Precisamos realmente de uma câmera com mais de 100 megapixels em nossos smartphones?

Quanto mais megapixels melhor? Cuidado, você pode estar sendo enganado, ou simplesmente lhe faltam informações para escolher o melhor smartphone para você.

Por Smartphones Pular para comentários
Precisamos realmente de uma câmera com mais de 100 megapixels em nossos smartphones?

Já é uma realidade, o Mi Note 10 (ou CC9 Pro, dependendo do mercado) é o primeiro smartphone a trazer entre suas câmeras, o sensor ISOCell Bright HMX de 108 megapixels, criado pela Samsung.

Até o momento ele segue sendo o único smartphone com o sensor, mas não se engane, durante o ano de 2020 teremos alguns outros smartphones trazendo o mesmo sensor ou ainda, novos sensores.

Contudo, a Sony por exemplo, outra referência no mercado de sensores para câmeras, já afirmou que ainda não é o momento para desenvolver um sensor com essas especificações.

A Huawei, que é a segunda maior fabricante de smartphones do mundo, passando a Apple recentemente, mesmo em tempos de embargo comercial, parece também concordar com a Sony.

Se você é um ávido consumidor de vídeos sobre smartphones com certeza já deve ter ouvido vários influenciadores sérios do segmento de tecnologia falar "quanto mais megapixels melhor, só que não". Virou meio que um meme dentro do nicho tech.

E assim como eles, também penso o mesmo, mas infelizmente cada vez mais os fabricantes tem se apoiado nos números para criar ações de marketing mirabolantes para vender seus dispositivos.

Antes mesmo do lançamento do Mi Note 10, quem não viu várias fotos capturadas pelo smartphone? Eu mesmo compartilhei em minha conta no instagram vídeo mostrando uma enorme imagem de 12032x9024 pixels com 30MB de tamanho.

Nela mostro alguns detalhes, um deles é o tempo que o smartphone leva para exibir os detalhes da mesma. Vale lembrar que o tempo entre o seu clique e o salvamento do arquivo da foto no smartphone também não é rápido.

O Mi Note 10 tem processador da série 700 da Qualcomm que não é topo de linha e mesmo com 6GB de RAM o pós processamento de uma imagem de 30MB não é rápida.

Sem contar que quando o modo 108 megapixels é utilizado, perde-se o HDR, estabilização, entre outros recursos que fazem capturas em outros modos serem superiores. Isso quer dizer que somente em qualidades excelentes de luz você terá um resultado satisfatório.

O Mi Note 10 ficou por algumas semanas no topo da lista do DXOMark, mas logo perdeu seu lugar para os dispositivos da Huawei, indo para o quarto lugar (hoje). Mas qual a surpresa? Nenhuma! Nenhum dos smartphones da Huawei/Honor possuem um sensor de 108 megapixels, muito pelo contrário os sensores presentes nos Huawei Mate 30 e Honor V30 são de 40 megapixels.

Smartphones com câmeras com menos megapixels hoje são superiores ao Mi Note 10 com seus 108 megapixels
Smartphones com câmeras com menos megapixels hoje são superiores ao Mi Note 10 com seus 108 megapixels

Então a resposta para você é, deixe a quantidade de megapixels em segundo plano e busque informações como tamanho do pixel, captação de luz, definição de cor, ISO, nitidez e distância focal dos sensores presentes nos smartphones.

A própria Samsung, Apple, Google, Asus e outras, ainda não chegaram a superar o patamar dos 48 megapixels em suas câmeras principais.

Alguns relatos de pessoas que integram o mercado do lado dos fabricantes inclusive já se manifestaram a respeito. Exemplo disso foi o gerente de marketing da Honor Mobile, Shen Kaixin, que disse que com uma resolução de 100 megapixels seria muito difícil o tamanho do pixel exceder 0,8 μm.

A Sony assim como o Huawei/Honor acreditam que um tamanho de pixel de 1 μm (mícron) ou superior a esse valor, pode garantir a sensibilidade à luz e a qualidade de imagem típicas de um smartphone topo de linha. E completou dizendo que seus principais dispositivos seguirão firmemente essa linha de raciocínio.

Quanto maior o pixel, mais luz é captada, melhorando nitidez, nível de detalhes, fotos em baixa luz, etc. (a unidade de medida é o mícron)

sss
QuadPixel

QuadPixel, TetraCell e QuadBayer são nomes diferentes para uma mesma tecnologia que combina quatro pixels adjacentes criando um pixel de tamanho maior, como resultado alguns smartphones conseguem um pixel de 1,6 mícrons, quando geralmente um pixel normal chega a 0,8 mícron.

Com isso, a câmera captura mais informação e gera uma imagem com mais qualidade, mesmo em condições de baixa luminosidade.

Smartphones topo de linha presentes no mercado brasileiro trazem sensores principais com 12 megapixels, como nos iPhone 11, Galaxy Note 10, S10, entre outros. Já a Huawei tem em seu topo de linha, P30 Pro, um sensor de 40 megapixels. A Motorola e a Xiaomi utilizam sensores IMX586 da Sony, assim como a Asus. Esse sensor possui 48 megapixels e também utilizam a tecnologia QuadPixel para combinar os pixels entregando um pixel maior.

O fato é, com tantos topos de linha entregando imagens de altíssima qualidade com menos da metade de um sensor de 108 megapixels, não dá pra desprezar a informação de que uma foto boa não depende somente do número de megapixels que a câmera do seu smartphone possui.

Hoje temos o tamanho do sensor, além da fotografia computacional e também inteligência artificial que são utilizadas no pós processamento de imagem sempre que capturamos uma foto. E isso tudo acontece entre o seu clique e a abertura da sua galeria para ver o resultado.

Então a menos que você vá imprimir um outdoor com qualidade somente ok, você não precisa de uma câmera com sensor de 108 megapixels, arrisco a dizer nem de 64 megapixels.

Recomendamos ler:

Comentários:
Carregar comentários