Apple sofre ação judicial movida por colaboradores

Colaboradores alegam que foram submetidos a situações embaraçosas com relação à segurança.

Por | @oficinadanet Carreira em TI

De acordo com o jornal Guardian, uma ação judicial contra a Apple foi tornada pública nesta última quarta-feira, 10 de junho. O documento fala a respeito de duas reclamações de funcionários de lojas da Apple que se queixaram pessoalmente ao CEO da empresa, Tim Cook, através de um e-mail.

Ambos os funcionários relataram a Tim Cook abusos por parte da segurança da empresa, que obrigava a verificação de bolsas e mochilas de seus colaboradores como medida de segurança no final do expediente ou em saídas dos vendedores das lojas da marca. Segundo o documento, essa medida é embaraçosa e degradante. No e-mail enviado por um desses funcionários, estava escrito o seguinte: "A companhia trata os seus colaboradores valorizados, como criminosos".

Vale salientar que essas mensagens não foram enviadas agora, mas sim em 2012, o que levou a abertura de um processo contra a Apple em 2013. As reclamações só vieram à tona essa semana e assim que teve conhecimento dessas reclamações, Tim Cook imediatamente enviou as mensagens para executivos de varejo e recursos humanos do alto escalão com a seguinte questão: "Isso é verdade?". O documento judicial não menciona quais as respostas o CEO da empresa da maçã recebeu.

Na ação, os denunciantes, Dean Pelle e Amanda Friekin, alegam que as buscas seriam feitas para desencorajar roubos de produtos das lojas, sendo realizadas sempre que um vendedor da loja deixava o estabelecimento, entre elas, as saídas para o horário de almoço.

A ação movida contra a empresa por esses dois colaboradores, foi aberta na Califórnia, onde ambos buscam uma ação reparadora de forma coletiva. Vale ressaltar que, recentemente, a marca fora acusada de trabalho escravo na China.

Mais sobre: Apple Colaboradores Apple Store
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo