Oficina da Net Logo

Senado pode vetar limitação da internet banda larga fixa na próxima semana

Projeto de lei, que visa proibir medida adotada pelas operadoras, deveria ter sido votado na última terça-feira, mas foi adiado para a próxima semana.

Por | @oficinadanet Internet

O projeto de lei 174/2016, de autoria do senador Ricardo Ferraço, que visa vetar a limitação de consumo de dados nos planos de internet banda larga fixa, poderá ser votado na próxima semana. O pleito deveria ter acontecido nesta terça-feira, dia 5 de julho, mas foi adiado para a semana que vem, pois não houve quórum na Comissão de Ciência e Tecnologia. Como a proposta tramita em caráter terminativo, seria necessária a presença de nove senadores na sessão para que fosse votada.

Senado pode vetar limitação da internet banda larga fixa na próxima semana

O projeto proposto por Ferraço inclui mais um inciso no artigo 7º do Marco Civil da Internet, inciso este que proíbe o uso de franquias para o serviço. O senador Pedro Chaves, relator da matéria, ao ler seu parecer favorável à aprovação do projeto de lei, salientou que a limitação no uso de dados é um retrocesso. Ele acredita que a medida, já anunciada por três operadoras de telecomunicações instaladas no país, colocará um freio no avanço da inovação. Além disso, diz que irá prejudicar ações governamentais de inclusão digital, ensino à distância e o próprio desenvolvimento da economia. "Essa casa não pode se silenciar sobre essa causa, que mobiliza milhões de brasileiros", salientou Chaves. Em enquete realizada pelo DataSenado, 99% dos participantes se colocaram contrários as franquias limitadas.

Conforme o senador, as regras da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) ainda não estão de acordo com todos os itens estabelecidos pelo Marco Civil da Internet. O político ainda ressaltou que vários outros projetos de lei com o mesmo teor do PLS 174/2016 já tramitam no Senado e na Câmara, o que indica apoio dos demais parlamentares com a causa.

Leia também: Entrevista exclusiva com presidente da Hughes Brasil aponta planos e perspectivas para o país

Embora a votação do PLS 174/2016 não tenha ocorrido, a CCT do Senado aprovou outro projeto de lei que também diz respeito à internet banda larga brasileira. O PLS em questão é o 427/2014, do ex-senador e atual conselheiro da Anatel, Aníbal Diniz, que permite o uso do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) na ampliação do serviço de acesso à internet em banda larga e promoção da inclusão digital.

Conforme determina a proposta, 70% dos recursos oriundos do Fust devem ser destinados para as regiões e os outros 30% podem ser aplicados de forma discriminatória pelo governo. O senador Lasier Martins, relator da proposição, fez algumas alterações no texto, o que determinou que o fundo deve ser dividido em 13% para a região Norte, 19% à região Nordeste, 22% à região Sudoeste, 8% à região Sul e 8% à região Centro-Oeste. Mesmo com a divisão, o senador diz entender que todas as regiões do país estão mal atendidas e possuem problemas na infraestrutura, então o problema deve ser atacado nacionalmente. O projeto ainda será analisado pela Comissão de Assuntos Econômicos.

Comentários
Carregar comentários