10 desenvolvedoras de games que faliram

Umas deixaram saudades, outras nem tanto. Confira as 10 desenvolvedoras que partiram dessa para uma melhor

Por | @Evilmaax Games

Quem é gamer velho, dos anos 90 ou 80, já viu muitos nomes diferentes assinando os cartuchos de 8 bits, 16 bits, e por aí vai. Porém, assim como, qualquer em outro ramo, as empresas do mundo gamer também passam por dificuldades e até vão à falência.

Separamos 10 que tiveram esse triste fim. Algumas delas deixam saudades, outras não fizeram falta nenhuma.

Confira:

10 - Technos

Uma produtora japonesa que foi uma das responsáveis por espalhar o gosto pela pancadaria na criançada dos anos 90. Eles foram os precursores dos games de beat and up, ou popularmente: briga de rua.

Foi a Tecnhos que criou a série Double Dragon, criada originalmente para arcade, mas que depois foi para as plataformas caseiras com o Nes, Master System, Atari, Mega Drive, Game Boy, e muitos outros.

Vendo essa quantidade de consoles que pagaram pra ter o jogo é difícil imaginar que as finanças da Techno deram ruim, concorda? Porém, deram sim, e o erro foi o mesmo motivo pelo qual ela fez sucesso: Os games de briga de rua.

Sim, a marca até mesmo chegou a se aventurar por outros estilos, porém onde ela fazia sucesso mesmo era com os games de porradaria, e quando o estilo começou a decair, a Technos foi junto.

10 desenvolvedoras de games que faliram

9 - Data East

Essa daqui eu tenho profundas lembranças, principalmente por causa do maldito game de sinuca que ela produziu para o Super Nes, o saudoso Side Pocket.

Além disso, a marca que surgiu desenvolvendo arcades, criou a saga Joe e Mac. E se até hoje você gosta de se aventurar pelos games dos 80 e 90 nos emuladores, dificilmente vai passar ileso sem encontrar games da merca.

O problema da Data East foi o mesmo que acometeu as demais: Dificuldades em se adaptar às novas tendências.

10 desenvolvedoras de games que faliram

8 - THQ

Essa falência foi uma surpresa para quem acompanha o mundo dos games. O motivo foi que a marca era dona de algumas das séries mais badaladas – e rentáveis – dos últimos anos, como Saints Row e Darksiders.

Mas então por que a THQ precisou fechar as portas e vender o que restava para saldar as dívidas? Uma série de decisões erradas é a resposta. A maior delas é, sem dúvidas, o UDraw, uma caneta + tablet para você desenhar na sua tv através do seu console. Praticamente um paint moderno.

10 desenvolvedoras de games que faliram

O gadget foi lançado para Wii U, Playstation 3 e Xbox 360. Nunca ouviu falar? Pois é, tá aí o motivo deles terem quebrado. O rombo causado por esse erro de estratégia aliado a vendas menos expressivas de alguns outros títulos endividaram a marca de uma maneira que nem mesmo o sucesso dos carros-chefes foi capaz de suplantar.

Mas se você era fã destes títulos, calma que nem tudo está perdido. A sega e a Ubisoft repartiram os espólios e quem sabe não vamos ver um novo Darksiders?

10 desenvolvedoras de games que faliram

7 - Hudson

Essa morreu e deixou saudades, motivos? Bomberman =(

A história da “falência” da Hudson é meio diferente dos demais nomes desta lista, pois não foi bem uma falência. Acompanhe: Com bons títulos e uma tradição no mercado a Hudson sobrevivia, e muito bem, diga-se de passagem. O problema foi que no início dos anos 2000 os seus cabeças e mentes criativas começaram a sair da empresa para trabalhar para outras desenvolvedoras e com eles foi minguando a qualidade que diferenciava a marca da abelha.

E como eu disse. Não foi propriamente uma falência, pois a marca foi absorvida pela Konami em 2012 ao invés de fechar as portas cheia de dívidas.

10 desenvolvedoras de games que faliram

6 - Midway

Outra desenvolvedora que dava a devida atenção à pancadaria e aos litros de sangue com um título universal e que eu duvido que você não tenha jogado: Mortal Kombat.

Além de serem os criadores dessa franquia campeã de críticas a Midway fez fama por ser uma das primeiras produtoras do mercado e também por importar muitos games japoneses que faziam sucesso do outro lado do mundo e comercializar no ocidente em sua versão americana.

O começo de sua derrocada veio também com os anos 2000 e a decadência dos games de luta. Para piorar, quando eles tentaram modernizar a saga e lançar o Mortal Kombat em versão 3D a coisa piorou. Além disso haviam problemas judiciais e problemas com os executivos que acabaram por matar a Midway.

Por sorte a franquia mais famosa da marca continuou sob outra produtora e hoje os Mortal Kombat’s são sucesso novamente.

10 desenvolvedoras de games que faliram

5 - Akklain

Marca que lançava diversos títulos baseados em desenhos e filmes para o Super Nes e Mega Drive. Com certeza você conhece alguns de seus títulos, como aquele do Bart Simpson e o Batman Forever (um dos jogos mais difíceis que já joguei na vida) e que foram muito famosos na época.

