ligam impondo o registro. Você pode procurar uma destas companhias para fazer a sua marca, mas não conte com as que tentam lhe enfiar goela abaixo.

Falsos emails de instituições financeiras

Certamente em sua caixa de entrada já deve ter caído um e-mail do banco X falando sobre atualizações de dados. Esta sem dúvida é a pior cretinice que um spammer pode fazer. Bancos jamais vão fazer atualização de dados enviando um e-mail ou pedindo por telefone. Estes correios eletrônicos, devem ser imediatamente removidos de sua conta, assim seu provedor entende que você não gosta de receber estes e-mails e futuramente joga-os diretamente na caixa de spam, evitando assim esta bizarrice.

Oportunidades de emprego falsas

Assim como os golpes econômicos estão os golpes que prometem emprego online, com vagas de trabalho a partir de casa. No golpe de trabalhar em casa, as vítimas são atraídas por conta de uma variedade de oportunidades.  Esses sites podem ser tão convincentes que as vítimas frequentemente são levadas a descontar cheques e ordens de pagamento enviados pelo correio, para depois reenviar uma parte do dinheiro por meio de seus cheques pessoais, dinheiro e ordens de pagamento para uma terceira parte, agindo como laranjas. As vítimas são levadas a fornecer ao fraudador suas informações pessoais, com a promessa de salários-hora acima da média ou do pagamento de centenas de dólares por semana. Para algumas vítimas, o golpista chega a prometer o envio do hardware e do software necessários para efetuar o "trabalho".

Lembre-se que não existe dinheiro fácil e sequer emprego dos sonhos na internet.

Furto de identidade

Furto de identidade é o ato pelo qual uma pessoa tenta se passar por outra com o objetivo de obter vantagens indevidas. Alguns destes casos podem ser tipificados como falsa identidade, assim sendo considerados crimes. No seu dia a dia, sua identidade pode ser furtada caso, por exemplo, alguém abra uma empresa ou uma conta bancária usando seu nome e seus documentos. Na Internet isto também pode ocorrer, caso alguém crie um perfil em seu nome em uma rede social, acesse sua conta de e-mail e envie mensagens se passando por você ou falsifique os campos de e-mail, fazendo parecer que ele foi enviado por você.

Quanto mais informações você disponibiliza sobre a sua vida e rotina, mais fácil se torna para um golpista furtar a sua identidade, pois mais dados ele tem disponíveis e mais convincente ele pode ser.

Phishing
http://www.oficinadanet.com.br//imagens/coluna/2516/phishing.jpgEm computação, phishing é uma forma de fraude eletrônica, caracterizada por tentativas de adquirir informações sigilosas, tais como senhas e números de cartão de crédito, ao se fazer passar como uma pessoa confiável ou uma empresa enviando uma comunicação eletrônica oficial, como um correio ou uma mensagem instantânea. Na prática do Phishing surgem artimanhas cada vez mais sofisticadas para "pescar" (do inglês fish) as informações sigilosas dos usuários.

Phishing

Em computação, phishing é uma forma de fraude eletrônica, caracterizada por tentativas de adquirir informações sigilosas, tais como senhas e números de cartão de crédito, ao se fazer passar como uma pessoa confiável ou uma empresa enviando uma comunicação eletrônica oficial, como um correio ou uma mensagem instantânea. Na prática do Phishing surgem artimanhas cada vez mais sofisticadas para "pescar" (do inglês fish) as informações sigilosas dos usuários.

Outras formas de phishing são os sites que duplicam o site original se passando por este, assim que a pessoa faz o login, as informações são guardadas no banco de dados e direcionado para o site original, na primeira vista você sequer reconheceu o que aconteceu, como depois de redirecionado pensa que esta no site original faz o login novamente, mas os hackers já estão com suas informações guardadas. Portanto, tome cuidado em sempre ver se a URL onde estão fazendo a identificação de usuário seja a URL válida que sempre acessa, lembre-se também de que sites de instituições financeiras sempre usam SSL, o famoso cadeado nos navegadores, geralmente identificados pela cor verde. 

Lembro-me bem quando o Orkut pairava sobre nós, que existiam muitos sites que se passavam pelo Orkut para roubar a senha dos usuários. Muitas pessoas cairam neste golpe. 

Sites maliciosos

Escrevemos um artigo completo falando sobre como saber se um site é seguro para navegar?

