Alternativa ao gesso, conheça o imobilizador ortopédico feito com impressora 3D

A startup brasileira Fix it está trazendo uma inovação na área da saúde. Conheça a alternativa ao gesso, o imobilizador ortopédico feito em impressora 3D.

Fonte: Fixit (Facebook)
Fonte: Fixit (Facebook)
TUDO SOBRE CELULARES HEY! JÁ CONHECE NOSSO CANAL SOBRE CELULARES? CLICA PRA CONFERIR!

Uma startup brasileira teve a ideia de utilizar o poder da impressão 3D para a criação de uma nova forma de imobilizar membros do nosso corpo, trazendo inúmeros pontos positivos que o velho e tradicional gesso não possui. O produto é capaz de se moldar no membro com facilidade, oferecer leveza, conveniência na hora de lavar e tirar, ser hipoalergênico e até sustentável!

Os benefícios da tecnologia de impressão 3D

A tecnologia de impressão 3D evoluiu muito ao longo dos últimos anos, tanto em técnicas de impressão, como materiais utilizados e softwares. Hoje existem impressoras 3D que imprimem comida, metal, plástico e até órgãos. Com esta grande variedade de possibilidades de materiais e liberdade para criação de praticamente quaisquer formatos, as possíveis inovações advindas da ferramenta são incalculáveis.

Pensando nisso, a startup chamada "Fix it" teve a ideia de utilizar a impressão 3D na área da saúde, mais especificamente na ortopedia. Através do desenvolvimento de um material moldável através da simples utilização de um soprador de ar quente, para elevar a temperatura até 60°C, a empresa conseguiu uma maneira fácil, prática e eficiente, para que o médico ortopedista possa, com facilidade, encaixar a tala impressa no membro do paciente.

Benefícios da tala impressa. Fonte: Fixit (Facebook)
Benefícios da tala impressa. Fonte: Fixit (Facebook)

O material utilizado na tala impressa é biodegradável

A "Fix it" não se contentou em somente desenvolver um material flexível o suficiente para encaixar nos membros do paciente de maneira personalizada, e desenvolveu um material biodegradável para a tala impressa na impressora 3D. Feito de bagaço de cana, beterraba e milho, o composto utilizado na solução ortopédica tornou-se biodegradável, ou seja, quando a pessoa não necessitar mais do imobilizador feito na impressora 3D, ela poderá descarta-lo com a consciência de que não estará impactando o meio ambiente com resíduos sólidos que não se degradariam com tanta facilidade naturalmente.

Este é um ponto importante que deveria ser abordado por muitos fabricantes, pois a geração de lixo esta cada vez maior devido ao consumo de produtos descartáveis que impactam o meio ambiente. Imagine o quanto de lixo iria ser gerado a cada lesão que uma pessoa sofresse? Seria um impacto enorme, assim como, embora estejam em patamares diferentes, o consumo dos canudos e copos de plástico, por exemplo, já impactam.

Custo baixo para o consumidor final

Apesar da grande inovação e dos inúmeros benefícios da tala impressa, a empresa optou por não cobrar um valor alto pela utilização do produto. O preço cobrado irá variar de acordo com o tamanho e a parte do corpo a ser imobilizado, mas a peça mais barata custará apenas R$45. O empresário Felipe neves fala:

"Se é personalizado, é caro. Nós conseguimos ser o oposto disto: ser personalizado e acessível, democrático."

Facilidade na higienização do corpo com a tala impressa

Um dos pontos fortes da tala impressa é a facilidade para lavar o nosso corpo, pois antes, com a utilização do gesso, era impraticável esta tarefa. Ou seja, a pele não respirava e ficava suja com o suor e células mortas do nosso corpo. Agora, com a tecnologia da impressão 3D somado ao material próprio e o formato em poros grandes da estrutura do produto impresso, é possível manter a região a ser imobilizada sempre limpa e livre de microrganismos patogênicos.

Franquia para médicos, fisioterapeutas ou médicos ocupacionais

A "Fix it" não pensou em deter a tecnologia para si mesma e abriu uma franquia para que os profissionais da área de ortopedia possam utilizar-se do produto em seus consultórios. Para que isso seja possível, o médico, fisioterapeuta ou médico ocupacional, precisa:

- Comprar uma impressora 3D (R$11 mil) em uma loja parceira da startup;

- Pagar a taxa de adesão para ter acesso aos arquivos de impressão 3D;

- Adquirir o material utilizado para a impressão 3D, que são rolos de filamentos (a partir de R$250)

Como entrar em contato com a Fix it?

Caso tenha interesse em adquirir a tecnologia para aplicá-la nos pacientes do seu consultório, basta entrar em contato através de um destes meios de comunicação:

Redmi Note 11: O baratinho que você precisa ver 👇

Comentários
Minha foto
Insira um comentário