Estudo de Capabilidade

Frequentemente quando temos dados coletados de um processo de fabricação, fazemos o seguinte questionamento:

Por | @qualidadebrasil Negócios
O que podemos dizer que causa defeitos em um produto?
- Excesso de variações devido a:
- Processo de manuftaura
- Variações de material vindas do fornecedor
- Tolerâncias irracionais (tolerâncias extremamentes apertadas por requisitos de cliente)

Típos clássicos de estudos de capabilidade
- Indices de capabilidade
- Variáveis, dados normais e estáveis, especificações do cliente e/ou engenharia são conhecidas;
- Cálculo de sigma ou desvios
- Variáveis ou atributos
- Largamente utilizado para dados não normais (dados que seguem a distribuição normal)
- Estudo de capabilidade por atributo
- Desempenho de variáveis medidas por atributo

Cartas de controle
Especificações e/ou limites não definidos
Cp & Cpk  são duas grandezas que medem a capabilidade de um processo.
Cp é responsável por indicar a dispersão do processo
Cpk é responsável po indicar a centralização do processo

Questões  . . .

Cp e Cpk podem ser equivalente em valores? Porque?
- Sim. Isto irá acontecer quando o processo é centralizado na especificação

CpI e CpS podem ser iguais? Porque?
- Sim. As dispersões laterais serão iguais em processos centralizados

Cpk pode assumir um valor negativo? Explique!
- Sim. Quando exitir um processo “centralizado” fora das tolerâncias

Quais seriam os valores de cpk para podermos afirmar que um processo é capaz?
- Cpk = 1,33 para calculos de grandes amostras e Cpk = 1,67 para cálculos de pequenas amostras. A industria automotivo define “pequena amostra” como cpk cálculado com 32 dados e “grandes amostras” com mais de 125 dados.

Quais são as unidades de Cp e Cpk?
- Cp e Cpk são números adimensionais

Qual o conceito de Cp e Cpk?
- Cp mede sempre a dispersão do processo
- Cpk mede a centralizaçào do processo contra a tolerância

Mais sobre: capabilidade, qualidade, medição
Share Tweet
DESTAQUESMais compartilhados
Comentários