Snap adquiriu AI Factory, startup de tecnologia de deepfake

A tecnologia da empresa é usada no novo recurso Cameos do Snapchat, que permite inserir selfies em uma cena para enviar como um vídeo em loop.

Por Tecnologia Pular para comentários
Snap adquiriu AI Factory, startup de tecnologia de deepfake

A Snap comprou a AI Factory, uma startup de reconhecimento de imagem e vídeo. O Snapchat supostamente usou a tecnologia da AI Factory para lançar seu novo recurso Cameos, que permite aos usuários inserir selfies em uma cena para enviar como um vídeo em loop e levanta preocupações sobre a possibilidade de criar deepfakes.

Deepfakes, falsificações de vídeo que fazem as pessoas parecerem estar fazendo ou dizendo coisas que não fizeram, são o equivalente em movimento de imagens falsas criadas com programas como o Photoshop. O software Deepfake tornou os vídeos manipulados acessíveis e cada vez mais difíceis de detectar como falsos.

O recurso Cameos do Snapchat - localizado dentro da área de bate-papo abaixo das seleções de Bitmoji e acima de emoji - permite tirar uma selfie e escolher um sexo. O Snapchat armazena a selfie e manipula seus recursos para criar diferentes expressões faciais, como sorrir, soprar beijos e abrir a boca.

Snap adquiriu AI Factory, startup de tecnologia de deepfake
Snap adquiriu AI Factory, startup de tecnologia de deepfake

Sua selfie manipulada é inserida em cima de coisas como cachorros e coelhos, mas também em outras pessoas - como alguém em uma banheira, em um salão de cabeleireiro, em uma sala de aula, em um set de filmagem, dirigindo um carro, sentado em um avião e beijando a câmera enquanto usava um vestido apertado.

Uma publicação de tecnologia ucraniana informou que a aquisição da AI Factory pela Snap foi de cerca de US$166 milhões. Snap confirmou a aquisição em um e-mail para a CNET na sexta-feira à tarde, mas não revelou os termos.

O Congresso está investigando os deepfakes após o aparecimento de vídeos falados da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, e em meio a temores de que os deepfakes possam aumentar a campanha de notícias falsas durante a corrida presidencial dos EUA em 2020.

Empresas de mídia social como o Twitter e o Facebook também estão sendo pressionadas a encontrar maneiras de detectar e remover deepfakes mais rapidamente de suas plataformas, além de conteúdo abusivo, conteúdo relacionado ao terrorismo, desinformação e notícias falsas antes das eleições.

Em outubro de 2019, o Snapchat relatou ter cerca de 210 milhões de usuários ativos diariamente. A tecnologia de deepfake está virando febre e assim como o Snapchat o aplicativo TikTok também usa a tecnologia para varrer o rosto do usuário para que possa ser inserido em vídeos de outras pessoas.

Enquanto tudo não passa de brincadeira, tudo bem, mas o grande problema é que a tecnologia de deepfake está tão evoluída que se usada profissionalmente tanto para o bem como para o mal, pode se tornar indetectável, criando problemas reais para as pessoas.

Recomendamos ler:

Acompanhe as últimas notícias de tecnologia aqui no Oficina da Net. Sempre trazendo conteúdos novos e produtos interessantes.

Comentários:
Carregar comentários