O mundo não conhecerá o Windows 11, diz Jerry Nixon

Após tentarmos levar até vocês amigos leitores, uma explicação do porque da Microsoft ter pulado do Windows 8 e ter lançado o Windows 10, nesta última quinta-feira, 07 de Maio, hoje a companhia deu a entender que o mundo não conhecerá o Windows 11.

Por | @oficinadanet Windows

A informação não muito conclusiva foi dada durante a conferência Ignite, que ocorreu nos Estados Unidos durante esta semana. Jerry Nixon, desenvolvedor e evangelista da Microsoft, disse o seguinte: "Windows 10 é a versão final do Windows e porque ela é a última versão do Windows? Porque ainda estamos trabalhando no Windows 10".

Além deste depoimento, Nixon revelou que a gigante de Redmond estava trabalhando na próxima versão do sistema operacional durante o lançamento do Windows 8.1, o que nos ajuda a lembrar do modelo de distribuição e licenciamento de software denominado de SaaS ou simplesmente, Software como um serviço. Com essa dúvida que Nixon deixou no ar, mostra na prática que a Microsoft irá transformar o Windows, como a própria empresa já havia informado, em um serviço. Muito se espera que a Microsoft transforme o sistema em uma plataforma com marca "fixa", bem como já vem acontecendo com o "Office 365". A ideia é cortar essas versões principais, e transformar o Windows em um produto único e contínuo.

O mundo não conhecerá o Windows 11, diz Jerry Nixon

Leia também: Uma camiseta pode ter revelado por que a Microsoft pulou o Windows 9.

Outro detalhe que leva a crer que o Windows será único, é que a partir desta edição, a Microsoft irá integrar o sistema operacional em diversos aparelhos e em diversas categorias, ou seja, o mesmo poderá estar em um tablet, smartphone, videogame ou computador. Essa pode ser outra explicação plausível do porque da empresa de Redmond ter pulada uma versão, acreditando que esta é a última versão numérica do sistema. Com o Windows sendo empregado como "serviço" e não mais como um "produto", o mesmo deverá receber atualização gradual de suas ferramentas.

Para o site The Verge, a situação do Windows deverá ser muito semelhante à do Google Chrome, que não é somente um produto do maior site de buscas do mundo, mas sim um serviço, que recebe update rápidos, efetivos, discretos e por muitas vezes pequenos, que não chamam a atenção de seus usuários e do público em geral. Assim sendo, ao longo dos próximos anos, os usuários do sistema operacional da Microsoft não falarão mais que possuem o "Windows X, Y ou Z", mas sim, vão dizer que usam o Windows como o seu sistema operacional.

Mais sobre: Windows Sistema Operacional Microsoft
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo