Trabalhando em casa? Cuidado com seu assistente de voz e smartphone, eles estão te escutando!

Em 2019 falamos muito sobre grandes empresas, assistentes pessoais e invasão de privacidade. Agora com o Covid-19 a sugestão é trabalhe em casa. Então tome cuidado quando for tratar de assuntos confidenciais relacionados com seu trabalho.

Trabalhando em casa? Cuidado com seu assistente de voz e smartphone, eles estão te escutando!

Em setembro passado, um investidor em tecnologia John Borthwick, que afirmou que o Alexa ouvia seus usuários mesmo quando não era requisitado. Alexa, para quem não sabe, é o assistente digital virtual da Amazon e pode ser encontrada nos alto-falantes inteligentes Echo da empresa, nas telas inteligentes Echo e em outros dispositivos.

Em abril passado, a Amazon admitiu que possui uma equipe de funcionários que escutava as conversas dos usuários com o Alexa. A Amazon disse que fazia isso para melhorar o Alexa, pois a empresa dizia que o assistente era fraco quando se trata de entender gírias, idiomas estrangeiros e expressões regionais.

A Apple permitia que trechos de conversas fossem enviadas pela Siri a terceiros que avaliam o desempenho do assistente virtual e observam se a Siri foi ativada acidentalmente.

E o Google também possui consultores e funcionários terceirizados, ouvindo gravações de solicitações feitas ao Assistente do Google, na tentativa de melhorar o desempenho do auxiliar virtual. Agora, a maioria das empresas de tecnologia permite que os usuários optem por não registrar e coletar suas conversas.

No entanto, agora, com centenas de empresas enviando seus funcionários para trabalhar em casa durante a pandemia de coronavírus, esses funcionários estão sujeitos a esquecerem de que possuem algum tipo de assistente pessoal de voz e acabar falando sobre assuntos confidenciais como se ninguém pudesse ouví-los. Mas o Alexa e o Google Assistant por exemplo podem estar ouvindo chamadas confidenciais por exemplo.

Essas empresas estão preocupadas com o fato dos assistentes digitais, presentes nas casas de seus funcionários, possam estar tendo acesso e repassando informações que deveriam permanecer em sigilo.

Desligue a Alexa ou Google?

O site Bloomberg informou que o escritório de advocacia britânico Mishcon de Reya LLP, o escritório de advocacia que lidou com o divórcio da princesa Diana, disse a seus advogados que trabalham atualmente em casa para desligar dispositivos Alexa ou Google quando estão discutindo assuntos delicados relacionados a qualquer cliente, por exemplo.

Definitivamente relatos feitos anteriormente de que tais assistentes de voz, escutavam tudo que estava sendo dito nas proximidades dos dispositivos, incluindo brigas e até reconciliações quentes, agora em meio ao trabalho em home-office a preocupação aumentou bastante, pois agora os assuntos não são mais pessoais, não que isso já não seja um problema. Mas trata-se de um problema maior ainda, pois envolve relacionamentos profissionais e com terceiros.

Houve no passado até relatos de vazamento de imagens de câmeras de CFTV, compatíveis com esses assistentes. Talvez esteja sendo um pouco paranóico, mas precisamos ter muita confiança nessas organizações e nesses dispositivos. Então é melhor não correr esses riscos.

Vale observar que muitas empresas estão preocupadas com a segurança de suas informações e outras simplesmente nem pensaram nisso. Então é hora de abrir os olhos e decidir se realmente vale depositar toda a sua confiança nesses assistentes. Em meio a tantas notícias que já saíram em 2019 sobre vazamento de informações pessoais.

Seu Google assistente ativa sozinho também?

Uma questão é que os assistentes de voz inteligentes têm propensão a ativação acidental. Testes realizados pela Northeastern University e Imperial College London descobriram que os assistentes de voz inteligentes são ativados inadvertidamente entre 1,5 e 19 vezes por dia.

Basta uma ativação acidental para que informações confidenciais sejam repassadas. Obviamente, os assistentes virtuais não devem ser ativados até que sejam chamados (como 'Hey Google' ou 'Alexa') seja dita por exemplo. Mas, às vezes, no meio de uma conversa, algo semelhante à palavra de ativação é pronunciada ou o assistente pensa que um ruído específico é a palavra de ativação e aciona o modo de escuta.

Os números dos assistentes

Com mais e mais pessoas forçadas a se auto-colocar em quarentena e a trabalhar em casa, a preocupação com Alexa, Siri e Google Assistant ouvindo conversas confidenciais vai crescer. Considere que no ano passado, o número de assistentes inteligentes ativos instalados nos pelo mundo somam mais de 150 milhões e esse número continua aumentando, sem contar com os assistentes de voz presentes em nossos smartphones.

Embora os assistentes de voz inteligentes continuem sendo um dos dispositivos que mais cresce no mundo da tecnologia, se você estiver trabalhando agora em casa, deve estar ciente da localização deles ao realizar seu trabalho.

🔥O POCO F4 É MUITO BOM 👇

Comentários
Minha foto
Insira um comentário