Zenfone 6: Lançamento na Índia pode ser adiado

O Tribunal indiano proibiu a ASUS de vender produtos com o nome ZenFone. O Supremo Tribunal de Deli afirma que a ASUS infringiu uma marca comercial existente para a marca "Zen".

Por | @bgssilva Smartphones Pular para comentários

Com praticamente tudo pronto para o Zenfone 6 ser lançado da Índia, a Asus agora pode ter que passar por um obstáculo legal antes de lançar seu novo topo de linha.

O Supremo Tribunal de Deli decidiu que a ASUS não pode usar a nome que inclua ZEN pois existe uma marca existente no mercado indiano, o que significa que o fabricante taiwanês agora tem que rebatizar seu topo de linha e outros dispositivos que trazem o "Zen" no nome, como o Zenbook por exemplo, além de toda a linha de smartphones Zenfone.

A queixa foi apresentada pela Telecare Network, uma marca local que vendia smartphones sob o nome Zen Mobile.

Os documentos revelaram que a Telecare Network procurou a marca para Zen e ZenMobile em 2008, com a marca afirmando que a marca ZenFone da ASUS provavelmente causaria "confusão na mente do público".

Marca Zen existe no mercado desde 2008 e a Asus chegou em 2014Marca Zen existe no mercado desde 2008 e a Asus chegou em 2014

A Telecare também afirmou que a ASUS usou o apelido Zen para "aproveitar a boa reputação do nome" que criou no mercado. A Telecare começou a vender dispositivos com marca Zen em 2008, com a ASUS entrando no mercado indiano em 2014.

Embora a ASUS tenha argumentado que a palavra zen em si é comum e tem raízes no budismo - e apontou que existem várias marcas registradas com zen em seu nome - o tribunal tomou o partido da Telecare:

"… Uma palavra pode ser genérica enquanto negócio ou comércio ou indústria específicos, mas não em todos os negócios ou negócios ou setores. Consequentemente, embora o ZEN seja uma palavra genérica quando relacionada ao budismo, ainda assim não é uma marca genérica no que diz respeito a telefones celulares e tablets, já que a referida palavra não tem conexão ou correlação com telefones celulares ou tablets."

O tribunal também descobriu que usando a marca ZenFone, a ASUS estava agindo de má fé:

"...o teste de identidade tripla é satisfeito, uma vez que os requeridos utilizaram uma marca idêntica / idêntica (ZENFONE) em relação a bens idênticos (smartphones) com canais comerciais idênticos… os requeridos adotaram uma marca enganosamente semelhante em que a parte dominante da marca do requerido ZENFONE é a marca do autor ZEN, para o mesmo produto, ou seja, os smartphones, e essa fato já é prova suficiente para que exista um risco de confusão e danos à boa vontade do autor."

Como tal, a ASUS está proibida de anunciar ou usar a marca ZenFone para seus produtos, com a decisão entrando em vigor daqui a oito semanas. A próxima audiência está marcada para 10 de julho, onde a ASUS tentará anular a decisão. Se esse não for o caso, ele terá que criar uma nova marca.

Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal