A história dos telefones celulares

O Oficina da Net organizou uma volta no tempo para você viver a evolução dos celulares.

Por | @grasiel_grasel Smartphones

Você consegue imaginar como seria difícil se comunicar se não tivéssemos os telefones celulares para nos auxiliar? Esse pequeno aparelho que cabe dentro do seu bolso tem extrema importância atualmente, não apenas por ser um dos meios de comunicação mais eficaz do mundo, mas também por ser o único que nos dias de hoje é capaz de incluir um outro meio de comunicação dentro de si mesmo, a internet.

É difícil de acreditar que a pouco mais de 40 anos nunca foi possível fazer uma ligação para alguém com a ajuda de um aparelho sem fio, que não precisasse estar grudado na parede ou em cima da mesa na sala.

O primeiro celular do mercado

Muitos a criticam, mas não sabem que graças à Motorola e seu diretor de pesquisa e desenvolvimento, Martin Cooper, em 3 de abril de 1974 a primeira chamada com um telefone móvel foi realizada, lançando, assim, o primeiro celular, o Motorola Dynatac 8000X, que pesava 794 gramas, media 4,5 de largura, 8,9 cm de espessura e 33cm de altura, você leu corretamente, ele pesava cerca de cinco smartphones que temos no mercado atualmente e o tamanho de quase três Iphones 3.

A história dos telefones celulares
Martin Cooper e o primeiro celular

Dez anos depois do primeiro teste do Motorola Dynatac 8000X (1984), ele finalmente chegava ao mercado para que os consumidores pudessem comprá-lo, era simples como a tecnologia da época, contendo apenas o seu teclado e seus circuitos internos que eram mantidos por uma bateria que duravam incríveis oito horas em modo de espera e até uma hora se estivesse em uma chamada.

O surgimento dos flips

Problemas nas articulações e postura de quem usava os primeiros celulares não eram muito frequentes, mas estava na hora de inventar algo menor, menos pesado e com um design totalmente novo.

No inicio dos anos 90 a Motorola provava novamente que era a principal empresa do mercado de telefones celulares, criando o primeiro telefone celular que “abria a capinha”, ou seja, que tinha um flip que protegia as teclas do aparelho e seu microfone, o Motorola MicroTAC.

A história dos telefones celulares
Motorola MicroTAC

O Motorola MicroTAP pesava cerca de 500g e tinha 9cm de comprimento quando aberto, servindo de inspiração para vários outros aparelhos que em breve seriam introduzidos no mercado mundial e custava em média dolorosos US$ 3.000,00.

A chegada das mensagens de texto

Assim que viram que o mercado dos celulares só tinha a crescer, novas empresas foram surgindo. Uma delas é a Nokia, que teve a brilhante ideia de criar um celular que iria além das conversações por voz dos celulares normais, eles queriam um modelo que fosse capaz de mandar mensagens de texto também, criando, assim o Nokia 9000 Communicator em 1996, que tinha um design um tanto quanto estranho. O aparelho poderia ser aberto, como se tivesse sido fatiado, e em seu interior era encontrado um teclado onde o usuário poderia digitar a mensagem.

A história dos telefones celulares
Nokia 9000 Communicator

Leia também:

Esse sistema não durou muito, pois as empresas logo perceberam que um teclado alfanumérico era muito mais prático que algo que além de feio tornava os aparelhos maiores e mais pesados.

O inicio da era dos Smartphones

Como todos sabem, a tecnologia nos anos 90 evoluiu muito rapidamente, e assim que entramos no século XXI, essa evolução não parou, sendo adaptada também aos aparelhos celulares. Uma dessas tecnologias foi experimentada no ano 2000 no Ericsson R380, sendo conhecido como um dos primeiros celulares do mundo que teriam uma tela sensível ao toque e acesso a internet.

