Chrome e YouTube banirão anúncios do meio de vídeos curtos

A notícia parece ser ótima para os usuários, mas não é tão boa assim para os criadores de conteúdo. Anúncios passarão a ser exibidos em vídeos com tempo superior a 8 minutos.

Por Youtube
Chrome e YouTube banirão anúncios do meio de vídeos curtos

O Google está estabelecendo novas restrições para a exibição de anúncios durante os vídeos exibidos em sua plataforma.

O Chrome bloqueará os anúncios que são reproduzidos no meio de vídeos com até 8 minutos de duração, e o YouTube (aplicativo) não mostrará esses anúncios antes dos vídeos começarem, disse o Google em um post publicado hoje mais cedo.

Isso faz parte de uma repressão gradual de anúncios no Google, que quer impedir que as pessoas se sintam incomodadas com a exibição demasiada de anúncios, ao mesmo tempo em que se apóia na receita de publicidade para alimentar seus enormes negócios. O YouTube gerou US$15 bilhões em receita nos últimos três meses do Google.

O Chrome e o YouTube também deixarão de permitir anúncios com duração superior a 31 segundos, se não for possível ignorá-los nos primeiros 5 segundos. O Chrome começará a bloquear esses anúncios a partir de 5 de agosto.

Anúncios pré-roll longos e não ignorveis
Anúncios pré-roll longos e não ignoráveis (um dos tipos de anúncios que deixarão de ser exibidos em vídeos com tempo inferior a 8 minutos)

Também são proibidos os anúncios sobrepostos no vídeo que são colocados no terço médio do vídeo ou que ocupam mais de 20% da área do vídeo. As regras são baseadas nas últimas diretrizes da Coalition for Better Ads , que, por sua vez, são baseadas em uma pesquisa com 45.000 pessoas em oito países.

Os anúncios podem causar distração, concumir seus dados móveis mensais, impactar no consumo de bateria de seu dispositivo e até entregar malware. Como resultado, muitas pessoas instalam bloqueadores de anúncios ou navegadores de bloqueio de anúncios.

Cada vez mais, porém, uma preocupação com os anúncios é como eles trazem consigo rastreadores que invadem a privacidade dos usuários e monitoram seu comportamento on-line.

A alteração do vídeo não é a primeira repressão de anúncios do Chrome. Há dois anos, o Chrome começou a bloquear anúncios intrusivos em sites. Isso pode ter sido uma surpresa, já que o próprio Google fornece muitos desses anúncios para sites próprios e de terceiros, mas o Google procura proteger os usuários do Chrome das situações mais irritantes.

E isso parece ter sido positivo para o Google: depois que o Chrome começou a bloquear alguns anúncios nos sites, "vimos as taxas de bloqueio de anúncios na América do Norte e na Europa caírem significativamente no Chrome", disse Jason James, gerente de produto do Chrome, no publicação no blog.

Outras alterações estão chegando mais cedo para proteger os usuários do Chrome. A partir do Chrome 80, lançado terça-feira, o navegador do Google começa a controlar os pop-ups que solicitam permissão para enviar notificações para o usuário. Em algumas circunstâncias, esses pop-ups serão menos invasivos.

Você poderá mudar o Chrome para uma abordagem mais silenciosa, mas o Chrome o habilitará por conta própria para pessoas que normalmente bloqueiam essas solicitações de permissão e para sites aos quais poucas pessoas concedem permissão de notificação, disse o Google. E o Google gradualmente usará a nova interface mais em versões futuras do Chrome.

O Chrome 80 também altera a maneira como os sites podem instruir o navegador a armazenar cookies. Os cookies são úteis para lembrar que você está conectado a um site, mas também podem ser usados ​​para rastrear você e podem abrir algumas brechas de segurança. Para melhorar a segurança, o Google está mudando a maneira como o Chrome lida com uma configuração de cookie chamada SameSite.

Isso causou alguns problemas para os desenvolvedores. O Google continua com alguma cautela, liberando apenas a alteração SameSite "para uma pequena parte dos usuários" para começar.

Recomendação do editor:

Compartilhe com seus amigos: