AirPods Pro e iPhones 11 tem diminuição na produção devido ao Coronavirus

Airpods Pro e iPhone 11 correm o risco de ficarem em falta nas lojas. Entenda o porque as vendas serão afetadas devido ao surto do Coronavirus.

Por Smartphones
Fonte: albawaba
Fonte: albawaba

A Apple possui grande parte de sua produção na China, sendo uma grande dependente do país para realizar suas vendas. Por conta do grande surto do Corona que está havendo, o comercio da empresa pode ser afetado consideravelmente. Isso ocorre porque a Foxconn, responsável pela fabricação do iPhone e dos Airpods, chegou a fechar devido aos casos da doença nas cidades chinesas.

Apenas 10% da força de trabalho voltou para as fábricas da Foxconn

Para não impactar muito a produção e as vendas, a Foxconn recebeu um aval para voltar a produção na fábrica de Zhengzhou, segundo o site Reuters. Segundo as informações, somente 10% da força de trabalho voltou à ativa, aproximadamente 16 mil pessoas. Um tempo depois, foi informado que a produção em Shenzhen também foi autorizada a voltar de forma parcial.

Dan Ives, analista de mercado, disse que provavelmente as semanas em que as fabricas ficaram paradas, pode haver uma diminuição nas vendas de aproximadamente 1 milhão de iPhones. Além disto, de acordo com o profissional, o tempo de produção interrompida equivale a 3 a 5 milhões de iPhones a menos no mesmo período comparado ao ano anterior. De acordo com ele, os números são otimistas e a Apple corre o risco de perder milhões de iPhones caso a produção nas fabricas continue assim.

iPhone 11 Pro e Airpods Pro. Fonte: showmetech
iPhone 11 Pro e Airpods Pro. Fonte: showmetech

No caso dos fones de ouvido Airpods Pro, já houve escassez no mercado devido à alta demanda do produto. Ou seja, a volta da produção dos fones True Wireless da "maçã" é urgente e precisa aumentar mais ainda. Ontem as empresas tiveram a autorização para algumas de suas fabricas abrirem para retomar as principais operações de forma parcial.

Dia 24 de fevereiro todas as fabricas poderão voltar a funcionar

No dia 17 as fábricas localizadas em áreas com alto impacto do surto de Coronavirus podem reabrir e no dia 24 de fevereiro, todas as fabricas podem voltar a funcionar. Ming-Chi Kuo, analista da Apple, diz que após o dia 2 de fevereiro (data prevista para o início do retorno da produção nas fabricas) houve uma taxa de retorno de mão-de-obra de 30% a 40%. De acordo com o profissional, em Shenzhen há a expectativa de retorno de 20 a 50% da mão de obra, local responsável por fabricar os novos iPhones que serão lançados no segundo semestre deste ano.

A Foxconn disse que:

"O bem-estar de nossos funcionários é a maior prioridade da Foxconn. Mantendo isso, monitoramos de perto os atuais desafios de saúde pública relacionados ao Coronavírus e estamos aplicando todas as práticas recomendadas de saúde e higiene a todos os aspectos de nossas operações. Essas medidas de saúde e segurança são conduzidas em conjunto com os esforços implementados pelas agências governamentais relevantes. Nossas equipes em cada uma de nossas instalações na China estão trabalhando em estreita colaboração com as respectivas agências do governo local e continuamos fazendo isso ao implementar nossos cronogramas de produção pós-feriado. Por uma questão de política e por razões de sensibilidade comercial, não comentamos nossas iniciativas de produção específicas."

O Coronavirus já possui: aproximadamente 40200 casos confirmados e 909 mortes na China, 319 casos e 1 morte fora do país. Já são 24 países, além da China, com casos de infecção pelo virus.

Fique atento para mais novidades. Não esqueça de comentar abaixo o que achou da notícia e compartilhe conosco a sua opinião!

Fonte: cnn , cnbc, WHO

Recomendação do editor:

Compartilhe com seus amigos: