SEO – na teoria - Parte 2

Entenda detalhes de SEO - Search Engine Optimization, o processo de otimização dos buscadores da internet.

Por | @oficinadanet Marketing Digital

Nesse artigo iremos continuar a monstrar o cenário em que as técnicas de SEO estão inseridas. Falaremos sobre o Ranking para determinar a exposição dos links nos buscadores, como o SPAM interfere nos resultados de buscas e como é tratado pelo SEO, e termos de SEO.

Antes de ler este artigo, que tal dar uma passada no primeiro artigo desta série? SEO - na teoria - Parte 1

SEO - Ranking

Os mecanismos de busca da internet utilizam critérios para classificar as páginas da web no cenário atual. Segue os principais conceitos dessa classificação.

Pontuação: Pense como uma cebola e suas camadas, o termo “o algoritmo do Google” significa mais especificamente que diversos algoritmos com vários fatores aninhados, e então temos a pontuação sobre todos para compor os rankings iniciais.

Impulso: Este elemento ou sinal possibilita elevar a posição de uma página nos rankings. Um exemplo é uma declaração de que o Google fez rápidos sites móveis dando um impulso nas buscas móveis. Várias formas de personalização também usam algum elemento para impulsionar os resultados de reclassificação.

Amortecimento: Um fator de amortecimento é um elemento que reduziria os rankings de uma página web, após o processo de pontuação inicial, mas não deve ser confundido com penalidades. Um exemplo são os agora infames algoritmos do Google Pinguim ou Panda. Embora possa parecer uma penalidade, é, de fato, um elemento de amortecimento.

SEO – na teoria - Parte 2

Consideramos os vários sinais em off-site e sinais gráficos, como links, sociais, de entidades, de conhecimento. Dentro de cada um desses, existem mecanismos de classificação e pontuação em jogo que afetam onde um site aparece nos resultados.

SEO - Front-end

A teoria de SEO pode ser separada em duas áreas de atuação, onde os fatores que influenciam nos resultados de classificação dos sites de busca seriam chamados de fatores “On-Page” e fatores “Off-Page”. Onde os fatores On-Page caracterizam-se por serem aqueles que alteram aspectos internos das páginas e os fatores Off-Page são aqueles que se caracterizam pelos aspectos externos às páginas.

SEO – na teoria - Parte 2

Os principais fatores On-Page: Títulos das páginas; Meta tags; Heading tags; Atributo alt em imagens; Domínio; URL do arquivo; Conteúdo.

E os principais fatores Off-Page: Número de links externos; Qualidade de links externos; Texto âncora dos links externos; Idade de um domínio.

Nestes fatores existem tarefas e conhecimentos diferentes, mas, para um resultado efetivo, a aplicação dessas técnicas é obrigatoriamente exigida de forma complementar. Porém o trabalho do desenvolvedor Front-end fica restrito à atuação nos fatores On-Page, que é considerada por muitos especialistas, como a área mais importante do SEO.

SEO - termos técnicos

Existem termos específicos da área de SEO que devem ser entendidos pelos desenvolvedores front-end.

SEM - Search Engine Marketing - Marketing para Buscadores: envolve marketing em serviços e produtos para mecanismos de busca. O SEM é dividido em dois pilares: SEO e PPC. O significado mais adequado para SEO é o de ferramenta de otimização para mecanismos de busca. O PPC - Pay Per Click - Pago Por Clique, são os links patrocinados, é a prática de comprar links dos mecanismos de busca.

Backlink - link interno: é uma referência de outro site apontando para seu site. São relevantes para o SEO por afetarem de forma direta o pagerank, influenciando no ranking de buscas. A ideia básica por trás do algoritmo é que, um link vindo de uma página A para uma página B, pode ser um voto de confiança da página A para a página B. Quanto mais links uma página receber mais ela seria confiável.

Linkbait: trata-se de um tipo de conteúdo publicado em um site ou blog com o objetivo de atrair muitos backlinks. Pode ser um texto, um vídeo, um infográfico, um quiz. Podemos citar como exemplo de Linkbait os rankings “Top 10”.

Link Farm: é quando um grupo de sites criam links para um mesmo site, com a ideia de aumentar o pagerank deste site. Essa técnica já funcionou, mas hoje em dia é tratada como spam.

