Bots sexuais invadem o Twitter e conseguem 30 milhões de cliques

A estratégia usada para atrair a atenção do público foi criar perfis com fotos de mulheres jovens e convites para bate-papo picantes, com frases do tipo: “Você quer tirar a minha #virgindade?”, “Você quer me #acariciar?” e “Miau, eu quero sexo” para atrair principalmente o público masculino.

Por | @fsbeling Redes sociais

Os bots podem ser utilizados tanto de maneira positiva como negativa, em sua versão maléfica, conseguem dar vida a contas fakes em redes sociais conseguindo defender posicionamentos políticos em massa, por exemplo, ou simplesmente tentam pegar alguns cliques desavisados para espalhar malwares e gerar maior receita com publicidade.

Segundo os pesquisadores, os domínios de 40% dos links tweetados pertencem à companhia Deniro Marketing. A companhia foi processada em 2010 por utilizar vários perfis fakes de mulheres jovens em sua plataforma de encontros online. No início deste ano foi acusada novamente por estar envolvida com problemas de links propagados na rede social Twitter, agora a história se repete mais uma vez.

Embora, acredita-se que a empresa em si não tenha criado todos esses bots sozinha, em casos como este é comum a contratação de companhias especializadas para criação de redes de bots com intuito de enganar as pessoas para gerar maior volume de acesso orgânico às suas páginas. Em outros casos, podem ser utilizados até mesmo para obter dados de usuários.

Desta vez, a equipe de segurança do Twtitter conseguiu desativar cerca de 90 mil contas falsas, o ataque da imensa rede de bots sexuais. Os robôs conseguiram identificar postagens com as palavras “romance” e “encontro” que serviam para chamar a atenção de um usuário real para as tradicionais ofertas sexuais anunciadas na internet.

Foram cerca de 8,5 milhões de postagens que receberam mais de 30 milhões de cliquesForam cerca de 8,5 milhões de postagens que receberam mais de 30 milhões de cliques

Sendo assim, as postagens utilizadas nos golpes continham links que levavam os usuários da rede social até os serviços. Os pesquisadores que descobriram a rede de bots, a apelidaram de SIREN, termo em inglês “sirena”, cujo significado remete as ninfas marinhas da mitologia grega que são metade mulher e metade pássaro e se utilizam de músicas doces para seduzir e matar marujos.

A estratégia usada para atrair a atenção do público foi criar perfis com fotos de mulheres jovens e convites para bate-papo picantes, com frases do tipo: “Você quer tirar a minha #virgindade?”, “Você quer me #acariciar?” e “Miau, eu quero sexo” para atrair principalmente o público masculino.

Será que alguém clica nessas propagandas com oferta de sexo? Pois bem, a resposta é sim, uma vez que foram cerca de 8,5 milhões de postagens que receberam mais de 30 milhões de cliques.

ZeroFOX, foi a companhia de segurança que identificou primeiramente o problema e salientou a eficiência da SIREN em driblar os esquemas antispam da rede social Twitter.

Mais sobre: redesocial Twitter bots
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo