Smartwatches voltados para crianças são proibidos na Alemanha

O grande vilão do aparelho é o microfone que capta conversas alheias sem permissão.

Por Smartwatches Pular para comentários
Smartwatches voltados para crianças são proibidos na Alemanha

A venda de smartwatches direcionados para crianças, que utilizam microfone para ouvir o que está sendo dito à distância, foi proibida por um órgão regulador alemão. As autoridades do país ainda sugerem que os pais destruam os aparelhos em questão.

Os itens envolvidos são relógios voltados para crianças entre 5 e 12 anos, um setor que cresce bastante em toda a Europa. A agência nacional responsável pela regulamentação de telecomunicações na Alemanha justificou o fim dos aparelhos que contam com microfones já que eles captam o som do usuário sem que ele perceba.

Smartwatches voltados para crianças são proibidos na Alemanha.Smartwatches voltados para crianças são proibidos na Alemanha.

"A partir de um app, pais podem usar os relógios das crianças para ouvir ao ambiente em que a criança está sem serem percebidos, e isso está sendo considerado um sistema de transmissão não autorizado," disse o presidente da Agência Nacional de Redes da Alemanha, Jochen Homann.

Segundo as autoridades, o maior problema está na privacidade de pessoas ao redor da criança, e não os pais ouvirem conversas próximas ao filho. "De acordo com nossas pesquisas, esses relógios também são usados para ouvir professores em salas de aula." Vale mencionar que na Alemanha, escutar uma conversa sem o consentimento dos envolvidos pode até ser considerado um ato de espionagem.

Por essa razão, o órgão sugere que os pais destruam os aparelhos adquiridos que contenham essa função. Além disso, a recomendação é que as escolas façam o mesmo caso encontrem algum sendo usado por um aluno.  

Compartilhe com seus amigos:
Rafaela Pozzebom
Rafaela Pozzebom Graduada em Letras pela UFSM e especialista em Tecnologias da Informação e da Comunicação aplicadas à educação
FACEBOOK //
Quer conversar com o(a) Rafaela, comente:
Carregar comentários
Últimas notícias