Oficina da Net Logo

Sonda chinesa realiza primeiro pouso no lado oculto da Lua

China consegue um feito inédito: Pousar sua sonda no lado oculto da Lua. Este lado não pode ser visto já que a rotação é sincronizada com a da Terra. NASA comemorou o sucesso através do Twitter.

Por | @oficinadanet Ciência Pular para comentários

A sonda lunar Chang’e-4 realizou o primeiro pouso na Lua, de acordo com a China Central Television, nesta quinta-feira (3) às 00:26 (Horário de Brasília). O feito é o primeiro a acontecer na história da exploração espacial, sendo assim, a China fez algo jamais feito por qualquer outro país.

O explorador foi lançado no dia 8 de dezembro de 2018 por um foguete Long March-3B do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, no Sul da China, na província de Sichuan.

Jim Bridenstine, administrador da NASA, comemorou o sucesso chinês através de seus Twitter:

A sonda teve uma desaceleração e entrou na órbita lunar em 12 de dezembro, e assim deu mais um passo importante para o primeiro pouso da história no chamado lado oculto da Lua. Agora, a missão possui três estágios: orbitar a Lua, fazer o pouso e retornar à Terra. O primeiro e o segundo estágio foram concluídos com sucesso.

Sonda chinesa realiza primeiro pouso no lado oculto da Lua.Sonda chinesa realiza primeiro pouso no lado oculto da Lua.

Vale mencionar que a comunicação com a Terra não será fácil justamente pela sonda estar no lado oculto da Lua. Sendo assim, para solucionar a questão, o satélite chinês Queqiao será o responsável pela transmissão dos sinais entre a Terra e o Chang’e-4.

"O lado oculto da Lua é um raro lugar calmo, que está livre da interferência de sinais de rádio vindos da Terra", afirmou o porta-voz da missão, Yu Gobin, segundo a agência de notícias estatal Xinhua News. "Essa sonda pode preencher o vazio de observação de baixa frequência na radioastronomia, e irá fornecer informações importantes para estudar a origem das estrelas e da evolução da nébula [solar]".

O lado escuro da Lua não é visível já que a Lua está em rotação sincronizada com a Terra.

Via: The Verge

Comentários
Carregar comentários