Afinal, os Correios estão em greve?

Os funcionários dos Correios estavam preparados para entrar em greve, mas ainda havia uma esperança na reunião que ocorreu na noite de ontem, 31 de julho, com o TST.

Por Internet Pular para comentários

Apesar do anúncio de que os Correios iriam entrar em greve, muitos podem ter ficado confusos ao ver os funcionários nas ruas nesta quinta-feira, 1º de agosto. A situação começou quando a greve foi anunciada após uma reunião, realizada na última terça-feira, 30 de julho. Entretanto, o Tribunal Superior do Trabalho pediu aos colaboradores uma nova reunião, para negociação, na noite de ontem, 31 de julho. Os funcionários presentes decidiram não entrar em greve e aguardar a mediação que está sendo conduzida pelo TST, que pediu prazo até o dia 31 de agosto para avaliar o impasse entre os trabalhadores e os Correios como empresa. Foi decidido, então, que não haverá greve neste período (de 30 dias). As assembleias em todo o país resolveram aceitar o pedido do Tribunal, mas vão manter o Estado de Greve, a fim de garantir legalidade no movimento.


Segundo a Sintect-SP - Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares de São Paulo, o vice-presidente do TST não apresentou propostas na audiência. Foi apresentada a prorrogação do acordo coletivo, manutenção do plano de saúde para os pais em atendimento de urgência e emergência, e a suspensão de qualquer ato grevista, até 31 de agosto.


A Findect e os sindicatos filiados defendem as posições aprovadas nas assembleias pelos trabalhadores, que são: rejeitar a proposta apresentada pela direção da empresa - que consiste na retirada de direitos e reajuste de 0,8% nos salários e benefícios -, aprovar o Estado de Greve, ampliar as mobilizações e atos, e intensificar as reuniões de esclarecimentos nas unidades, além de dar prosseguimento ao processo de negociação do ACT 2019/2020 até o dia 31 de agosto.

A paralisação geral não vai ocorrer, ao menos nesses 30 dias, mas tudo pode mudar se o TST não apresentar uma proposta que contemple o Sindicato e os funcionários.

Na internet, mais precisamente no Twitter, várias pessoas se manifestam sobre o assunto. Confira o que publicou o juiz do Trabalho, Rogerio Neiva, em seu perfil:

Compartilhe com seus amigos:
Giovana Brasil
Giovana Brasil Jornalista que ama contar histórias e conhecer um pouco mais da humanidade. Apaixonada por séries, novelas e novas Aventuras. Não tem medo de mudar de rumo e começar tudo de novo
Quer conversar com o(a) Giovana, comente:
Minha foto
    O que é mais importante em um smartphone?
    Bateria(27,53%)
    Câmera(11,00%)
    Performance(56,66%)
    Aparência(2,40%)
    Tela(2,40%)