Sandbox: trata-se de um índice diferenciado, utilizado para sites novos. Quando um site está no sandbox ele não aparece no resultado normal. Assim que o site for verificado pelo Google ele será movido do sandbox para o índice principal.

Densidade de palavras-chave: para saber a densidade de uma determinada palavra-chave em uma página, conta-se o número de vezes que a mesma aparece e divide-se pelo número de palavras na página. O SEO considera a densidade de palavra-chave um fator extremamente importante e os algoritmos tendem a enfatizá-la cada vez mais.

Keyword Stuffing: a partir do momento em que as palavras-chave passaram a ter mais relevância para os mecanismos de busca, os desenvolvedores passaram a manipular a quantidade das mesmas em uma página, fazendo esta ficar com mais palavra-chave que deveria. Isso é chamado de Keyword Stuffing. Essa técnica não é mais utilizada e quem a pratica, pode ser penalizado severamente pelas ferramentas de busca.

Cloaking: consiste em mostrar um conteúdo para os mecanismos de busca e outro para o usuário. A ideia é manipular para que os mecanismos de busca vejam as palavras-chave e usar o acesso ao site para relacionar produtos e serviços e exibir aos usuários. Essa técnica é considerada spam e passível de penalização pela maioria dos mecanismos de busca, lembremos do recente caso da empresa Decolar, que foi punida por usar cloaking em seu site.

Call to Action chamada a uma ação: são links ou funções de uma página que levam os usuários a realizar ações.

Conteúdo Duplicado: trata-se de um bloco de conteúdo dentro de um domínio relacionado que contenha um conteúdo igual ou similar, em alguns casos podendo constituir plágio de informação.

URL Canônica: é quando uma URL de um mesmo conteúdo pode ser representada de mais de uma forma. Por exemplo, a versão canônica de www.seusite.com.br pode ser www.seusite.com.

Robots.txt: documento usado pelos mecanismos de busca para estruturar um site, sempre colocado na raiz do domínio. Por exemplo, com o Robots.txt, é possível bloquear uma URL para os mecanismos de busca.

SEO - SPAM

Embora não se possa, em última análise, considerá-lo como um elemento de classificação, os spams da web também fazem parte do processo SEO e, mais que isso, devem ser considerados no momento da elaboração de uma estratégia SEO. Embora possa não ser algo que aumente seus rankings, com certeza pode diminuir ou demoli-los. Assim, em uma linguagem mais coloquial, podemos classificar os mesmos como “formas que as ferramentas de busca desclassificam uma página web”.

Web Spam é o termo utilizado para aqueles que procuram manipular os resultados da pesquisa. Tal como acontece com todas as coisas relacionadas à recuperação da informação e SEO, há uma infinidade de métodos que eles podem utilizar e pontuações associadas que a grande maioria dos usuários web desconhece. O Google disponibiliza um link em uma de suas páginas oficiais para lidar com esse tipo de problema.

SEO – na teoria - Parte 2

Alguns elementos da web spam podem incluir: Encobrimento e/ou redirecionamentos sorrateiros; Site hackeado; Texto oculto e/ou enchimento de palavras-chave; Domínios reservados; Spam Puro; Hosts gratuitos Spammy e provedores de DNS dinâmico; Conteúdo fino com pouco ou nenhum valor acrescentado; Links não naturais de um site; Ligações não naturais para um site; Spam gerado pelo usuário.

O ponto é que devemos considerar sempre o que afeta um ranking de uma página da web a partir de um ponto negativo, bem como de um ponto de vista positivo é: é preferível aproveitar os muitos fatores que examinados, mais do que manipulá-los. Então, se fizer isso, provavelmente nunca vai ter que se preocupar com o problema de spam web.

Então é isso. Os detalhes teóricos encerramos por aqui. Acredito que se continuássemos, ainda teríamos mais uns artigos a escrever, mas acredito que já é o sufiente para começarmos a nos aventurar na parte prática em SEO. Espero que tenha gostado. Curta e Compartilhe! Deixe seu comentário. Até o próximo artigo, um pouco mais prático.

Fonte: Fighting Spam – GoogleDEVMEDIA: Bruno Rodrigo Da Silva Souza

Mais sobre: seo, google, buscador
Share Tweet
DESTAQUESRecomendadoMais compartilhados
Comentários
AINDA NÃO SE INSCREVEU?

Vem ver os vídeos legais que
estamos produzindo no Youtube.