Brasileiros compraram quase 90 mil unidades de fit bands e smartwatches no primeiro trimestre de 2019

Estudo alega que brasileiros estão cada vez mais interessados em wereables. Segundo a empresa IDC Brasil, o número de aparelhos deve chegar a 461,7 mil até o fim do ano - 91% a mais que 2018.

Por Tecnologia Pular para comentários
Brasileiros compraram quase 90 mil unidades de fit bands e smartwatches no primeiro trimestre de 2019

Cerca de 87.974 unidades de fit bands e relógios inteligentes foram comprados por brasileiros no primeiro trimestre de 2019, indica estudo. Segundo o IDC Tracker Brazil Wereables, pesquisa realizada pela empresa de IDC Brasil, este número é 51,6% maior do que o mesmo período de 2018.

Segundo a empresa, o nicho de wereables vem crescendo cada vez mais no Brasil. Renato Meireles, analista de mercado em Mobile Phones & Devices da IDC, alega que o motivo deste crescimento é o investimento de grandes fabricantes no lançamento de produtos no mercado nacional - além do interesse maior por parte dos consumidores.

"O mercado está ficando mais estruturado, e os dispositivos com funções mais inteligentes estão ganhando participação em relação aos gadgets básicos, como fit bands", diz Meireles.

Smartwatches e fit bands estão atraindo cada vez mais a atenção do consumidor brasileiro.Smartwatches e fit bands estão atraindo cada vez mais a atenção do consumidor brasileiro.

Para efeitos de comparação, em 2018 foram 241,3 mil unidades vendidas ao longo de todo ano - o que por si só correspondeu a um aumento de 44,2% em comparação a 2017. Só de fit bands foram 110,4 mil unidades (7,2% maior que 2017), enquanto de smartwatches 130,9 mil (103,3% a mais do que 2017).

Apenas o primeiro trimestre de 2019 já apresenta números promissores. No que diz respeito aos fit bands, são 39.360 unidades, enquanto na categoria superior são 48.614.

Fit Bands ganharam bastante espaço no mercado brasileiro.Fit Bands ganharam bastante espaço no mercado brasileiro.

O estudo ainda indica que o preço é um fator essencial na hora de escolher qual produto comprar. Porém, mesmo smartwatches sendo mais caros que as fitbands e ambos mais caros que produtos de marcas desconhecidas, parece que os consumidores estão optando por empresas que consideram mais "confiáveis" - mesmo que isso signifique pagar mais.

"Enquanto no primeiro trimestre do ano passado os dispositivos wearables de marcas desconhecidas correspondiam a 44% das vendas, neste ano essa participação caiu para 4%. Os consumidores estão dando preferência a produtos com mais qualidade, garantia e suporte", comenta Meireles.

Por fim, a IDC Brasil alega que a expectativa é de um crescimento de 91% nas vendas em wereables comparado com 2018. Se estiverem corretos, cerca de 461,7 mil unidades dos dispositivos serão comercializadas no país.

Fonte: IDC Brasil

Compartilhe com seus amigos:
Andressa Isfer
Andressa Isfer Jornalista, amante de séries, filmes, livros e games. Curiosa e sempre pronta para novos desafios.
TWITTER: @andressaisfer
Quer conversar com o(a) Andressa, comente:
Minha foto
    Últimas notícias de Tecnologia