O que a plataforma Apple Arcade tem para nos oferecer, que já não temos?

Na onda dos jogos digitais, a Apple criou a sua plataforma de jogos online, a Apple Arcade, que teve sua estreia na semana passada (19). Mas o que de fato ela tem para nos oferecer de novo?

Por Games Pular para comentários
O que a plataforma Apple Arcade tem para nos oferecer, que já não temos?

Na onda dos jogos digitais, a Apple criou a sua plataforma de jogos online, a Apple Arcade, que teve sua estreia na semana passada (19). Mas o que de fato ela tem para nos oferecer de novo? Ela tem algo que as outras plataformas não oferecem?

A plataforma de jogos criada pela Maçã é paga, embora ofereça um período de testes gratuito, mas em troca disso ela oferece benefícios. O primeiro deles é uma biblioteca com mais de 100 jogos para fazer download e jogar offline ou online com os amigos, até aí não temos nada fora do comum para o que já temos no mercado atual. Entretanto, a empresa implementou um recurso que poucos desenvolvedores de jogos oferecem ainda (foi visto no jogo Destiny 2), que é o multiplataforma. Através dessa funcionalidade é possível jogar um mesmo jogo, com o mesmo save em várias plataformas (conhecido como cross-save) como, por exemplo, iPhone, iPad, Mac e Apple TV.

Multiplataforma. Fonte: Apple Multiplataforma. Fonte: Apple

A Apple pretende fazer acordos com diversos desenvolvedores no intuito de lançar bons jogos para a sua nova plataforma. Porém, esse é um caminho árduo para a Apple frente a concorrentes como Sony (Playstation), Microsoft (XBox), Nintendo (Switch), Steam (PC), Epic Games (PC) e outras. Isso se deve a "corrida da exclusividade", onde as grandes produtoras e distribuidoras compram estúdios ou pagam uma grande quantia pela exclusividade de jogos de determinado desenvolvedor (veja o exemplo do game Control).

Outra promessa da Apple Arcade é a de não ter anúncios, que é de fato interessante para quem joga games mobile, mas será que isso é o bastante? Muitos jogos hoje possuem o recurso de microtransações implementado, onde a desenvolvedora consegue arrecadar um valor considerável por vezes, não necessitando de colocar anúncios em seu game. Com isso entramos em outra discussão que é sobre a diversão sem gastar.

Muitos hoje reclamam do fato de jogos serem desenvolvidos já pensando em mecanismos de cobrança por itens, pois acaba "perdendo a graça" quando o recurso das microtransações é implementado de forma exagerada, com preços salgados de pacotes e itens e quase que "obrigando" o jogador a comprá-los. Olhando por este lado, a proposta da Apple pode começar a ficar interessante.

Microtransações. Fonte: Medium Microtransações. Fonte: MediumOutro ponto que a plataforma é a utilização de até 6 perfis para a família jogar, proporcionando dessa forma uma experiência individualizada com listas e saves de jogos para cada usuário. Porém, isso várias plataformas já oferecem e não é nenhuma novidade.

O futuro da plataforma criada pela "maçã" é incerto e há muito o que se fazer ainda para torná-lo um sucesso. Com certeza será uma tarefa bem árdua frente aos seus concorrentes e necessitará muita inovação e desenvolvedores bons ao seu lado para se tornar uma real concorrência para os grandes distribuidores e desenvolvedores de jogos, principalmente pelo fato do streaming de jogos estar "batendo na porta" para ser lançado no mercado.

Compartilhe com seus amigos:
Comentários:
Carregar comentários