Oficina da Net Logo

Na China, a participação da Samsung é pouco expressiva

Para quem pensa que a situação é atual, engana-se. A Samsung vem enfrentando o problema há anos.

Por | @oficinadanet Samsung

A Samsung é uma empresa de grande porte, tendo os seus produtos como os mais vendidos do mundo. Ela é considera uma das maiores fabricantes de celulares da atualidade, com número alto de vendas. Porém, quando mencionamos a China, o assunto é diferente. Por lá, a empresa não possui um grande reconhecimento.

No segundo trimestre de 2018, por exemplo, a companhia voltou a registrar uma nova queda de vendas por lá, com menos de 1%. O que acabou ficando apenas na 12ª colocação no mercado local, mesmo com os seus grandes esforços de recuperação.

Os dados chegam da Strategy Analytics e dizem ainda que a sul-coreana vendeu somente 800 mil aparelhos na China entre os meses de abril e julho. O número em questão representa apenas 0,8% do mercado chinês, e ainda marca uma queda de 1,3% de Market Share registrado no primeiro trimestre do ano.

Para quem pensa que a situação é atual, engana-se. A Samsung vem enfrentando o problema há anos. Exemplo disso, em 2015, a companhia contava com 20% do mercado do país, porém, uma sequência de quedas e a dificuldade em manter a tração no território chinês fez com que a marca ficasse abaixo dos 1% no quarto trimestre de 2017.

Na China, a participação da Samsung é pouco expressiva.Na China, a participação da Samsung é pouco expressiva.

Leia também:

Levando em consideração um trimestre com poucos lançamentos, com vendas baixas, e ainda com uma concorrência grande com as fabricantes locais, que oferecem aparelhos de menor custo e especificações de excelente padrão, a Samsung perdeu ainda mais espaço.

A queda da Samsung vai de acordo com a ascensão de companhias menores, que já estão chamando a atenção no mercado internacional. A Huawei , atualmente, é uma grande líder do mercado e já vem se mantendo no topo há um tempo, com 27% de Market Share registrado no segundo trimestre de 2018.

Em seguida, a OPPO, com 20,4% de participação, a Vivo (19%), e a Xiaomi (14,2%). A Apple aparece em uma situação diferente da Samsung, que já está presente entre as cinco mais do mercado chinês com uma fatia de 5,7% e com crescimento a cada trimestre.

A Samsung não se manifestou sobre os números, porém, tudo isso deverá aparecer no próximo relatório fiscal.

MAIS SOBRE: #Samsung  #Smartphones  #China  #Xiaomi
Comentários
Carregar comentários
Siga o nosso Instagram!

Estamos lá também: @oficinadanetoficial

Seguir o Instagram do Oficina da Net