Claro inicia testes com frequência de 70 MHz no Brasil

Esta é a primeira vez que uma operadora utiliza a faixa de 700 MHz em um local de testes externo.

Por | @RafaelaPozzebon Tecnologia

Somente agora, os resultados do leilão da frequência de 700 MHz de serviço móvel 4G que foi realizado em 2014 ganharam força. Na terça-feira (15), a Claro revelou que iniciou os testes com a nova frequência na cidade goiana de Rio Verde.

Esta é a primeira vez que uma operadora utiliza a faixa de 700 MHz em um local de testes externo. Com isso, será possível acessar simultaneamente os recursos das três frequências, com experiência de navegação diferenciada e ainda mais próxima do conceito 5G.

Claro inicia testes com frequência de 70 MHz no Brasil

Leia também:

Leia também:

“O uso da frequência de 700 MHz é um passo muito importante para o aprimoramento do 4G e para a evolução ao 5G. Apesar da banda ainda não estar liberada para uso comercial, os testes permitirão à Claro aperfeiçoar os serviços já oferecidos e continuar liderando a inovação em serviços móveis no país”, afirma Carlos Zenteno, CEO da Claro, unidade Mercado Pessoal.


Quando a frequência for disponibilizada para uso comercial, os clientes poderão navegar com mais qualidade em sites e aplicativos que necessitem de maior uso de dados, como jogos e vídeos, por exemplo. Porém, para que a faixa de 700 MHz possa ser usada pelas operadoras é necessário que ela deixe de ser utilizada pelas emissoras de TV.

Através da novidade será possível que a operadora consiga alcançar uma velocidade media 45% maior que a do 4G tradicional e com velocidades instantâneas próximas a 300 Mbps. Além disso, será possível aumentar o número de usuários navegando com alta qualidade.

A Claro, no leilão, adquiriu o lote de 700 MHz por R$ 2,9 bilhões.

O fim da TV analógica está programada para acontecer em 2018. Os testes ocorreram em Rio Verde, onde foram realizados os experimentos com o 4,5G, e a faixa de 700 MHz deveria ter sido liberada ainda neste mês, porém foi adiada pelo governo.

Mais sobre: internet, claro, 5g
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários