YouTube volta a monetizar alguns canais que tratam sobre o Coronavirus (COVID-19) após reclamações

Após reclamações, o YouTube decide voltar atrás em sua decisão sobre desmonetização e passa a monetizar alguns canais específicos. Entenda o porquê?

Imagem ilustrativa da logo do YouTube. Fonte: tubefilter
Imagem ilustrativa da logo do YouTube. Fonte: tubefilter

Há algumas semanas atrás, o YouTube realizou uma notificação para seus criadores de conteúdo. Nesta publicação do Creator Insider, dizia que qualquer vídeo que se trata sobre o assunto Coronavirus (COVID-19), seria desmonetizado de forma automática. Segundo a empresa, o tópico seria sensível estava sendo tratado como uma conspiração, onde falava-se que teria sido um ataque malicioso pré-planejado. A companhia complementou dizendo que estes vídeos não seriam adequados para publicidade, embora ainda estejam no ar por não ferirem nenhuma diretriz de conteúdo.

Após algum tempo, a plataforma de transmissão de vídeos online, acabou mudando de ideia com relação a sua política recente sobre o Coronavirus. Susan Wojcicki, CEO do YouTube, publicou recentemente uma carta dizendo aos criadores que abordaram o COVID-19 em seus vídeos que irá haver pequenas mudanças na política de conteúdo e pagamento. Criadores que só fazem notícias cobrindo os acontecimentos sobre o Coronavirus, utilizando fontes confiáveis, agora serão aptos a terem seus vídeos sobre o assunto monetizados.

Susan disse que:

"Nos próximos dias, permitiremos anúncios de conteúdo que discutam o Coronavírus em um número limitado de canais, incluindo criadores que se certificam com precisão e vários parceiros de notícias", escreveu Wojcicki. "Estamos preparando nossas políticas e processos de aplicação para expandir a monetização para mais criadores e organizações de notícias nas próximas semanas."

A monetização específica para criadores de conteúdo sobre o COVID-19 será aplicada primeiramente a parceiros e criadores de notícias. Para os criadores de conteúdo "comuns", o YouTube irá iniciar disponibilizando a nova política para aqueles que possuírem um conteúdo que esteja em conformidades com as diretrizes. Nas próximas semanas, a companhia pretende disponibilizar a monetização para mais pessoas que falam sobre o Coronavirus.

No comunicado que Susan escreveu aos criadores de conteúdo da plataforma, falou também sobre a questão da disseminação de informações errôneas acerca do Coronavirus no YouTube. A CEO da plataforma ainda afirmou que seus desenvolvedores estão trabalhando para evitar a disseminação de vídeos prejudiciais. De acordo com Susan, o YouTube:

"Continuará a remover rapidamente vídeos que violam nossas políticas quando são sinalizados, incluindo aqueles que desencorajam as pessoas a procurar tratamento médico ou alegam que substâncias nocivas têm benefícios à saúde. Encontrar conteúdo confiável é especialmente crítico, pois as notícias estão chegando e continuaremos garantindo que o YouTube forneça informações precisas para nossos usuários."

Não deixe de conferir nosso artigo que trata sobre "sites de saúde que contenham informações confiáveis e de fácil compreensão" aqui.

O que achou da conduta do YouTube? Comente abaixo e compartilhe conosco a sua opinião!

Fonte: The Verge

Tech Mobile: Inscreva-se!

O nosso novo canal de smartphones surgiu, veja o que preparamos para você que gosta de celulares!

Comentários
Minha foto
Insira um comentário