Romances pela internet

Relacionado
Você sabe o que é um romance scammer? É mais uma das muitas armadilhas que proliferaram nas redes sociais. Nessa modalidade de crime digital, golpistas criam falsos perfis no Facebook para seduzir mentes e corações de mulheres com o intuito de lhes arrancar boas quantias de dinheiro. Muitas internautas que morderam o “anzol” scammer acumulam decepções, traumas e, em alguns casos consumados, prejuízos financeiros. Existem até casos de suicídio. Para combater a prática, na web até já existem grupos organizados de “caça-scammers”. Militares condecorados, advogados de prestígio e engenheiros bem-sucedidos em viagem pelo exterior, especialmente na Europa. Este assunto gerou tanto conteúdo que escrevemos um artigo falando sobre scam.

Como é possível identificar um possível golpe virtual?

O Delegado Emerson Wendt respondeu esta pergunta:

“Através de ofertas com valores bem abaixo do mercado, geralmente mais de 20% abaixo do valor normal de mercado. Outra dica é ficar atento aos sites que não tem ou que tem uma política e termos de uso bastante restrita, além de o site possuir apenas atendimento online (via web) e não por telefone. Cuidado com as supostas avaliações de "ótima compra" em sites de comparação de preços, pois podem ser "qualificações" feitas por outros autores de golpes, auxiliando o criminoso.”

O que fazer caso eu for vítima de crime virtual?

A sugestão que é passada por autoridades, até para que a polícia possa ter o conhecimento real sobre esse tipo de crime, é de que a vítima possa, municiada de todas informações possíveis, dirigir-se até a Delegacia de Polícia mais próxima e efetuar o registro de ocorrência. A FEBRABAN estabelece orientação às instituições bancárias para que “sugiram” aos clientes o registro do fato, no entanto não estabelecem “a obrigatoriedade”, o que acaba ocasionando uma sub-notificação dessa espécie delitiva, ou seja, uma baixa comunicação desses fatos à polícia.

O Delegado Emerson Wendt também respondeu esta pergunta:

Guardar e imprimir todos os dados para levar ao fazer um registro de ocorrência. Também, além de procurar a Polícia Civil para um registro, procurar um advogado para tentar reaver os valores. A polícia não trabalha para restituir valores, mas sim para investigar o crime.

Leia mais sobre o que fazer em nesta matéria completa escrita pelo Emerson, como proceder em caso de vítima de crime virtual.

Depoimento de um golpe virtual:

Valéria Inês Duarte tem 43 anos e trabalha como técnica administrativa na Universidade de Santa Cruz do Sul/RS.

De acordo com Valéria ela estava acostumada a fazer transações com o cartão de crédito via internet, desde compras a transferências bancárias e tudo sempre deu certo. Para ela era comum que as facilidades da internet se transformassem em comodidade pra sua vida, por isso ela não achava perigoso consultar o status da sua conta bancária diretamente no site do banco, afinal ela estava com o navegador recomendado por sua agência e a sua movimentação online estava protegida por duas senhas.

Por isso ela se acostumou a fazer compras somente com os cartões de crédito e a acompanhar tudo através do home banking. Como fazia pelo menos duas vezes por semana, naquela terça-feira ela se sentou na frente do computador e acessou o site do seu banco. A página que se abriu no Firefox era a mesma que ela estava acostumada a ver e ela digitou os dados nos campos pedidos pela página. O que ela não sabia é que a página havia sido clonada por um grupo de hackers que estava recolhendo todos os dados digitados.

Após a consulta ela seguiu com as tarefas do dia até ser surpreendida por um telefonema: era o seu gerente de conta, perguntando se ela tinha certeza de que queria fazer aquela transação de grande valor que estava sendo solicitada através do site do banco. A primeira reação dela foi de estranheza, afinal ela não faria uma transação de tal porte pela internet e depois pelo fato de que ela não estava online naquela hora. Ela comunicou o fato para o gerente que imediatamente impediu que a transação fosse concluída.

No dia seguinte Valéria foi até o banco para descobrir o que estava se passando e descobriu a verdade: sua conta havia sido hackeada. Os hackers haviam conseguido sacar dinheiro que tinha na sua conta e haviam tentado fazer um empréstimo no valor de 15 mil reais. Por sorte o gerente do banco conseguiu intervir e impedir que a transação se completasse. Além disso, o banco ainda ressarciu o valor que os bandidos haviam sacado de sua conta, já que foi o próprio banco que recomendou os procedimentos de segurança que não haviam funcionado quando foi necessário.

Mais leituras sobre segurança e golpes na internet:

Separamos aqui uma série de dicas e artigos sobre este assunto tão vasto, para que você possa se inteirar ainda mais.



Recomendamos:
 
Comentários:



TOPO