Vírus cobra usuários do Android para roubar seus dados

Atenção usuários de Android, um novo malware denominado de "Gunpoder" está obrigando usuários do sistema a pagarem por um programa que rouba seus dados.

Por | @oficinadanet Segurança digital

De acordo com a empresa Palo Alto Networks, o malware que é encontrado na Google Play Store e que se diz ser um emulador que roda games de Nintendo em smartphones e tablets é na verdade um poderoso vírus. Segundo a companhia acima citada, ela determinou três variações do malware e muitas ferramentas de antivírus estão encontrando dificuldades para detectar o código malicioso do referido vírus, uma vez que ele possui uma biblioteca de adware denominada de "Airpush".

Especialistas da Palo Alto Networks informaram: "As amostras do malware usaram com sucesso essas bibliotecas de publicidade para disfarçar comportamentos maliciosos da detecção de aplicativos de antivírus, mesmo alguns desses marcarem o Gunpoder como um adware, ao não marcá-lo corretamente como um perigoso malware, a maioria dos aplicativos não conseguirão que o vírus seja executado".

Entre os problemas que o Gunpoder pode causar estão estão ações invasivas como coletar os favoritos ou históricos de navegação do usuário, podendo se autorreplicar ao acessar sua lista de contatos e enviarem o código malicioso por SMS, mostrando anúncios fraudulentos e executados outros tipos de códigos de infecção. Ao executar o arquivo em seu dispositivo móvel, o malware exigirá que você pague pela licença completa para rodar os games da Nintendo em seu smartphone ou tablet, valor esse que poderá girar em torno de US$ 0.20 a US$ 0.49; o pagamento será realizado através do PayPal ou Skrill.

Ai você pode pensar: Ta, e se eu desistir e não efetuar o pagamento? Não adianta mais, pois o seu sistema já estará infectado com o determinado vírus.

Segundo a empresa norte-americana, o vírus ou malware está causando problemas a usuários do sistema Android na África do Sul, Arábia Saudita, Espanha, Estados Unidos, França, Indonésia, Iraque, Itália, México, Rússia, Tailândia e até mesmo o Brasil. Tudo indica que o vírus partiu da China, uma vez que o mesmo não infecta o sistema em questão no país.

Para conseguir eliminar o malware de seu dispositivo móvel, o usuário terá que aguardar por uma atualização do antivírus instalado no aparelho, para que o próprio possa identificar corretamente e assim oferecer uma forma de bloquear e eliminar o problema do aparelho.

Mais sobre: Segurança, Malware, mobile
Share Tweet
DESTAQUESRecomendadoMais compartilhados
Comentários
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar