Veja o microcelular que entra com facilidade nas prisões do Brasil

O minicelular é constituído 99% de plástico e apenas 1% de metal

Por | @fsbeling Smartphones

Para alguns esses pequenos aparelhos são considerados como uma tecnologia ultrapassada, mas não é dessa forma que os presidiários brasileiros pensam.

É um telefone que cabe na palma da sua mão, o que facilita e muito sua entrada nas prisões brasileiras, além do mais possui 99% de plástico e apenas 1% em metal, o que permite sua passagem pelos detectores de metais. Este detalhe da constituição do aparelho nos sites em que está para venda é o chamamento para realização da compra dos maus intencionados.

Veja o microcelular que entra com facilidade nas prisões do Brasil

O aparelho tem fabricação na China, seu tamanho mede aproximadamente entre 6 centímetros e é semelhante a pequenos brinquedos. Os aparelhos não foram homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), aliás, foram vetados pela ANATEL, mas estão sendo vendidos no mercado com opção de cinco cores para escolha e preço aproximado de R$ 200 reais.

Seus modelos tradicionais medem 7 centímetros, largura de 2,3 cm, espessura de 1,3 cm com peso equivalente a 20g, ou seja, pequeno, leve e discreto. Por esse motivo tem se tornado o minicelular das prisões brasileiras pois dificultam a sua visualização e a sua detecção por conter apenas 1% de metal em sua composição.

Estes por sua vez são mais espessos, como os modelos da Zanco e Haimindelec, por exemplo, medindo em torno de 3 centímetros de comprimento, altura de 5,5 cm e pesam aproximadamente 30g.

Possuem ainda formatos diferenciados, como chaves e miniaturas de carros de luxo BMW, Porsche, Ferrari e Audi, enquanto seus tamanhos são proporcionais a uma tampa de caneta ou isqueiro.  

Sua configuração é básica, lembra muito o antigo celular da Nokia, que era conhecido por muitos como “tijolão”, inclui calculadora, rádio, ligações, SMS, conectividade Bluetooth e um modificador de voz, função conhecida como “caixa” presente nos modelos Long-CZ.

Veja o microcelular que entra com facilidade nas prisões do Brasil

Já vem desbloqueado e funciona com chips de qualquer operadora, em outros países estão à venda a um preço equivalente a R$ 90 reais (EUR 26 OU US$ 28), já no Brasil estão à venda em sites com marcas desconhecidas através de páginas não oficiais na Web, mas algumas oferecem até mesmo garantia de funcionamento do aparelho. Porém, são fabricados somente na China e na Índia.

Mais sobre: celular brasil prisão
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo