A XPG tem começado a aparecer cada vez mais com periféricos gamers, ela faz parte do grupo da Adata onde a especialização para o mercado domésticos são dispositivos de armazenamento como SSDs, HDs, cartões de memória dentre outras aplicações.

Hoje iremos falar sobre o Infarex M20, mouse da marca que tenta competir no segmento de produtos Custo x Benefício, este que está cada vez mais disputado no mercado, mas que ainda há uma ou outra situação que não há muita competição, e o M20 se encaixa nisso por ser um mouse pesado e barato, algo difícil de encontrar.

Vamos então analisar o mouse por dentro, por fora, sua performance, o que ele oferece e compará-lo com a concorrência direta - se houver - e assim determinar uma conclusão para este review.

Construção Externa & Design

O seu design externo é quase que uma cópia idêntica ao Intellimouse 3.0 da Microsoft, suas curvas são basicamente as mesmas e até o recorte no lado direito do mouse se mantém exatamente igual, e isso não é algo ruim.

XPG Infarex M20, visão de cima
XPG Infarex M20, visão de cima

O Intellimouse inspira muitos formatos de mouses até hoje, afinal o seu formato é muito confortável para uma grande parte dos usuários destros, o que também explica o seu grande sucesso na época de lançamento. Modelos como o Razer DeathAdder e o Rival 310 são claras inspirações no formato do mesmo.

No seu lado esquerdo encontramos dois botões laterais que são definidos para avançar/voltar a página, como não há software para utilizar em conjunto com o Infarex M20, estas funções são fixas dentro do Windows.

Botões laterais do mouse
Botões laterais do mouse

Na parte debaixo encontramos 3 pés de teflon, um superior e outros dois na parte inferior. O sensor do M20 é centralizado, e logo ao lado encontramos dois switches seletores: um para ligar e desligar a iluminação e outro para ajustar a frequência de resposta do mouse.

Um pequeno detalhe que quero observar é que a lateral direita onde o plástico superior e lateral se encaixam tem um pequeno relevo, porém isso é muito possível devido aos correios que tratou a encomenda com muito "carinho". Outras unidades não apresentam este detalhe e o mesmo não atrapalha em absolutamente nada durante o uso.

Falando sobre ser liso, o scroll do mesmo tem suas etapas com muito pouca definição, algo que não me incomoda mas que sei que algumas pessoas podem preferir algo mais definido, que não é o caso do M20.

Pegadas

Com o desenho completamente inspirado no Intellimouse, é mais que seguro dizer que este mouse é bem voltado para a pegada palm e é completamente destro, pessoas canhotas não irão conseguir utilizá-lo.

Palm
Fingertip
Claw

Por se tratar de pegada Palm, o seu peso acaba não sendo desconfortável e fica bem tranquilo de utilizá-lo sem sentir como se fosse pesado demais, também relacionado ao seu peso bem distribuído.

Para pegadas Fingertip, que é o meu caso, ele acaba ficando um pouco mais difícil de utilizar até pelo tamanho, mas ainda sim dá para fazer, especialmente se você tiver mãos maiores, que também é o meu caso.

Já para pegada Claw eu não recomendo, os botões principais não são recuados o suficiente e por causa de seu formato mais comprido ele não deve ficar legal na mão. Se você procura por um mouse Claw nesta faixa de preço, recomendo dar uma olhada no G203 da Logitech.

Cabo

Acredito que o ponto mais fraco do Infarex M20 é o seu cabo, ele não tem nada de paracord ou tecido ultra flexível que é algo que está cada vez mais presente em mouses gamers. Temos aqui um cabo trançado de Nylon, só que testa vez ele é super rígido e é bem difícil desfazer o formato que ele vem na caixa.

O cabo é bem pouco flexível
O cabo é bem pouco flexível

A boa notícia é que ele deve durar um bom tempo e por causa de ser mais rígido, é mais difícil ficar raspando nas esquinas da mesa. Além disso, ele também é leve, ao contrário do cabo do G403 por exemplo, que além de ser pouco flexível também é bem pesado.

Iluminação

Como mencionado acima - e também visto nas fotos - o mouse também conta com iluminação RGB, infelizmente ela não é controlável na questão de escolha de cores e/ou zonas de iluminação, ou você deixa ela completamente ativada e alternando entre as cores ou você a deixa completamente desligada.

O mouse tem iluminação RGB, mas não dá para controlar a cor/efeito
O mouse tem iluminação RGB, mas não dá para controlar a cor/efeito

A iluminação pode ser vista no scroll, logotipo da XPG na traseira e em um pequeno anel na parte inferior que vai em volta de 80% do mouse, detalhe bem parecido com o que vimos na linha ST da Cougar e que acho que fica muito bonito, mas opiniões podem diferir.