A história dos telefones celulares
Ericsson R380

Mais tarde várias outras marcas e modelos de celulares iriam se inspirar no Ericsson R380 para criarem seus próprios Smartphones, iniciando, assim, a era dos Smartphones.

A tecnologia do dente azul

Leia também:

Não satisfeita com a introdução dos smartphones ao mercado mundial, a Ericsson resolveu também criar outra tecnologia que seria revolucionária, a tecnologia Bluetooth, mostrando ainda mais que estava no mercado para introduzir novas ideias, que mais tarde seriam aperfeiçoadas por outras empresas.

O Ericsson T36 estava chegando ao mercado, e com ele a possibilidade de uma conexão entre aparelhos para o compartilhamento de dados sem fio também, uma tecnologia extremamente útil para quem resolvesse passar algum arquivo para algum amigo rapidamente e de uma forma prática, necessitando apenas de um parelhamento para a troca de informações.

A história dos telefones celulares
Ericsson T36

Uma câmera fotográfica que fala

Em 2002 surgia o Sanyo SCP-5300 da Sprint, um dos primeiros celulares com câmera fotográfica embutida do mercado mundial, o que poderia ser o começo de muitos avanços que ainda estavam por vir.

A história dos telefones celulares
Sanyo SCP-5300

A qualidade da primeira câmera em um aparelho assim era obviamente muito baixa, pois era uma tecnologia que ainda estava sendo introduzida ao mercado, o Sanyo SCP-5300 tirava fotos com uma resolução de 640x480 pixels e custava em média US$ 400.

Steve Jobs não gostava de teclas

A tecnologia no mundo da informática evoluía muito rapidamente, e estava na hora de introduzir algumas de suas ideias aos móbiles também.  Em 29 de junho de 2007, o gênio da informática e pai dos computadores de mesa, Steve Jobs, anunciava em uma conferencia da Apple na Macworld Conference & Expo, um novo aparelho que mudaria completamente a historia dos celulares, O iPhone 2G.

A história dos telefones celulares
iPhone 2G

Ao apresentar o novo celular publicamente, Jobs confessou: "Eu anseio esse dia por dois anos e meio. Hoje, a Apple vai reinventar o telefone". E realmte reinventou, os próximos modelos que estariam surgindo até a atualidade são inspirados nas tecnologias usada pelo Ex-presidente da Apple, que disse ter criado um aparelho como multidispositivo, uma celular que seria tão bom quanto um iPod, um comunicador de internet e um incrível celular totalmente controlado por touchscreen.

O iPhone tinha várias funcionalidades e aplicativos para serem utilizados, toda a interação ocorria somente pela tecnologia da tela sensível ao toque, que era a principal aposta do aparelho, o qual havia deixado as teclas para traz e começado a usar somente teclados embutidos no software do aparelho.

O que teremos no futuro?

Ao longo dos anos todas as tecnologias aplicadas aos celulares vem sendo melhoradas, a principal aposta ultimamente tem sido o desenvolvimento de aplicativos para smartphones, o que vem movimentando uma grande economia no mercado do setor.

A história dos telefones celulares
O Samsung Galaxy S5 é um dos mais novos e modernos celulares anunciados no mercado

Hoje câmeras gravam em altíssimas resoluções e reproduzem vídeos e aplicativos em 1080p em suas telas supermodernas, chamadas por operadoras são muito menos utilizadas, já que o usuário esta o tempo inteiro conectado a internet, onde pode mandar mensagens pelo Facebook ou aplicativos afins, ter uma agenda completa de suas tarefas e compromissos dentro do bolso e ainda usufruir de outras centenas de funcionalidades que a tecnologia para aparelhos móveis nos proporciona.

O que esperar do futuro dos celulares? É impossível saber, a 10 anos atrás eu e você não tínhamos ideia de que no futuro um celular serviria para tantas coisas mais que apenas fazer ligações e mandar mensagens... 

Mais sobre: históriasdigitais mobile celular
Share Tweet
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo

Siga nossas contas no Twitter