Quando ter um ERP não é suficiente

Milhões de empresas adotaram sistemas ERP nas últimas décadas e durante muitos anos esta foi a melhor ferramenta disponível no mercado para atender as necessidades cotidianas das organizações.

Por | @oficinadanet Negócios

Contudo, essa realidade vem mudando significativamente e ter apenas um sistema ERP já não garante ter todas as informações e vantagens necessárias para atender as demandas de mercado uma vez que o mercado tornou-se mais exigente. Diante dessa realidade os principais fornecedores de ERP do mercado mundial enveredaram por caminhos os mais excelentes no sentido de criar ferramentas que permitam a seus clientes embarcar em uma nova jornada rumo a tecnologias que vem de encontro com suas especificidades e as particularidades de seu mercado.

Quando ter um ERP não é suficiente

Já para os clientes de sistemas de gestão há a possibilidade de um ganho expressivo quando adotam outras tecnologias e sistemas especialistas, que integrados a seus ERPs impulsionam a vantagem competitiva dessas organizações. Para os clientes de fornecedores ERP que não oferecem outros produtos necessários ao seu modelo de negócio e/ou demandas específicas de seu mercado, há ainda a possibilidade de integração das novas tecnologias ao ERP. 

Dentre as tecnologias que foram abraçadas pelos principais fornecedores de ERP ou se tornaram necessidades para as organizações, destacam-se:

 

BI - Business Intelligence

Uma das características marcantes de um ERP é a geração de muitas informações que são armazenadas em bancos de dados, mas que nem sempre são facilmente extraídas do ERP, por uma série de motivos que remontam desde a forma como o ERP foi construído até as finalidades do ERP, que muitas vezes não nos permite extrair todas as informações nas dimensões necessárias.

Diante desse paradigma, iniciou-se com sucesso a extração de informações das bases de dados dos ERPs através de processos de datawarehouse, que apesar de serem processos muito técnicos, muito caros e que dependiam de profissionais altamente qualificados, trouxe bons resultados para as organizações.

Foi da experiência adquirida com os processos de extração de informações e também com o advento de novas tecnologias de banco de dados, que surgiram os sistemas de Business Intelligence. 

Segue alguns benefícios do BI:

  • Montar seus próprios relatórios cruzando informações relevantes;
  • Criar DashBoards;
  • Criar cubos de decisão;

 

CRM - Customer Relationship Management.

Um sistema ERP compreende, em um determinado nível, o gerenciamento do relacionamento com os clientes de nossas organizações, mas em um nível muito baixo comparado ao que pode oferecer os sistemas especializados no Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente.

Um dos objetivos do CRM é fidelizar clientes, contudo não devemos pensar que fidelizar cliente é presenteá-lo com um cartão com seu nome e alguns descontos ou milhas simplesmente, pois na verdade a fidelização vai muito além disso e podemos dizer que é a busca pela satisfação total do cliente, é a antecipação de suas necessidades e desejos, é o tratamento com dignidade e respeito oferecendo produtos e serviços adequados e coerentes ao cliente, baseando-se, sobretudo nas informações colhidas e documentadas ao longo do relacionamento com o mesmo.

 

Segue alguns benefícios do CRM:

  • Mais serviços direcionados ao cliente e em tempo hábil;
  • Aumento da receita por cliente;
  • Maior sucesso nas vendas simples e cruzadas;
  • Ciclos de vendas equilibrados;
  • Operações mais eficientes do centro de atendimento;
  • Previsões de venda de melhor qualidade;
  • Menos problemas com clientes;
  • Decisões de marketing baseadas em informações melhores.

 

SCM - Supply Chain Management

Embora o ERP suporte as informações básicas de clientes, fornecedores, materiais, produtos acabados e operações de compra, venda e transformação (produção), há situações em que gerenciar a cadeia de suprimentos é crucial para as organizações e para esses cenários existem os sistemas SCM. 

Um sistema SCM garante a integração dos processos industriais e comerciais, partindo dos fornecedores iniciais e indo até os clientes finais, gerando produtos, serviços e informações de qualidade que agreguem valor ao Cliente.