Desempenho

Agora vamos falar do desempenho do mouse, vamos ver como se ele comporta na hora de jogar, nos testes de desempenho pelo MouseTester e sensações gerais ao utilizar o mouse no meu dia-a-dia e para jogar também.

Teste de Rastreio

Os testes de rastreio estão logo abaixo em forma de galeria, então se você quiser olhar e tirar suas próprias conclusões, vá em frente.

O que posso dizer é que o mouse teve performance excelente, só começamos a ver o mínimo de distorção dos 3200DPI para cima, mas ainda assim é uma ótima performance de um sensor que é considerado de entrada em 2020. Em 400, 800 e 1600 DPI não há distorções e tudo funciona exatamente como deveria.

400 DPI
800 DPI
1600 DPI
3200 DPI
5000 DPI

Aceleração

Aqui os resultados se repetem ao que foi mostrado no teste de rastreio, a aceleração é mínima ou inexistente, a margem é tão pequena que pode muito bem ter sido um movimento errado por minha parte, realmente um ótimo trabalho no sensor.

Teste de aceleração do M20
Teste de aceleração do M20

Pixel Shifting

E para encerrar com chave de ouro, testamos para ver como é o trabalho do sensor ao logo do tempo e o mesmo se mostrou muito consistente, o círculo se manteve no mesmo lugar que foi iniciado e não houve invasão da parte externa e nem a famosa "caminhada" que muitos mouses dão para a parte externa do círculo.

Teste de Pixel Shifting do M20
Teste de Pixel Shifting do M20

Construção Interna

Então agora vamos abrir o mouse e ver quais são os componentes internos utilizados nele, tanto nos switches principais e laterais quanto o seu sensor, que não é mencionado na página do produto - XPG, por favor incluir.

Para abrir o mouse é extremamente simples, basta remover os dois teflons traseiros pois há um parafuso embaixo de cada um, após isso puxe a parte superior do mouse para frente para poder desencaixar da parte inferior.

Agora que já podemos examinar a parte interna do mouse posso dizer que sem dúvidas ele é bem construído, sua carcaça mostra vários pontos de reforço e um bom projeto interno, tanto em estrutura quanto do layout.

Encontramos 3 PCBs em stack, uma dedicada ao switch do scroll, outra dedicada aos switches principais e a maior dedicada aos switches laterais e o sensor, assim como os conectores do cabo USB e LEDs - que estão por baixo.

Nos switches principais encontramos modelos Omron China 20m, enquanto que todos os outros switches são do tipo Huano White, ambos sendo excelentes escolhas para os lugares usados. O codificador do Scroll é do tipo mecânico da Kailh, outra boa escolha.

O sensor é um PMW3325, algo que já sabíamos por causa de imagens circulando pela internet, mas preferimos confirmar e abrir o mouse, como é padrão com todos que passam aqui em nosso escritório.

A única coisa que não gostei de ver foi o seu peso interno de 12 gramas, não acho legal incluir isso ainda mais em um mouse que já é relativamente pesado e já é super bem construído, mas tenho certeza que alguém por aí vai gostar do peso extra.

Enfim, se você ficou com alguma dúvida sobre o que falei aqui, basta perguntar nos comentários. Abaixo fica uma galeria de fotos das partes internas do mouse.

Switch do Scroll
Visão geral
Sensor do mouse
Carcaça superior
Peso extra interno
Parte superior e inferior
Codificador do scroll e switches laterais

Conclusão

Então para terminar este review, só irei reforçar o óbvio para quem já leu todas as seções anteriores: temos um bom mouse em nossas mãos, e que para adquirir você paga um preço justo de R$ 130.

Temos Omron 20m nos principais, sensor PMW3325 muito bem implementado, formato externo já consagrado e que deve agradar a grande maioria dos compradores e um preço correto para o produto, e assim o Infarex M20 sem dúvidas entra para a nossa lista de mouses recomendados.

XPG Infarex M20
XPG Infarex M20

Como de costume, nada é perfeito e nem este produto. Algumas das críticas que fazemos é o seu cabo que é muito pouco flexível, a inabilidade de escolher uma cor - poderiam fazer um sistema parecido com ao do Ducky Secret por exemplo - e o seu peso interno, que nos dias de hoje não faz sentido com a inundação dos mouses ultra-leves do mercado.

É na parte da concorrência que o M20 vai a frente, ele é um mouse que pesa mais de 120 gramas, custa menos de R$150 e tem bom desempenho. Onde você acha modelos com todas estas especificações? Em quase nenhum lugar, muito difícil encontrar um que faça tudo tão bem quanto este faz, com estas características e com este preço. Parabéns para a XPG por achar este "furo" no mercado e introduzir um produto que fazia falta para algumas pessoas.

Prós
  • Baixo preço
  • Boa implementação do sensor
  • Formato muito confortável
Contras
  • Cabo pouco flexível
XPG Infarex M20