Oficina da Net Logo

Tencent Music é processada por investidor antes da abertura de capital de US$ 1,2 bilhão

A Tencent Music Entertainment está se preparando para uma das ofertas públicas iniciais mais esperadas deste ano.

Por | @fsbeling Tecnologia Pular para comentários

O maior serviço de streaming de música da China teve um ano de redemoinho, com 800 milhões de usuários mensais em vários aplicativos e um negócio lucrativo, a Tencent Music Entertainment está se preparando para uma das ofertas públicas iniciais mais esperadas deste ano nos EUA. Mas a empresa desembarcou em água quente nos meses que antecederam a venda pela primeira vez de ações.

Na semana passada, o investidor chinês Hanwei Guo acusou o co-presidente da TME de usar desinformação, ameaças e intimidação para obrigá-lo a vender suas participações na Ocean Music, que acabou se tornando parte da TME depois que a QQ Music e a China Music Corporation se uniram em 2016. 

Han entrou com um pedido de descoberta nos EUA pedindo informações do Deutsche Bank AG, do JPMorgan Chase & Co., do Bank of America Corp. e de outros subscritores do IPO da TME que o investidor planeja usar em uma arbitragem em andamento na China. O investidor está pedindo que o co-presidente da TME, Guomin Xie Guo, e outras partes envolvidas devolvam porcentagens de suas participações acionárias no veículo musical e compensem suas perdas econômicas. Han afirma que ele investiu um equivalente a US$ 26 milhões na Ocean Music em 2012, após o repetido convite de Xie.

TE01TME opera três aplicativos de streaming de música
Leia em destaque: Como descartar lixo eletrônico?.

 

Xie primeiro elogiou a Ocean Music com a promessa de que a gravadora lucraria no ano seguinte e iria a público em três anos, mas depois informou a Guo que o negócio estava falhando e ameaçou vender suas ações, segundo um comunicado de Guo, consultor jurídico. O investidor eventualmente vendeu suas ações "sob coação". A alegação de fraude chegou dois meses depois de a TME ter atrasado o seu IPO devido ao enfraquecimento dos mercados bolsistas em todo o mundo. A gigante da música retomou o processo e entrou com a Securities and Exchange Commission em 3 de dezembro.

Segundo seu prospecto, a TME planeja levantar até US$ 1,23 bilhão com um preço listado entre US$ 13 e US$ 15 por ação. A TME está agora em um período tranquilo em que as regras federais limitam o que a empresa pode dizer em público antes de seu IPO, que a Bloomberg informou que deve começar a receber pedidos em 12 de dezembro.

Uma subsidiária separada da Tencent, a TME opera três aplicativos de streaming de música, no caso, QQ Music e o que a fusão da CMC trouxe, Kuwo Music e Kugou Music. O grupo de entretenimento também administra o aplicativo de karaokê WeSing, no qual os usuários podem gravar e enviar seus trabalhos. Ao contrário de suas contrapartes ocidentais que perdem dinheiro, a TME é lucrativa graças a um florescente negócio social.

Por exemplo, os usuários do WeSing podem enviar presentes virtuais para recompensar os criadores de conteúdo, dos quais a TME recebe uma comissão. Por outro lado, apenas 3,6% dos usuários do TME estão pagando assinantes a partir do segundo trimestre, parte do resultado da pirataria on-line da China. 

 Fonte: TechCrunch

Comentários
Carregar comentários
  • PARTICIPE DA NEWSLETTER

    As novidades de tech no seu
    e-mail, inscreva-se grátis ;)