O que é uma TV Mini-LED e por que você irá querer uma?

As telas Mini-LED estão chegando ao mercado. Mas o que elas tem a oferecer de melhor comparado ao que já se tem? Confira!

Por Tecnologia Pular para comentários
Fonte: tclusa
Fonte: tclusa

As TVs mini-LED estão chegando ao mercado e além de serem superiores as TVs LED convencionais, possuem preços acessíveis. As vantagens desta nova tecnologia estão nos níveis de preto superiores e maior contraste. Mas o que é de fato uma tela Mini-LED? Neste artigo iremos falar sobre esta novidade e como ela se compara frente aos displays já existentes.

O que é uma tela Mini-LED?

A tecnologia Mini-LED possui como promessa um contraste superior ao painel de LED convencional, além de pretos mais profundos. Como o próprio nome ja fala, são LEDs muito menores que os LEDs comuns das TVs que vemos hoje no Brasil.

Para ser classificado como mini-LED, o diodo emissor de luz (LED ou light-emitting diode) tem de ser menor que 0,2mm. Estes pequenos LEDs são utilizados para iluminar um painel LCD comum, assim como vemos nas TVs LED tradicionais, a diferença está na quantidade de LEDs.

TV mini-LED. Fonte: TLC USA
TV mini-LED. Fonte: TLC USA

A tecnologia mini-LED, apesar de melhorar significativamente as imagens comparado ao que temos nas TVs LED atuais, ainda não é equivalente a tecnologia OLED ou micro-LED. Entretanto, os displays mini-LED são mais baratos para se produzir atualmente. Quanto maior for a tela, maior será a economia.

O que o Mini-LED faz com que as TVs LED tradicionais melhorem?

A grande maioria dos modelos de TVs modernas utiliza LEDs para iluminar o fundo do painel. Ao acender um LED através de um display LCD no momento em que for exibida uma cena com maior quantidade de preto, a tonalidade da cor (nível de preto) ficará desbotada.

Para evitar que o efeito citado acima ocorra em TVs LES, fabricantes de TV desenvolveram uma tecnologia de escurecimento de apenas uma região da tela. Ao diminuir o brilho dos LEDs de uma área específica do painel, o preto fica mais profundo e a luz gerada interfere menos na imagem reproduzida durante cenas com mais preto.

TV TLC mini-LED 65Q825 8-Series . Fonte: TLC USA
TV TLC mini-LED 65Q825 8-Series . Fonte: TLC USA

Entretanto, apesar de ser uma boa sacada dos desenvolvedores o escurecimento local dos LEDs, o tamanho deles não colabora para que o nível de preto seja mais profundo. Para efeito de comparação, a TV LED Vizio Quantum X PX65-G1 de 65" possui 384 zonas de escurecimento local, que são essencialmente LEDs individuais, enquanto a TV TLC mini-LED 65Q825 8-Series tem aproximadamente 1000 zonas de escurecimento local, resultado em um preto claramente mais profundo no televisor da TLC.

Qual é a diferença entre Mini-LED e Micro-LED?

Como você ja deve ter imaginado, os Micro-LEDs são menores ainda que os Mini-LEDs, onde cada Micro-LED será responsável por um único pixel. A fabricante de displays Samsung evitou desenvolver telas com tecnologia Mini-LED para se dedicar ao Micro-LED, onde são utilizados três minúsculos LEDs por pixel em painéis atuais de micro-LED.

Com a utilização do micro-LED é possível obter uma alta taxa de contraste e controle de cores. Entretanto, a sua desvantagem é o seu alto custo de produção. Uma TV com tela Micro-LED com resolução 4K utiliza 25 milhões de micro-LEDs. Dessa forma, por enquanto, esta tecnologia acaba sendo inviável por conta do trabalho necessário para se produzir em alta escala.

TV Micro-LED. Fonte: Gizmodo
TV Micro-LED. Fonte: Gizmodo

Entretanto, embora atualmente seja inviável TVs Micro-LED, isso poderá mudar em breve. Uma empresa chamada IHS Markit, que realiza pesquisa de mercado, previu que haverá uma grande queda no custo de fabricação de painéis micro-LED. Isto deve elevar a produção para 15,5 milhões de displays micro-LED até o ano de 2026 (contra mil em 2019).

Observação: o número de produção de displays citado acima inclui não só TVs, mas smartphones, wearables e outros dispositivos.

As telas OLED (organic light-emitting diode ou diodo orgânico emissor de luz) são uma tecnologia que possui semelhanças com as micro-LED. A semelhança está no fato de que cada pixel é capaz de emitir sua própria luz. É por este motivo que as TVs OLED atualmente conseguem oferecer os melhores níveis de preto e os melhores contrastes do mercado.

A tecnologia OLED ainda é cara apesar de já ter caído consideravelmente de preço desde seu lançamento. Porém, de acordo com os lançamentos deste ano, provavelmente haverá uma queda considerável nos preços, pois a Philips irá começar a comercializar para concorrer com fabricantes como LG, Sony e Panasonic. Além disto, haverá neste ano a comercialização de TVs OLED com 49", o que diminuirá o custo em comparação com os modelos de mais polegadas.

Qual TV você deve comprar? Micro-Led, OLED ou QLED?

A escolha da tecnologia irá depender do preço que você pretende pagar, o tamanho que você deseja, o brilho e a qualidade da imagem no geral. Caso o dinheiro não seja um problema, os displays feitos de Micro-LES são a melhor escolha, pois eles irão oferecer todos os benefícios do OLED, mas com um nível de brilho maior. Entretanto, infelizmente não há nenhum produto com micro-LED a venda no momento e ainda pode demorar um ano ou mais para serem lançados.

TV OLED Sony A8H na CES 2020. Fonte: ww01
TV OLED Sony A8H na CES 2020. Fonte: ww01

Depois do micro-LED, a melhor escolha realmente será o OLED. Em um display OLED, cada pixel na tela pode gerar a sua própria luz de forma individual, gerando pretos mais profundos, melhor contraste e uma imagem mais homogênea. Mas, como foi dito acima, embora seja caro, o preço das TVs OLED neste ano irá cair mais ainda e pode ser sua chance de finalmente colocar as mãos em uma.

Conclusão

Está havendo o surgimento de muitas tecnologias e para a alegria da maioria, não será caro igual a uma TV OLED e será superior a uma TV LED convencional. Mas de qualquer maneira, cabe a você decidir qual irá compensar mais para você de acordo com o seu orçamento e tamanho desejado.

Comentários:
Carregar comentários