O início da queda da Akklain deu-se quando as vendas de games baseados em títulos de filmes começaram a cair. Como a marca era mais uma distribuidora de games do que uma produtora, propriamente dita, as vendas não cobriam mais a produção e os valores de licenciamento. Dívidas acumularam e as portas precisaram ser fechadas.

10 desenvolvedoras de games que faliram

4 - LucasArts

Criada pelo próprio George Lucas, a marca era dona dos melhores jogos já lançados sobre Star Wars, verdadeiros clássicos do Super Nes. Além disso as séries Indiana Jones e Zombies Ate My Neighbors também eram assinadas pela LucasArts.

Porém, assim como a Hudson, este foi um nome que não chegou a falir, mas sim foi engolido. Dessa vez, porém, a situação toda foi muito mais misteriosa.

Comprada pela Disney – que há pouco tempo já havia comprado a Pixar e a Marvel Entertainemnt – a LucasArts seguia desenvolvendo games promissores sob o guarda-chuva da nova dona, porém, de uma hora para a outra, a Disney resolveu que era hora da marca morrer.

E assim, da noite para o dia, mais de 100 pessoas foram demitidas e o desenvolvimento de games cancelado. Os direitos dos games da franquia Star Wars foram licenciados para a Electronic Arts e já podem ser encontrados nos consoles da última geração.

10 desenvolvedoras de games que faliram

3 – SNK

Outra marca que ficou famosa por seus games de luta. Principal concorrente da Capcom e seus Street Fighters, a SNK e a série The King of Fighters marcaram época, sendo considerados por muitos como a melhor franquia de luta já criada. O sucesso veio por causa de seus personagens marcantes como Terry Bogard e Mai Shiranui, campeã de cosplays até hoje. Entre outros títulos famosos a SNK lançou Samurai Shodow e Metal Slug.

O início do fim foi quando a nova geração de consoles surgiu e os games de pancadaria 3D (Tekken, Soul Edge e Virtua Fighter) começaram a puxar as vendas e deixar TKF esquecido. Precisando se reinventar a marca investiu pesado em uma placa para seus consoles (NeoGeo) que pudessem inserir a franquia no futuro dos games.

10 desenvolvedoras de games que faliram

Acontece que algo deu muito errado e o resultado ficou bem ruinzinho. E para piorar eles lançaram também o seu videogame pocket, o NeoGeo Pocket. O sistema era promissor, pois tinha Sonic, tinha SNK vs Capcom, etc. porém estava no lugar errado na hora errada. O motivo? Pokémon.

Sim. A SNK deu azar de lançar seu portátil na mesma época em que o Pokémon transformava o Game Boy da Nintendo num dos maiores sucessos de todos os tempos em videogames. A pá de cal final foi o fim do Dreamcast pela Sega, a única plataforma em que ela estava se salvando. Sem ela as dívidas aumentaram e a falência veio.

A empresa foi vendida e virou a SNK Playmore em 2002, porém essa também está indo de mal a pior, segundo as más línguas.

10 desenvolvedoras de games que faliram

2 - SquareSoft

Meu primeiro amor da adolescência foi a SquareSoft que produziu inúmeros clássicos: Final Fantasy (do I ao X-2), Chrono Trigger, Parasite Eve, Vagrant Story, Chrono Cross, Secret of Mana, Legendo f Mana, Super Mario RPG, Bushido Blade, Sword of Mana, Secret of Evermore e por aí vai.

Todos são títulos de sucesso e venderam super bem. A produtora estava cheia de grana, certo? Certo. Com dinheiro em caixa o próximo passo foi apostar em outras áreas e a escolhida foi o cinema. O título a estrear essa nova onda não poderia dar errado, afinal seria um desdobramento dos games da série Final Fantasy.

10 desenvolvedoras de games que faliram

O filme ficou lindo, todo feito em computação gráfica, o máximo de tecnologia em 2001. Então o que poderia dar errado? Tudo.

Sim, o filme gastou um tocalhão de dólares e a arrecadação chegou a apenas 60% do valor gasto (137 milhões e 85 milhões, respectivamente). A saída foi juntar forças com a rival e formar a SquareEnix.

10 desenvolvedoras de games que faliram

1 - Atari

Para fechar a lista nada melhor do que uma produtora que já faliu mais vezes do que o Brasil ganhou copas do mundo.

Iniciou com games para arcade (programados por ninguém mais, ninguém menos, que Steve Jobs – leia ao lado) e depois, com a migração para sistemas caseiros, passou a produzir games para cartuchos de 8 bits.

No início desde os primórdios dos games, a Atari começou com consoles e logo passou para a produção de games. Separou-se em Atari Games Atari Corporation, a divisão de consoles. A divisão de hardware foi comprada pela JT Storage, que foi comprada pela Hasbro, que foi renomeada para Infogrames, que foi renomeada para Atari, que foi absorveu novamente a Atari Games. UFA!

Jogos famosos da marca? “Apenas” Tetris, o jogo mais vendido da história, e Primal Rage.

10 desenvolvedoras de games que faliram

E você conheceu os jogos dessas produtoras? Quais aquelas que mais fazem falta hoje e quais aquelas que já estão fazendo hora extra e poderiam passar dessa para uma melhor? Conta pra gente nos comentários.

Mais sobre: games nintendo maximilianomeyer
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo