Oficina da Net Logo

Malwares para mineração de criptomoedas já atingiram mais de 50 mil sites

O pesquisador de segurança Troy Mursch, do Bad Packets Report, foi quem identificou aproximadamente 50 mil sites infectados com scripts de criptografia.

Por | @fsbeling Bitcoin

Em 2017, em um período de seis meses, criminosos virtuais que começaram a utilizar técnicas e métodos sofisticados de infecção, com objetivo de instalar softwares de mineração de criptomoedas em computadores corporativos, o grupo mais bem-sucedido conseguiu faturar US$ 7 milhões em meio ano, o equivalente a R$ 22,5 milhões, segundo a empresa de segurança Kaspersky Lab.

No entanto, um pesquisador de segurança do Bad Packets Report, Troy Mursch, identificou que já foram infestados com scripts de criptografia cerca de 50 mil sites.

Descoberta realizada com base na pesquisa PublicWWW, uma ferramenta que permite que usuários efetuem pesquisas de qualquer HTML, CSS, JavaScript e texto plano no código-fonte de páginas da web, além de baixar uma lista que o contenham, o pesquisador conseguiu identificar que 48.953 sites afetados, dentre os quais, 7.368 são alimentados pelo WordPress.

De acordo com o pesquisador, a maioria dos sites contam com o malware que dispara um software minerador no computador, ou seja, executam o script de criptografia CoinHive. Foram aproximadamente 40 mil sites infectados, correspondendo a 80% de todos os casos registrados. Em novembro de 2017, Mursch já havia encontrado 30 sites que executavam o malware, isso demonstra que os números de mineração de criptomoedas só vem aumentando.

Malwares para mineração de criptomoedas já atingiram mais de 50 mil sitesCoinHive

Além disso, a pesquisa revelou que os demais 19% estão entre diversas outras ferramentas, como Crypto-Loot, no qual foram identificados 2.057 sites, no CoinImp com 4.119 sites, no Minr com 692 sites e no DeepMiner com 2.160 sites.

Malwares para mineração de criptomoedas já atingiram mais de 50 mil sitesOutras ferramentas

Leia também:

Contudo, em fevereiro, sites do governo e portais de agências de serviços públicos estavam executando silenciosamente scripts de criptografia, fato descoberto também pelo pesquisadores de segurança.

Com este crescimento nas operações de mineração de criptomoedas, para prevenir que seu computador seja atacado, o pesquisador Mursch recomenda a instalação da extensão minerVBlock para os usuários do Firefox e Chrome. Os cryptojackings são bloqueados por padrão no Opera. Um programa que atua como antivírus e removedor avançados de pragas digitais, o MalwareBytes também pode ajudar a manter o seu computador seguro.

SHARE
+ Notícias
Assine a nossa newsletter
Comentários