Segue alguns benefícios do SCM:

  • Redução dos custos de estoque, de transporte e de armazenagem;
  • Redução no erro de previsão
  • Redução no ciclo de ressuprimento;
  • Aumento no giro do estoque;
  • Suavização da demanda para os fornecedores;
  • Aumento da disponibilidade de produto para os varejistas;
  • Visibilidade para melhor determinar os parâmetros de reposição;
  • Aumentos no nível de serviço dos fornecedores.

 

WMS - Warehouse Management System

Um sistema ERP pressupõe um controle de estoques que, em determinado nível, atende muito bem as operações de algumas empresas, mas quando há necessidades mais específicas no que diz respeito ao gerenciamento de um ou mais Armazéns os sistemas WMS oferecem uma série de diferenciais.

O WMS é parte integrante da cadeia de suprimentos, amplamente utilizado para garantir a perfeita gestão de estoques, diretivas inteligentes de picking e maximizar o uso do espaço de armazéns. O sistema também gerencia e otimiza a disposição das mercadorias com base em informações do uso de prateleiras, diminuindo significativamente a necessidade do conhecimento de pessoas, uma vez que toda a automação é gerenciada pelo próprio sistema.  

Segue alguns benefícios do WMS:

  • Otimização do espaço para armazenagem;
  • Melhoria da produtividade (armazenagem, separação, despacho);
  • Qualidade nas operações logísticas;
  • Redução de custos de armazenagem, separação e despacho;
  • Redução de erros nas entregas;
  • Maior precisão das informações de estoque;
  • Facilitação de inventários;
  • Mapeamento visual dos armazéns.

 

APS - Advanced Planning & Schedule.

Muitas das organizações utilizam seus sistemas ERP para planejar seus ambientes de produção, bem como capacidade, recursos e materiais envolvidos na produção de seus produtos. 

Contudo, quando há necessidades específicas e avançadas com relação a gerir melhor a capacidade de recursos produtivos e seqüenciamento da produção, bem como em ambientes onde há o aumento da complexidade dos processos de negócio e a produção determina as estratégicas da organização, é preciso objetivar processos mais eficientes e rentáveis, além de melhorar o desempenho dos processos relativos à produção para que possam gerar ganhos e agregar valor ao negócio. Para estes ambientes os sistemas APS são muito recomendados.

Segue alguns benefícios do WMS:

  • Identificação dos gargalos da fábrica;
  • Subordinação dos processos produtivos aos gargalos;
  • Melhor atendimento da demanda;
  • Otimização da programação da produção;
  • Simulação de cenários produtivos;
  • Integração do chão-de-fábrica com demais conceitos do ERP;
  • Otimização da capacidade instalada;
  • Otimização das restrições.

 

PLM - Product Lifecycle Management.

Embora um ERP armazene de forma muito útil as informações dos produtos das organizações, há uma série de limitações relacionadas ao gerenciamento do ciclo de vida do produto. Para essa finalidade existem os sistemas PLM.

PLM trata do processo de gestão do ciclo de vida completo de um produto desde a sua concepção, passando pelo design, fabricação, distribuição e retirada deste produto do mercado, integrando pessoas, informações, processos e sistemas de negócios, fornecendo uma espinha dorsal de informação do produto. Além disso, os sistemas PML ajudam as organizações a lidarem com a crescente complexidade e os desafios de engenharia e desenvolvimento de novos produtos eliminando o desperdício e melhorando a eficiência. 

Segue alguns benefícios do PLM:

  • Redução dos custos de protótipos;
  • Redução dos ciclos de engenharia devido à reutilização de dados mestres;
  • Melhoria da qualidade do produto;
  • Redução do tempo de colocação do produto no mercado;
  • Ganhos na conformidade de processos a normas e regulamentações;

 

Concluindo, pode-se observar nos exemplos acima que existe uma vasta gama de sistemas de gestão específicos para cada tipo de negócio e para atender cada tipo de necessidade específica de cada empresa, segmento e mercado.

Essas possibilidades devem ser exploradas, de forma que sua organização conheça o melhor acerto entre o sistema ERP utilizado atualmente e o sistema de gestão ou os sistemas de gestão que podem contribuir para que sua organização tenha em mãos o aparato tecnológico necessário para atender as exigências do mercado e se manter competitiva.

Samuel Gonsalves da Kayros-it

Mais sobre: erp business intelligence samuelgonsales
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo