Inteligência Artificial pode acabar com humanidade, diz Stephen Hawking

Segundo ele, a IA possui o potencial para erradicar os danos que os humanos causam no mundo natural, bem como acabar a pobreza, curar doenças.

Por | @oficinadanet Tecnologia

Ao longo dos anos, cada vez mais o termo Inteligência Artificial (IA) está sendo usado. Porém, mesmo com as inúmeras novidades, o físico Stephen Hawking alerta que a IA poderá transformar o mundo para melhor ou acabar com a humanidade.

Segundo ele, a IA possui o potencial para erradicar os danos que os humanos causam no mundo natural, bem como acabar a pobreza, curar doenças e até transformar o mundo em que conhecemos em um local melhor para viver. No entanto, ele alerta que devemos estar também preparados para o pior.

“Talvez com as ferramentas dessa nova revolução tecnológica seremos capazes de desfazer parte do dano à natureza trazido pela revolução anterior — a industrialização. Certamente vamos nos dedicar à erradicação de doenças e da pobreza. Todos os aspectos da nossa vida serão transformados. Em resumo, sucesso na criação de IA poderá ser o maior acontecimento na história da nossa civilização”.

Inteligência Artificial pode acabar com humanidade, diz Stephen Hawking .Inteligência Artificial pode acabar com humanidade, diz Stephen Hawking .

Leia também:

Leia também:

“Eu temo que a IA pode substituir seres humanos de uma vez. Se pessoas desenvolvem vírus de computador hoje, alguém vai desenvolver uma IA que melhora e replica a si mesma. Essa será uma nova forma de vida, mais avançada do que a humanidade”.

O cientista destacou o trabalho legislativo que tem sido desenvolvido na Europa. Ele se mostra satisfeito com as propostas para estabelecer as regras para IA e robótica.

“A não ser que a gente aprenda como se preparar para, e evitar, os riscos em potencial, a IA pode ser o pior evento da história da nossa civilização. Ela traz perigos, como poderosas armas autônomas ou novas maneiras de poucos oprimirem muitos. Ela pode trazer uma grande ruptura para nossa economia.”

Comentários
Destaquesver tudo
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar