Embora a primeira TV a ser anunciada com a tecnologia Quantum Dot tenha sido a da Sony, em 2013, anunciada como "Triluminos", a popularização de televisores com camada de aumento de quantum dot ocorreu na Consumer Eletronics Show (CES) 2017, quando a Samsung anunciou suas TVs "SUHD" com tecnologia "QLED". Neste momento, a Samsung anunciou a Aliança QLED com a Hisense e a TLC para a produção e comercialização das TVs LCD aprimoradas através da tecnologia Quantum Dot (QD).

De onde surgiu o QLED e como ele funciona?

A utilização de pontos quânticos começou a ser colocada em prática pela primeira vez em fontes de luz e monitores no início do ano 2000. Anunciada em 2013, A primeira TV a utilizar a tecnologia Quantum Dot foi da Sony sob o nome de "Triluminos", porém o QLED ficou popular com a Samsung, quando foram anunciados os primeiros televisores da sul coreana em 2017.

A sigla QLED significa Quantum-dot Light-Emitting Diode, onde cada pixel é capaz de emitir sua própria luz graças aos pontos quânticos (quantum dots). Os QD (quantum dots) são minúsculas partículas de nanocristais semicondutoras do tamanho de poucos nanômetros. Teoricamente este tipo de display possui QDs capazes de emitir luz monocromática pura nas cores vermelho, verde e azul de forma individual. Embora esta tecnologia seja capaz de gerar cores até mais brilhantes que as telas OLED (Organic Light-Emitting Diode), o grande problema é que as atuais TVs QLED não emitem de fato sua própria luz, elas simplesmente possuem uma luz de fundo (gerada por LEDs), que ao atingir a camada de pontos quânticos, adiciona uma gama de cores mais ampla, ou seja, acaba sendo uma tecnologia derivada do painel LCD, que necessita de uma iluminação atrás para funcionar.

Displays QLED entregam cores mais vivas e nítidas (Imagem: Reprodução/Internet)
Displays QLED entregam cores mais vivas e nítidas (Imagem: Reprodução/Internet)

Samsung anuncia em 2021 as TVs com tecnologia "Neo QLED"

Com o passar dos anos, a Samsung conseguiu produzir em massa telas QLED de matriz ativa. Esta tecnologia proprietária da empresa sul coreana mistura a retroiluminação LED (painel mini-LED) com escala de mícron com uma fina camada difusora aplicada em cada diodo. O resultado disso são cores ainda mais vibrantes (brilhantes), com mais profundidade e gradação de luminância. Com a utilização de LEDs menores, foi possível obter zonas de iluminação mais densas, com um controle melhor de luz, permitindo níveis de preto mais profundos.

O Neo QLED fez com que as diferenças entre as TVs OLED e as QLED diminuíssem consideravelmente. Entretanto, as tecnologias ainda não são iguais, e ao comparar com as TVs OLED topo de linha das fabricantes, ainda se encontra superioridade nos diodos orgânicos emissores de luz. Porém, há algo que as telas QLED sempre acabam saindo na frente, o brilho, característica que pode fazer a diferença em salas muito iluminadas.

Veja também:

QLED vs LED

A grande diferença entre as TVs QLED e as LCD LED está nos pretos mais profundos, na maior gama de cores e nos ângulos de visão mais amplos. Não há discussão de que os painéis QLED são um passo significativo de qualidade de imagem ao compararmos com displays comuns de LCD que utilizam LED. Dependendo do patamar de preço que você está analisando, pode valer a pena mais uma tecnologia do que outra, há de se analisar faixas de preço e qualidade dos modelos de televisores disponíveis.

Neo QLED vs OLED

Com o passar dos anos, o OLED ficou cada vez mais barato e em 2021 está sendo o ano da tecnologia, com diversos lançamentos de TVs com a tecnologia. Empresas como LG, Philips, Sony e Panasonic lançaram modelos a preços interessantes e até em tamanhos menores (48 polegadas) do que se via anteriormente. Levando em conta que as TVs Neo QLED chegam caras ao mercado e as OLED mais básicas estão com preços mais razoáveis, é interessante cogitar displays com diodos orgânicos emissores de luz, pois estes conseguem gerar pretos extremamente profundos devido ao fato de que são capazes de desligarem completamente sua luz, coisa que as TVs QLED não são capazes, apesar da grande evolução com os painéis Neo QLED.

Quando devo considerar uma TV QLED a uma OLED?

Se sua sala é muito iluminada e não há como colocar cortinas para controlar a luminosidade, as TVs QLED podem ser a melhor escolha por possuírem um nível de brilho maior que os de painéis OLED. Entretanto, se você quer uma qualidade de imagem excelentes com pretos realmente profundos e pode controlar a luminosidade da sua sala, a OLED será a melhor escolha. Considerando que em 2021 as chances dos preços das TVs OLED caírem consideravelmente (mesmo com a alta do dólar e dos impostos brasileiros), é interessante ficar de olho nos preços caso você não queira pegar uma TV Neo QLED da Samsung que deve chegar por uma pequena fortuna ao Brasil.

O que achou do artigo? Possui alguma dúvida sobre a tecnologia ou qual TV comprar? Não deixe de comentar abaixo e compartilhe conosco a sua opinião!