Correios acusam lojas da China de trapaça no envio de produtos ao Brasil

A manobra mencionada acaba gerando prejuízo aos Correios.

Por | @oficinadanet Brasil

O comércio chinês é bastante lucrativo e pessoas do mundo inteiro realizam compras no país, principalmente através de sites especializados no envio de produtos para outros países. No entanto, nem todos os serviços de transportes dos importados parecem estar satisfeitos. Os Correios, por exemplo, está acusando as lojas da China de realizarem manobras para o envio de remessas ao Brasil.

A informação começou a ser veiculada na terça-feira (21), através do jornal de S. Paulo. Conforme a organização, as empresas chinesas estão se aproveitando de uma brecha para entregarem as mercadorias de forma mais barata aos brasileiros.

Correios acusam lojas da China de trapaça no envio de produtos ao Brasil.Correios acusam lojas da China de trapaça no envio de produtos ao Brasil.

Leia também:

A grande questão é que tal manobra acaba gerando prejuízo aos Correios. A brecha usada está centrada em uma norma da União Postal Universal, em que torna possível enviar remessas internacionais de até 2 Kg de um país para outro sem a necessidade de registro. É o chamado modelo “carta simples”.

"Aproveitando-se dessa norma, os sites de compras chineses, em sua maioria, têm enviado ao Brasil encomendas sem registro e, consequentemente, sem rastreamento", explica a nota dos Correios. Isso faz com que as lojas da China gastem menos, em contrapartida, os Correios acabam tendo prejuízo.

O órgão ainda revela que como o "aumento no tempo de processo para a triagem dos objetos internacionais, prejudicando os prazos de entrega e levando os consumidores nacionais à impressão de que o processo de correio, de forma geral, é ineficiente".

Conforme os Correios, a China é responsável pelo envio de 200 mil pacotes todos os dias. A estatal diz ainda que está trabalhando com os órgãos internacionais para a regulamentação do serviço, para impedir que os chineses continuem com tal prática.

Mais sobre: brasil correios china
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo