Orelhões começam a ser trocados por totens Wi-Fi em Nova York

A receita será proveniente dos anúncios exibidos nas telas de 55 polegadas. Nos primeiros 12 anos de contrato a estimativa é que a cidade atinja receita de US$ 500 milhões.

Por | @RafaelaPozzebon Tecnologia

Na terça-feira (5), a cidade de Nova York começou a substituir os velhos orelhões por pontos de acesso à internet. Inicialmente, dois pontos já foram instalados, porém, a meta para os próximos quatro anos é instalar 4.550 pontos de acessos em todos os cinco grandes bairros da cidade.

Os dois primeiros totens, que fornecem velocidade de 1 Gbps a qualquer indivíduo em um raio de 50 metros, foram instalados na esquina da Rua 15 com a 3ª Avenida e também na Rua 17.

Orelhões começam a ser trocados por totens Wi-Fi em Nova York

Leia também:

Até 2024, a estimativa é que 7.500 pontos sejam ofertados. Os locais foram criados para substituírem os orelhões, que já não costumam mais serem usados com tanta frequência, em alguns locais, estão simplesmente esquecidos.

Para que toda a infraestrutura para abrigar os quiosques seja feita, é necessária uma rede de vários quilômetros de cabos de fibra ótica. Veja o que é e como funciona o Li-Fi

Os totens, além de acesso à rede, também oferecem ligações gratuitas, portas USB para carregamento de smartphones e ainda uma tela sensível ao toque para navegação na internet. Os acessos Wi-Fi são criptografados, o que garante total privacidade aos usuários.

Colin O’Donnell, diretor de inovação da Untersection, empresa contratada para realizar o projeto, disse que já no próximo mês estarão disponíveis algumas dúzias de quiosques. Até o meio do ano, ele estima que serão 510 totens.

A receita será proveniente dos anúncios exibidos nas telas de 55 polegadas. Nos primeiros 12 anos de contrato a estimativa é que a cidade atinja receita de US$ 500 milhões.

“Nós podemos usar dados locais, demografia, informação em tempo real para oferecer a mensagem certa para a audiência certa”, disse O’Donnell em entrevista à Bloomberg.

A internet oferecida nos quiosques será mais veloz do que muitos nova-iorquinos possuem em suas residências, disse o executivo. O material externo ainda é resistente ao vandalismo e também ao clima. Com isso, a durabilidade do sistema será grande.

Mais sobre: york, internet, wi-fi
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários