Apple reduz compra de componentes do iPhone 5

Empresa vê queda nas vendas para os próximos meses e reduz compra de componentes.

Por | @marciobohrer Smartphones

O iPhone, o smartphone mais vendido do mundo com mais de 250 milhões de aparelhos espalhados pelas nações, pode estar entrando em “crise”. Pelo menos a informação de pessoas ligadas a Apple coloca a Maça em queda na fabricação do iPhone 5.

Bom, voltando ao mundo real, as informações dizem que as vendas do iPhone 5 não estão de acordo com o planejado pela Apple. Lembrando que nos três primeiros dias de venda, 5 milhões de aparelhos foram comercializados, 1 milhão a mais que o antecessor 4S no mesmo período de três dias. Porém segundo estas fontes não identificadas, em entrevista ao jornal Chinês Nikkei, a compra de componentes para a fabricação do carro chefe da Maça, foi reduzida devido a pouca demanda de vendas.

As encomendas da tela do iPhone 5, por exemplo, tiveram para este trimestre uma redução de quase metade do pedido que a empresa tinha nos planos. Segundo as fontes, a Apple informou aos fabricantes sobre a redução, no mês passado. “Não foram só as telas que obtiveram queda nas encomendas”, disseram as fontes.

Um pouco desta queda nas vendas, se deve ao crescimento das concorrentes. A Samsung, que é a maior fabricante de smartphones do mundo e possui aparelhos de todos os preços, além de outras marcas que fabricam smartphones baratos como a Huawei Technologies.

Jornais e sites americanos têm opiniões divergentes quanto à queda de produção da Apple. Alguns creem que a queda é creditada ao fato da loucura na procura do iPhone 5 já ter passado, além disto, também já passaram as festas de fim de ano. Eles classificam a queda  como normal. Outro site diz que se a venda de iPhones tivesse realmente caído, as lojas estariam com aparelhos de sobra em estoque e não em falta como é o que acontece no Brasil, por exemplo.

Mais sobre: iPhone5, Celular, Tecnologia
Share Tweet
DESTAQUESMais compartilhados
Comentários
AINDA NÃO SE INSCREVEU?

Vem ver os vídeos legais que
estamos produzindo no Youtube.