5 perguntas que jogadores NÃO deveriam fazer sobre headsets

Será mesmo que os principais requisitos que jogadores buscam em headsets gamers são o que eles realmente deveriam buscar?

Por | @grasiel_grasel Periféricos

Depois de dar algumas navegadas pelas interwebs tentando aprender um pouco sobre periféricos, especialmente headsets e headphones, me deparei com várias dúvidas de usuários sobre diversos produtos presentes no mercado nacional. O mais comum são publicações de pessoas que estão querendo comprar um headset gamer depois de escolher o mais bonito e que caiba em seu orçamento, elas buscam descobrir se “esse fone é bom?” e costumam receber respostas como: “é sim! Tenho um igual e não posso reclamar”. É claro, se você nunca testou um produto de mínima qualidade e te faltam alguns conhecimentos básicos que todo comprador deveria ter, certamente não sabe o que é um headset ruim.

Com este artigo queremos ter a chance de ajudar futuros compradores que buscam um headset / headphone de qualidade, dessa maneira, podemos garantir que você não gaste o seu dinheiro em produtos superfaturados por recursos inúteis, assim como também podemos colaborar com o mercado mostrando às fabricantes o que nós jogadores realmente precisamos.

Repare que, em cada uma das perguntas, estaremos assumindo que você é um jogador que busca de informações de áudio precisas, como em jogos de FPS ao estilo Counter Strike: Global Offensive, no qual cada som deve ser percebido juntamente com a direção de onde ele está vindo.

É 7.1?

Números são sempre muito impressionantes para usuários, não importa como estão apresentados, eles podem ir desde o tamanho do cabo, passando pela circunferência dos drivers e chegando até o número de “canais de áudio” que seus efeitos de reverberação infernais são capazes de reproduzir, e é exatamente aqui que queremos chegar.

Ainda que existam os fones “5.1 real” ou “7.1 real”, é basicamente impossível reproduzir a imersão de tantos canais de áudio presentes, por exemplo, em um home theater com caixas bem posicionadas em uma peça de plástico, alumínio ou metal presa às suas orelhas.

O que o marketing das empresas tenta entregar é o que encontramos em um bom palco sonoro e imaging, que, em resumo, são a capacidade do fone de criar imersão, fazendo com que o usuário sinta que o áudio está vindo de fora, e não dos drivers ao lado dos ouvidos, dessa maneira, é muito mais fácil distinguir diferentes sons e de onde eles estão vindo. Ao longo deste artigo você verá ainda mais porque palco sonoro é tão importante para jogadores.

Vaza Som?

Outro aspecto bastante relevante, mas que é evitado por boa parte dos jogadores, é o isolamento do fone, que está bastante ligado ao palco sonoro e o desempenho em geral que ele poderá oferecer.

É bastante comum vermos produtos sendo evitados por jogadores porque eles “vazam som”, no entanto, a imensa maioria das marcas que proporcionam esse vazamento o fazem propositalmente, pois isto permite que o áudio tenha um fluxo natural maior, eliminando as barreiras internas, diminuindo a interferência de frequências repetidas e garantindo uma propagação de ondas sonoras assim como elas devem ser na vida real.

E agora que você sabe a importância deste vazamento que sempre lhe pareceu tão inoportuno, escolha uma das opções:

  1. Você costuma jogar com seu headset no meio da sala, com várias pessoas assistindo televisão, lendo um livro ou estudando ao seu lado.
  2. Você costuma jogar trancado no seu quarto onde ninguém pode te atrapalhar ou ser atrapalhado.

Se a sua alternativa escolhida foi a primeira, a sua única saída é um fone fechado, pois ele te isola do que acontece do lado de fora, assim como não atrapalha quem está do seu lado, no entanto, ele ainda não será capaz de entregar o desempenho de uma construção aberta.

Tem bastante grave?

Infelizmente, um dos maiores motivos do mercado de periféricos “gamers” oferecerem uma infinidade de produtos horríveis, são justamente os seus usuários. Uma das principais reivindicações de compradores que buscam um fone (e que não entendem de áudio para jogos) são graves mais pesados, pois eles deixam as explosões e outros efeitos mais “bonitos”, no entanto, eles prejudicam o desempenho em si.

Graves exorbitantes distorcem outras frequências de áudio (médios e agudos) que são extremamente importantes em jogos que necessitam de certa fidelidade de áudio, dessa maneira, um headset que poderia ser no mínimo bom, é completamente estragado por ter graves demais, mas que agrada jogadores que gostam de "sentir a orelha tremer".

Um bom exemplo de headset gamer que consegue ser bom pelo simples fato de ter uma fidelidade de áudio absurda, é o HyperX Cloud (incluindo Cloud Revolver), que embora não seja aberto, oferece frequências de áudio tão bem definidas que acabam tornando o direcionamento de sons muito mais fácil do que qualquer outro fone "gamer" fechado e com graves exorbitantes.

É USB?

Algo extremamente comum no mercado de headsets gamers são as conexões USB, que geralmente existem pela adição de uma placa de som integrada, que eliminam o “problema do volume”, e em alguns casos, ajuda a eliminar o ruído do microfone de forma efetiva.

Embora estes recursos sejam atrativos, a grande maioria das placas de áudio integradas em headsets são horríveis, elas costumam usar o mesmo chip de placas de áudio USB encontradas no mercado livre por R$10 e geralmente acrescentam preços absurdos em produtos que também possuem versões analógicas com conexão P2.

A verdadeira questão é que, embora placas integradas possuam recursos interessantes, outras placas USB baratas são capazes de entregar uma melhoria muito superior em relação a eliminação de ruídos, assim como também resolvem o “problema de volume” de quem possa reclamar dele.

O volume é alto?

Existem inúmeros fatores que determinam o volume de um headset, a impedância, que quanto menor for, mais fácil é conseguir níveis altos; a sua sensibilidade, que também precisa ser a maior possível; e talvez o mais importante, que causa a maioria das reclamações sobre volume, a potência da interface que você conectou o seu fone.

Você não pode reclamar que seu headset tem pouco volume se a interface de conexão dele é o um controle de PS4, que certamente entrega uma quantidade muito inferior de energia do que um computador, assim como um smartphone que tem bateria horrível e mal pode rodar o seu Android.

Não está errado dizer que até mesmo em seu computador pode existir uma certa diferença se a sua placa de áudio onboard ou offboard for de baixa qualidade, no entanto, são raros os casos onde a diferença possa ser considerável.

Leia também:

O que gamers deveriam perguntar sobre headsets?

Digamos que, por ordem de importância, as principais perguntas deveriam ser:

  1. Tem um bom Palco Sonoro?
  2. As frequências de áudio são equilibradas?
  3. É aberto, semi-aberto ou fechado?
  4. É confortável?
  5. Vale o preço?
  6. Precisa de amplificação?

Seguindo estas dicas, você não estará apenas descobrindo se o produto que você pretende adquirir é realmente bom ou não, mas também ajudando a melhorar o mercado, que buscará cobrir estes quesitos que começaremos a criticar. ;)

  • Quer receber novidades sobre Periféricos?

    Preencha o formulário abaixo para se cadastrar:

  • Preencha para confirmar

Recomendado
Siga nas redes
Mais compartilhados
O QUE LER EM SEGUIDA
Comentários
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar